Escolha as suas informações

Hamilton ganha em Monza

Hamilton ganha em Monza

Foto: Reuters
Desporto 2 min. 02.09.2018

Hamilton ganha em Monza

Piloto britânico reforçou a liderança do Mundial de Fórmula 1, numa prova em que, logo na volta inicial, o seu carro e o de Vettel se tocaram, forçando o alemão a ir à box por causa dos danos. Raikkonen e Bottas completaram o pódio.

Lewis Hamilton dilatou a vantagem no comando do Mundial de Fórmula 1 ao vencer, pela quinta vez na carreira, o Grande Prémio de Itália, realizado no circuito de Monza, à frente de Kimi Raikkonen (Ferrari) e de Max Verstappen (Red Bull), mas este foi penalizado com cinco segundos por causa de uma manobra em que o seu carro tocou no de Bottas e o finlandês acabou por ir ao pódio. Na classificação geral, Hamilton comanda com 256 pontos, seguido por Vettel com 226 e por Raikkonen com 164. Nos Construtores lidera a Mercedes (415 pontos), com Ferrari (390) e Red Bull (248) a seguir.

A volta inicial logo deixou sinais de más notícias para a Ferrari, uma vez que, embora Raikkonen defendesse a pole position e assumisse o comando, os carros de Vettel e Hamilton tocaram-se, o do alemão sofreu danos e obrigou-o a deslocar-se à box, deixando-o na última posição da qual iria recuperar até terminar no quarto posto. Hamilton ainda chegou a ultrapassar Raikkonen à quarta volta, mas o finlandês retomou a liderança.

À 21ª volta, Raikkonen trocou os pneus super-macios por macios e deixou Hamilton no comando, enquanto Valtteri Bottas pressionava Max Verstappen (Red Bull) na luta pelo segundo lugar. Pouco depois, o outro Red Bull, pilotado por Daniel Ricciardo, teve de abandonar devido a problemas de motor. Bottas subiu ao segundo lugar com a passagem de Verstappen pela box (volta 27) e liderou, duas voltas mais tarde, quando Hamilton mudou os pneus de mistura super-macia para macia. Kimi Raikkonen ficou então no segundo lugar e Hamilton no terceiro. Na comunicação via rádio, Bottas recebia instruções: "Keep Kimi behind you" (mantém Kimi atrás de ti). Bottas iria trocar de pneus à 36ª volta e Raikkonen retomava a frente, voltando a travar duelo com o britânico.

À medida que a prova avançava, Hamilton pressionava Raikkonen - não ganha uma prova desde a Austrália em 2013 -, percebendo-se que os pneus do Ferrari estavam a degradar-se mais rapidamente do que os do carro de Hamilton. O próprio piloto finlandês deu conta do problema em comunicação via rádio com a box: "I'll try to keep it alive" (tentarei mantê-los vivos). Porém, na volta 44, a nove do final, Lewis Hamilton ultrapassou mesmo Raikkonen e já não deixou o comando. 

"Foi muito difícil, o ambiente do público aqui é sempre complicado, é pena a hostilidade, mas aceito o desafio porque o que me inspira é a bandeira britânica", afirmou Hamilton no final. "De qualquer forma, é uma enorme honra ganhar perante esta multidão e cumprimento a Ferrari, porque valorizou ainda mais a nossa vitória com as dificuldades que nos criaram". 

Quanto a Raikkonen, mais lacónico, sintetizou: "Tínhamos a velocidade, mas os pneus estavam sem qualidade. É difícel aceitar esta derrota, mas tentámos tudo e tivemos um apoio fantástico. Agradeço a todos e lamento que não conseguíssemos a vitória".   

A próxima prova realiza-se em Singapura dentro de duas semanas. 

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Fórmula 1: Hamilton ganha na Alemanha e volta a liderar o Mundial
Dobradinha da Mercedes com Bottas em segundo, mas vitória do britânico esteve sob investigação por causa de uma manobra e a FIA repreendeu o piloto. Raikkonen (Ferrari) foi terceiro num Grande Prémio marcado pela desistência de Vettel que se despistou na volta 52, numa altura em que começou a chover, quando liderava a prova.
Vettel ganha em Silverstone
Piloto alemão da Ferrari dilatou a vantagem no Mundial sobre Hamilton (Mercedes) que foi segundo, seguindo-se Kimi Raikkonen (Ferrari).
Vettel começa época a vencer
Alemão da Ferrari impôs-se na primeira etapa do Mundial de Fórmula 1 que decorreu na Austrália. Hamilton (Mercedes) e Raikkonen, também da Ferrari, completaram o pódio.