Escolha as suas informações

Patrícia Mamona bate recorde nacional do triplo salto
Desporto 15.08.2016 Do nosso arquivo online
Rio2016

Patrícia Mamona bate recorde nacional do triplo salto

Patricia Mamona
Rio2016

Patrícia Mamona bate recorde nacional do triplo salto

Patricia Mamona
Foto: Lusa
Desporto 15.08.2016 Do nosso arquivo online
Rio2016

Patrícia Mamona bate recorde nacional do triplo salto

Patrícia Mamona selou domingo o quarto diploma de Portugal nos Jogos Olímpicos Rio2016, ao terminar no sexto lugar a final do triplo salto, com um novo recorde nacional, de 14,65 metros.

Patrícia Mamona selou domingo o quarto diploma de Portugal nos Jogos Olímpicos Rio2016, ao terminar no sexto lugar a final do triplo salto, com um novo recorde nacional, de 14,65 metros.

A campeã europeia em título terminou a prova com a marca de 14,65 metros, que conseguiu ao terceiro ensaio, superando por sete centímetros o anterior máximo nacional (14,58), que havia selado precisamente na final do campeonato da Europa.

Mamona ainda bateu uma segunda vez a anterior melhor marca, ao fechar com 14,59 um concurso em que os primeiros quatro saltos também foram na casa dos ’14’: 14,39 no primeiro, 14,14 no segundo, 14,45 no terceiro e 14,42 no quarto.

Ao contrário da atleta do Sporting, Susana Costa não conseguiu fazer os três saltos finais, ficando-se por 14,12 metros, ao terceiro ensaio, depois de dois nulos a abrir, terminando, assim, no nono lugar.

Patrícia Mamona ficou um lugar acima do ciclista Nelson Oliveira no contrarrelógio e juntou-se igualmente, nos ‘diplomados’, à equipa de futebol e ao jogador de ténis de mesa Marcos Freitas, ambos quintos, ao ‘caírem’ nos ‘quartos’.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A selecção portuguesa de futebol ‘caiu’ esta quinta-feira três lugares, para o sétimo posto do ‘ranking’ da FIFA, que continua a ser liderado pela Bélgica, à frente de Argentina e Espanha, segunda e terceira, respectivamente.
A equipa das 'quinas' voltou a descer no 'ranking' da FIFA