Escolha as suas informações

Jornada 34. Caem os dois sempre-em-pé
Desporto 7 min. 16.05.2022
Liga portuguesa

Jornada 34. Caem os dois sempre-em-pé

Os jogadores do Casa Pia festejam a subida à I Liga de Futebol no final do jogo da II Liga contra o Leixões disputado em Matosinhos, a 15 de maio de 2022.
Liga portuguesa

Jornada 34. Caem os dois sempre-em-pé

Os jogadores do Casa Pia festejam a subida à I Liga de Futebol no final do jogo da II Liga contra o Leixões disputado em Matosinhos, a 15 de maio de 2022.
Foto: Rui Manuel Farinha/Lusa
Desporto 7 min. 16.05.2022
Liga portuguesa

Jornada 34. Caem os dois sempre-em-pé

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Tondela e B sad substituídos por Rio Ave e Casa Pia na 1.ª divisão 2022-23, Moreirense e Chaves discutem última vaga.

Desce o pano na 1.ª divisão 2021-22. E descem Tondela mais B sad. Dois tombos, aliás. Falamos de duas equipas irredutíveis, sem qualquer despromoção para a 2.ª. De repente, os dois ao mesmo tempo. Salva-se o Moreirense, com play-off de manutenção marcado vs Chaves. E quem sobe? Rio Ave e, tchan tchan tchan tchaaaaaaan, Casa Pia.

Vamos lá por partes. O último fim-de-semana de emoções começa na sexta-feira 13, em Paços, onde o Benfica acaba em beleza com bis do jovem Henrique Araújo durante a primeira parte (0:2). É o adeus de Nélson Veríssimo, cujo balanço à frente do Benfica na ressaca de Jesus é negativo à conta de tão-só 12 vitórias em 25 jogos.

No sábado, a palavra despromoção está na ordem do dia. Três equipas esgrimem argumentos para evitar o adeus imediato e uma agarra-se à tábua do play-off. O B sad, crónico último classificado desta 1.ª divisão 2021-22, pontua em Arouca sem sair do 0:0 e é o primeiro a dizer olá à Liga 2. O Moreirense cedo arranca para a goleada vs Vizela, até porque joga contra dez homens desde o minuto 3 por expulsão de um visitante, e está à espera de um deslize do Tondela em casa, vs Boavista. Convém aqui dizer o nome do treinador boavisteiro: Petit. E convém acrescentar a arte de Petit em sacar o Tondela da mais-que-certa descida à 2.ª em 2016 e ainda 2017.

Ora bem, o Tondela diz sim à 1.ª divisão aos 41 minutos, com 1:0 de Sagnan. Na segunda parte, o 1:1 de Gorré alegra as gentes de Moreira de Cónegos. Aos 77’, João Pedro volta a incluir o Tondela na 1.ª. A quatro minutos do fim, Yusupha empata 2:2 e silencia o Estádio João Cardoso. Quando Artur Soares Dias apita para o fim, os jogadores do Tondela deixam-se cair no relvado, completamente destroçados pelo destino. As lágrimas têm de ser rapidamente substituídas por empenho e abnegação. No próximo domingo, dia 22, há uma final da Taça de Portugal para jogar. O adversário no Jamor é o FC Porto, campeão em título e desejoso da drobradinha.

Por falar nisso, o FC Porto ganha 2:0 vs Estoril no Dragão e confirma-se como o maior campeão de sempre em matéria de pontos. Qualquer coisa como 91 em 102 possíveis. Para além disso, o FC Porto faz-se valer como melhor ataque (86) e defesa menos batida (22). Contas feitas, é o campeão perfeito. E é também rei em casa (47 pontos vs 43 do Sporting) e fora (44 vs 42 do Sporting). Só falta ao FC Porto o título de melhor marcador.

Taremi bem tenta e até chega aos 20 golos. É bom, sim, mas ainda assim insuficiente para chegar a Darwin. O uruguaio marca 26 e é a primeira vez na história da 1.ª divisão que a Bola de Prata é entregue a um jogador do terceiro classificado Benfica. O pódio é completado pelo bracarense Ricardo Horta, com 18 – bom anotar que o Braga só tem um antecedente deste calibre, em 2006, com João Tomás.

Arrumado o dia de sábado, viramos a noite e eis o domingo. De manhã, a decisão dos promovidos da 2.ª divisão. À noite, os dois últimos jogos da 1.ª, já sem história e um dos quais à porta fechada, em Guimarães (5:0 vs europeu Gil Vicente). O interesse é o pacote de jogos iniciados às 11 horas em Vila do Conde e Matosinhos. As emoções duram pouco, já que o Rio Ave marca no primeiro minuto e adianta-se ao Chaves enquanto o Casa Pia dá ao pedal para chegar ao 0:3 antes da meia-hora vs Leixões.

Com o passar do tempo, tanto Rio Ave como Casa Pia acentuam diferenças e festejam a subida à 1.ª. Para o Rio Ave, é a quinta subida – a primeira é a cargo de Félix Mourinho em 1981. Para Luís Freire, o seu actual treinador, é o segundo título de campeão da 2.ª divisão, dois anos após Nacional. Caso sério do nosso jet-set futebolístico pela dupla façanha em tão tenra idade (36 anos). Já o Casa Pia é um ilustre regresso, há muito aguardado. Muito mesmo. Só para vermos a distância, a única experiência do Casa Pia na 1.ª havia sido em 1939, ano da invasão alemã à Polónia para marcar território e iniciar a 2.ª Guerra Mundial.

Verdade seja dita, o Casa Pia é o pior representante da 1.ª divisão de sempre, na tal epopeia em 1938-39, com uma vitória em 14 jogos (vs Barreirense, bis de Ramos Dias, 2:1). De resto, 13 derrotas. Ya, treze. Uma delas é um 10:1 vs Benfica. Outra é um 10:0 vs FC Porto. Curiosamente, Casa Pia e FC Porto têm uma história interessante. Em 1921, um ano antes do arranque da primeira competição oficial a nível nacional em Portugal, há uma combinação entre o campeão de Lisboa e o do Porto para um jogo particular.

É a Taça 27 Julho, conquistada pelo Casa Pia por 2:0. Durante um ano, a título oficioso, o Casa Pia proclama-se primeiro campeão de Portugal. Meses mais tarde, já em Dezembro, a selecção nacional faz o primeiro jogo de sempre, em Madrid, vs Espanha. À falta de um equipamento nacional, chega-se à conclusão de que o preto e branco do campeão Casa Pia é o ideal. E; pronto, Portugal joga de preto. Cortesia Casa Pia, a novidade mais extravagante da 1.ª divisão 2022-23, mais de 85 anos depois.


Conta-me como foi da bola
Efemérides e histórias caricatas do futebol pelo jornalista Rui Miguel Tovar.

Isto das subidas também tem o seu quê de curioso na Alemanha, onde Werder Bremen e Schalke 04 voltam ao convívio dos grandes. Em terceiro lugar, para jogar um play-off de promoção, está o Hamburgo. Dito assim, nada de especial. Acontece que todos os três acumulam títulos internacionais no seu currículo. O Werder Bremen é vencedor da Taça das Taças 1992, precisamente em Lisboa, na Luz, vs Monaco de Rui Barros e Weah. O Schalke 04 levanta a Taça UEFA 1997, vs Inter, nos penáltis. E o Hamburgo é campeão europeu em 1983, vs Juventus, com um golo solitário de Magath a Zoff.

Se Portugal delira com a novidade do Casa Pia, e com inteira razão, o que dizer do fartote alemão? Pura magia.

Resultados da jornada 34:

  • Paços                          0:2             Benfica
  • Tondela                      2:2             Boavista
  • Moreirense                 4:1             Vizela
  • Arouca                        0:0             B sad
  • FC Porto                     2:0             Estoril
  • Marítimo                    0:1             Portimonense
  • Sporting                      4:0             Santa Clara
  • Famalicão                   3:2             Braga
  • Vitória SC                   5:0             Gil Vicente

 Classificação final:

  1. 91 pontos - FC Porto
  2. 85 pontos - Sporting
  3. 74 pontos - Benfica
  4. 65 pontos - Braga
  5. 51 pontos - Gil Vicente
  6. 48 pontos - Vitória SC
  7. 40 pontos - Santa Clara
  8. 39 pontos - Estoril
  9. 39 pontos - Famalicão
  10. 38 pontos - Marítimo
  11. 38 pontos - Paços
  12. 38 pontos - Boavista
  13. 38 pontos - Portimonense
  14. 33 pontos - Vizela
  15. 31 pontos - Arouca
  16. 29 pontos - Moreirense
  17. 28 pontos - Tondela
  18. 26 pontos - B sad

(Autor escreve de acordo com a antiga ortografia.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O FC Porto venceu este domingo sem brilho o Vitória de Setúbal por 2-0, na 31.ª jornada da Liga de futebol, na qual o Boavista garantiu a manutenção e a Académica deu mais um passo para lá chegar.
Vitoria de Setubal's Luis Advincula (L) in action against FC Porto's Ivan Marcano during their First League Soccer match held at Bonfim Stadium in Setubal, Portugal, 03 May 2015. RUI MINDERICO/LUSA