Escolha as suas informações

Luxemburguês com raízes brasileiras luta pelo título mundial em corrida de fitness nos EUA
Desporto 8 4 min. 12.05.2022
Hyrox

Luxemburguês com raízes brasileiras luta pelo título mundial em corrida de fitness nos EUA

O luxemburguês de 31 anos, que tem raízes brasileiras, tem como objetivo ficar nos cinco primeiros lugares no Campeonato do Mundo, em Las Vegas.
Hyrox

Luxemburguês com raízes brasileiras luta pelo título mundial em corrida de fitness nos EUA

O luxemburguês de 31 anos, que tem raízes brasileiras, tem como objetivo ficar nos cinco primeiros lugares no Campeonato do Mundo, em Las Vegas.
Foto: Stéphane Guillaume
Desporto 8 4 min. 12.05.2022
Hyrox

Luxemburguês com raízes brasileiras luta pelo título mundial em corrida de fitness nos EUA

André KLEIN
André KLEIN
Gil Nicola, luxemburgês de 31 anos com raízes brasileiras, tem como objetivo alcançar um dos cinco primeiros lugares no Campeonato Mundial de Hyrox, um desporto que combina corrida e Crossfit, em Las Vegas, Estados Unidos (EUA) este sábado. E tem um plano especial para o conseguir.

Na quarta-feira, Gil Nicola embarcou no avião com destino a Las Vegas, nos EUA. É naquela cidade cintilante do estado norte-americano do Nevada, conhecida sobretudo pelos inúmeros casinos, que terá lugar o Campeonato Mundial de Hyrox, este sábado.

Hyrox é um desporto de força e resistência ainda recente que combina elementos de corrida e Crossfit. O conceito visa uma mistura de desportos populares e de elite, sem fazer distinção entre profissionais e amadores e descreve-se como a "corrida de fitness para todos".

O número mágico é oito, porque os atletas têm de dominar um percurso de corrida  de um quilómetro num total de oito vezes, intercalado com oito exercícios com diferentes equipamentos. Os concursos decorrem frequentemente em salas de exposição, que oferecem espaço suficiente para as oito zonas Rox (áreas de exercício separadas) e uma pista de corrida que circunda as zonas.

"Li pela primeira vez sobre o Hyrox no Facebook e achei logo interessante", explica Nicola, que não só é ativo como corredor de curta e média distância no clube de atletismo CSL, na capital, como também treina regularmente na box de Crossfit Roude Léiw, em Monnerich.

O luxemburguês de 31 anos, que tem raízes brasileiras, não hesitou por muito tempo, procurando uma mudança do atletismo, e inscreveu-se espontaneamente na sua primeira competição de Hyrox em Estugarda, na Alemanha, no início de novembro.

Primeiras experiências e contactos valiosos

"A competição em Estugarda foi um grande desastre para mim", admite o ambicioso atleta. "Não sabia como me preparar bem, como e o que treinar exatamente". Nicola até feriu o pé, mas resistiu até ao fim.

Em Estugarda, Nicola conheceu atletas alemães já reconhecidos no Hyrox, como Tim Wenisch e Tobias Lautwein, o campeão mundial de 2021: "Durante o meu exercício no ergómetro de ski, tive uma técnica diferente da de Tim, que fazia o seu exercício ao meu lado, e continuámos a meter-nos no caminho um do outro", diz o jovem de 31 anos com uma gargalhada. "Não começámos da melhor forma, mas agora somos amigos. Em dezembro, visitei o Tim em Allgäu (Alemanha) e treinámos juntos durante dois dias".

A competição em Estugarda foi um grande desastre para mim.

Gil Nicola
Foto: Stéphane Guillaume

Wenisch e Lautwein reconheceram rapidamente o potencial do luxemburguês e encorajaram-no a continuar, apesar do resultado dececionante. Eventualmente, Wenisch também o pôs em contacto com Markus Frison, de Saarbrücken, outro atleta de Hyrox. "Markus chamou-me e disse: 'Vives nas proximidades. Gostaria que treinássemos juntos'", recorda o atleta. "Tenho treinado regularmente com o Markus em Saarbrücken desde fevereiro". 

No entanto, isto não é só porque os dois são agora bons amigos, mas também tem a ver com o facto de as oportunidades de treino no Luxemburgo serem limitadas. Os dois atletas elaboram os seus planos especiais de treino em conjunto - com sucesso.  

Qualificação múltipla e uma equipa

Desde que Nicola otimizou o seu treino, os resultados têm vindo a melhorar bastante. Numa competição em Munique, em fevereiro, qualificou-se para o Campeonato Mundial de Las Vegas na faixa etária 30-34 anos. Foi também em Munique que estabeleceu contacto com a equipa britânico-americana "Myzone", da qual Nicola, tal como Frison, é agora membro. "Myzone apoia-nos com os custos de viagem e as taxas de registo".

Mas como Nicola só se juntou à equipa pouco antes do Campeonato Mundial e o orçamento para Las Vegas já estava em grande parte planeado, ele teve de pagar do seu próprio bolso. "Estou a treinar propositadamente há quase três meses", diz o luxemburguês, descrevendo o seu progresso.

Antes de cada treino como sempre uma sanduíche com mel.

Gil Nicola

Em competições em Frankfurt e Maastricht voltou a cumprir o padrão de qualificação para o Campeonato do Mundo e, no final de abril, em Londres, chegou mesmo ao 16.º lugar entre os 126 participantes - todos na categoria profissional. O atleta está atualmente a treinar várias vezes ao dia, alternando entre corrida, alongamentos e exercícios de Crossfit. Para Las Vegas, fixou o quinto lugar como objetivo.  

"Sei que ainda não estou entre os melhores do mundo, mas só agora comecei", diz Nicola, que já está a pensar no próximo Campeonato do Mundo, em que vai elevar ainda mais a fasquia com mais experiência e treino. Mas, até lá, ele confia nas táticas experimentadas e testadas do colega Wenisch antes da competição nos EUA. "Antes de cada treino como sempre uma sanduíche com mel". Resta esperar que o plano funcione.

 (Artigo publicado originalmente na edição alemã do Luxemburger Wort)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.