Escolha as suas informações

Ministério Público faz buscas à SAD do FC Porto
Desporto 22.11.2021
Operação policial

Ministério Público faz buscas à SAD do FC Porto

Operação policial

Ministério Público faz buscas à SAD do FC Porto

Foto: José Coelho/Lusa
Desporto 22.11.2021
Operação policial

Ministério Público faz buscas à SAD do FC Porto

Redação
Redação
Casa do filho de Pinto da Costa foi alvo de buscas. Processo resulta da Operação Cartão Vermelho.

A sede da SAD do FC Porto está a ser alvo de buscas pelo Ministério Público, esta segunda-feira. Em causa, estarão suspeitas de fraude, abuso de confiança e branqueamento de capitais num processo que resulta da Operação Cartão Vermelho. 

A notícia é avançada pela revista Sábado, que também dá conta de buscas em casas de empresários ligados ao futebol, como Pedro Pinho e Alexandre Pinto da Costa, filho do presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa.

"A mega investigação dos agora três processos começou há três anos, no verão de 2018, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)", pode ler-se no artigo, sendo que "os alvos iniciais começaram por ser dois agentes ou intermediários nos opacos negócios milionários do mundo do futebol, mas rapidamente a investigação chegou a dezenas de alvos, que incluem os presidentes do Benfica e do FC do Porto, os filhos dos dois dirigentes, Tiago Vieira e Alexandre Pinto da Costa, bem como os administradores da SAD dos dragões Fernando Gomes e Adelino Caldeira, e diversos empresários como Hernâni Vaz Antunes".  

Segundo a revista, um dos negócios investigados é a compra e venda de Éder Militão, jogador que assinou um contrato de cinco épocas com o Porto em julho de 2018. 

A SIC avançou também que as autoridades estão a realizar buscas ao Banco Carregosa, no Porto, alegadamente com relação aos direitos televisivos do FC Porto e sobre a transferência de 2,5 milhões de euros para uma conta do filho do presidente do FC Porto.

A Operação Cartão Vermelho já tem quatro arguidos: Luís Filipe Vieira, o seu filho Tiago Vieira, o empresário José António dos Santos e o agente desportivo Bruno Macedo. São todos suspeitos dos crimes de burla qualificada, abuso de confiança agravada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas