Escolha as suas informações

Morreu Charlie Whiting, ex-diretor de corridas da Fórmula 1

Morreu Charlie Whiting, ex-diretor de corridas da Fórmula 1

Foto: AFP
Desporto 14.03.2019

Morreu Charlie Whiting, ex-diretor de corridas da Fórmula 1

Whiting tinha 66 anos e foi vítima de embolia pulmonar.

A poucos dias do começo de mais uma edição do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, a modalidade está de luto devido à morte de Charlie Whiting, diretor de corridas, vítima de embolia pulmonar aos 66 anos. Whiting morreu na Austrália, onde se encontrava para o começo da época e a sua morte foi logo lamentada por inúmeras personalidades ligadas ao desporto automóvel como, por exemplo, Jean Todt, atual presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), antigo piloto de ralis e responsável pela Ferrari na fase de maior sucesso, entre 1993 e 2007.

Por outro lado, o brasileiro Emerson Fittipaldi, campeão mundial de Fórmula 1 em 1972 e 1974, afirmou: "Charlie Whiting dedicou-se de forma apaixonada numa incrível contribuição para a Fórmula 1. Adorei cada minuto que trabalhei com ele", disse, citado pela imprensa brasileira.

Whiting começou a trabalhar na Fórmula 1 em 1977, na Hesketh. Na década de 80, foi contratado pela equipa Brabham, a convite de Bernie Ecclestone. Nessa altura, representou o papel de mecânico-chefe e trabalhou com Nelson Piquet na conquista dos títulos mundiais de 1981 e 1983.

Cinco anos mais tarde, em 1988, processou-se a sua entrada na Federação Internacional de Automobilismo, primeiro como delegado técnico, mais tarde como diretor de provas. Neste papel era responsável por todos os aspetos relativos à competição: regulamento, interpretação de regras, punições, classificações e corridas.

Com o desaparecimento de Charlie Whiting, a FIA designou o delegado de segurança e responsável pela largada no Grande Prémio da Austrália, Michael Masi, como diretor de provas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.