Escolha as suas informações

Nuno Gomes mostra que é de pequenino que se faz o Benfica no Luxemburgo
Desporto 3 1 5 min. 10.10.2019

Nuno Gomes mostra que é de pequenino que se faz o Benfica no Luxemburgo

Nuno Gomes mostra que é de pequenino que se faz o Benfica no Luxemburgo

Foto: Álvaro Cruz
Desporto 3 1 5 min. 10.10.2019

Nuno Gomes mostra que é de pequenino que se faz o Benfica no Luxemburgo

Álvaro CRUZ
Álvaro CRUZ
O antigo internacional português e ex-jogador dos encarnados esteve na capital, juntamente com outros dirigentes do clube da Luz e do RM Hamm Benfica, na cerimónia que contou ainda com a presença de Paul Philipp, Presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol.

“Não jogava em nenhum clube federado, mas quando soube que o Benfica ia abrir uma Escola de Futebol no Luxemburgo, vim logo inscrever-me com o meu pai”, diz o pequeno Lucas Sousa, de 11 anos, ainda com a respiração ofegante.

“Estou a gostar muito dos treinos. Gosto bué de fazer fintas e marcar golos”, conta todo orgulhoso o jovem benfiquista por agora envergar a águia ao peito, confessando que tem o sonho de um dia se tornar "jogador profissional".

Uma estrela entre miúdos

No dia 5 de outubro, em Cents, foi dia de festa com a inauguração oficial da Escola de Futebol do Benfica no Grão-Ducado. No relvado, composto por vários ateliês, dezenas de craques de palmo e meio como o Lucas aproveitaram cada metro quadrado do relvado para mostrar as suas habilidades com a bola a treinadores, pais, dirigentes e simpatizantes do clube que acorreram em grande número à cerimónia que teve como estrela maior, Nuno Gomes, antigo internacional português.

A azáfama era grande para tirar selfies e fotos com o ex-jogador dos encarnados que não dava mãos a medir aos pedidos que lhe chegavam de todo o lado. Elogiou o projeto encarnado da mais recente escola inaugurada no estrageiro e aproveitou para sublinhar a sua importância: “Todos sabem que neste momento o Benfica é um dos clubes que melhor forma jogadores a nível mundial. Por isso, era importante dar seguimento a este projeto", diz Nuno Gomes.

Foto: Álvaro Cruz

"No aspeto comercial, estratégico e desportivo, num país como o Grão-Ducado onde existe uma significativa comunidade de portugueses, era importante o clube implantar-se de forma privilegiada. Esperemos que venha a ser por muitos anos e que daqui possam sair grandes jogadores”, congratulou-se o agora embaixador do clube da Luz.

Futebol é também integração. Espero que esta Escola de Futebol tenha um grande sucesso em todos os aspetos.

Paul Philipp, presidente da FLF

Entre selfies e abraços, o antigo goleador do clube da Luz lembrou ainda que “a marca Benfica” é muito forte em todos os aspetos: “É importante que todos neste ponto da Europa conheçam melhor o clube e a sua prestigiada metodologia de treino. Existem aqui muitos benfiquistas e muitos deles vão a Portugal ver jogar o seu clube de coração. A partir de agora, os mais jovens vão poder conhecer ainda melhor a grandeza do Benfica. Como muitos deles sonham um dia ser profissionais de futebol, nada melhor que trabalhar com os melhores treinadores e educadores para poderem, quem sabe, poder vir a representar o clube”, vincou.

O sonho de ser profissional

Vestir a camisola do Benfica e jogar no Estádio da Luz é também o grande sonho do pequeno Leandro Alves de Oliveira. Com oito anos apenas, representa o Hamm Benfica desde os quatro e já tem planos para o futuro. Na tarde de sábado foi um dos mais versáteis e dinâmicos com a bola nos pés e confessou que está a adorar as novas sessões de treino.

“Estou no clube há quatro anos, desde os ’bambinis’. Sempre gostei muito de treinar e jogar, mas agora fazemos coisas diferentes. Tem sido muito fixe. Estamos a aprender técnicas novas para depois fazermos nos jogos”, explica o jovem que é admirador de Pizzi. “Quero marcar muitos golos para ser um bom jogador e um dia poder representar o Benfica”, diz com um sorriso e um piscar de olho.

Todos sabem que neste momento o Benfica é um dos clubes que melhor forma jogadores a nível mundial.

Nuno Gomes, embaixador do Sport Lisboa e Benfica

Vagueando pelo relvado entre ateliês técnicos e jogos temáticos andava Igor Santos, o coordenador da nova Escola do Benfica no Luxemburgo. O responsável pela nova ’fábrica’ de futuros craques lembrou ao Contacto que “hoje [sábado] é um dia histórico para o RM Hamm Benfica e para o próprio país. Também para todos estes miúdos e familiares, para os dirigentes e todos aqueles que têm trabalhado para colocar de pé este projeto”.

“Num clube como o Benfica, nada é deixado ao acaso. Aqui existe potencial para ser trabalhado e o Benfica sabe disso. Acredito que a conjugação de esforços de ambas as partes vai dar frutos a médio e longo prazo. Temos uma metodologia própria que nos últimos anos se tem revelado das melhores do mundo, como testemunham os vários jogadores que têm saído para grandes equipas europeias. Queremos formar jogadores, mas também seres humanos. O facto de estarmos junto da enorme comunidade lusa aqui residente foi outro dos fatores importantes para a implantação da escola no Grão-Ducado. Com paciência e muito trabalho, vamos vencer”, concluiu.

Foto: Álvaro Cruz

Finalmente, o sonho tornou-se realidade

Paulo Lopes, presidente do RM Hamm Benfica, é um homem visivelmente feliz. Para o responsável máximo dos encarnados do Cents, o sonho finalmente realizou-se.

“Há muitos anos que ambicionávamos ter uma Escola de Futebol do Benfica no Luxemburgo. O nosso sonho concretizou-se agora devido ao trabalho de pessoas como Toni Costa, Paulo Farrajota e Pedro Amorim, entre outros. Agora, é aproveitar uma das melhores formações do mundo para que a nossa equipa principal possa usufruir de jogadores que crescem no clube e se identifiquem com ele”, defende.

“Esperamos que a comunidade portuguesa e em especial os benfiquistas possam vir acompanhar os seus filhos e também a nossa equipa principal. É importante que vibremos todos juntos pelo nosso clube.”

Na cerimónia esteve também Paul Phillip, presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF). O responsável máximo do futebol no Grão-Ducado felicitou os dirigentes de ambos os clubes e desejou felicidades para o projeto.

“A formação nos clubes é cada vez mais importante. Com a grande comunidade lusa residente no país, espero que este projeto tenha pernas para andar. No que depende da FLF, já transmiti ao presidente do Hamm Benfica que podem contar com o nosso apoio incondicional. Futebol é também integração. Espero que esta Escola de Futebol tenha um grande sucesso em todos os aspetos”, vincou.

O Benfica contabiliza atualmente 64 escolas de futebol em Portugal e no estrangeiro. Do total, 50 em território português e 14 espalhadas por vários países, incluindo agora, também no Grão-Ducado. No arranque deste projeto conta com dez equipas nos vários escalões etários e cerca de 200 jogadores. Muitos deles com idades dos 3 aos 6 anos que ainda não podem competir oficialmente. As mensalidades variam entre os 40 e os 100 euros, mas os jogadores recebem um kit completo de equipamento, acompanhemento médico e nutricional, para além de poderem efetuar estágios em Lisboa, se os desempenhos dos jovens jogadores assim o justificarem. 


Notícias relacionadas

Dany Mota é cobiçado pela seleção luxemburguesa
Dany Mota tem 19 anos e nasceu no Grão-Ducado. O futebolista português joga há dois anos em Itália e tem sido cobiçado por vários clubes. O jovem jogador já foi abordado para representar a seleção luxemburguesa, mas o seu coração balança entre Portugal e o Luxemburgo.
Dany Mota