Escolha as suas informações

Piloto lusodescendente vai representar o Luxemburgo no mundial de motocrosse
Desporto 2 min. 25.09.2019

Piloto lusodescendente vai representar o Luxemburgo no mundial de motocrosse

Dylan Figueiredo vai correr pelo Grão-Ducado no Campeonato do Mundo nas Nações.

Piloto lusodescendente vai representar o Luxemburgo no mundial de motocrosse

Dylan Figueiredo vai correr pelo Grão-Ducado no Campeonato do Mundo nas Nações.
Foto: TTML
Desporto 2 min. 25.09.2019

Piloto lusodescendente vai representar o Luxemburgo no mundial de motocrosse

Álvaro CRUZ
Álvaro CRUZ
Dylan Figueiredo foi selecionado para correr pelo Grão-Ducado no Campeonato do Mundo nas Nações, no próximo fim de senama, na Holanda. Sente-se orgulhoso e garante que está pronto para competir com a elite da modalidade.

“É com grande orgulho que vou representar o Luxemburgo numa das maiores provas mundiais de motocrosse. Vai ser uma experiência muito importante para mim, mas tenho feito uma preparação intensa para não defraudar quem confiou nas minhas capacidades”, resume o jovem de 18 anos que recentemente trocou o Tugas Team Luxembourg pelo Moto Club Kopstal-Bridel.

Dylan Figueiredo vai fazer equipa com os irmãos Björn Frank e Yves Frank, pilotos experientes que já participaram na prova por várias vezes e que têm ajudado o jovem lusodescendente na adaptação aos treinos.

“O apoio e a ajuda do Yves e do Frank têm sido importantes. Os conselhos e a confiança que me têm transmitido durante os treinos e quando nos encontramos ajudam-me a descontrair e a desfrutar desta experiência que marca sempre a vida de um piloto. Neste momento estou preparado física e mentalmente para a competição”, garante.

Na pista de Assen, na Holanda, vão estar em prova apenas os melhores do mundo. São 20 equipas de três elementos cada que disputam um lugar na final, tarefa apenas ao alcance dos melhores. Dylan está conciente das diificuldades, mas não desarma: “Sei que sou muito jovem [18 anos] e que vou competir com os pilotos do mundo, experientes e com grande qualidade. Mas é com os melhores que se aprende, por isso vou dar tudo em pista para justificar esta minha chamada”, precisa.

Dylan Figueiredo num dos treinos.
Dylan Figueiredo num dos treinos.
Foto: TTML

“Tenho treinado muito bem em todos os sentidos. No domingo, estivémos na pista de Lommel, na Bélgica, onde estiveram também vários outros países, e foi muito bom. Cansativo, mas proveitoso. Individualmente, tenho efetuado sessões específicas de preparação física para poder aguentar os 30 minutos das provas que vão ser extremamente desgastantes devido ao ritmo alucinante das corridas”, confia o jovem piloto que já conta com alguns títulos nacionais no palmarés.

Sobre o motocrosse no Luxemburgo, lamenta a escassez de pistas no país e garante que os portugueses são o futuro da modalidade: “Para treinarmos, temos de ir ao estrangeiro, o que é lamentável. Os subsídios à modalidade não existem, o que é pena, pois está a despontar uma excelente geração de novos pilotos, grande parte deles portugueses”, alerta.

Nutre o sonho de ser profíssional e tem como ídolos o francês Romain Febvre, com quem privou em algumas competições na Bélgica, e o holandês Jeff Helling. No entanto, sabe que para chegar ao ’estrelato’ tem um longo caminho a percorrer.

“Gostava muito de ser piloto profissional, mas sei que não é fácil. Por isso é que continuo a estudar comércio para assegurar o meu futuro” sublinha.

“Esta temporada quero ganhar o campeonato luxemburguês e o alemão e aproveitar estas provas internacionais para evoluir com os melhores do mundo e depois logo se verá”, promete. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.