Escolha as suas informações

Futsal: Amicale Clervaux goleia Racing e vence Taça do Luxemburgo em jogo histórico
A festa da Amicale após uma vitória brilhante na taça

Futsal: Amicale Clervaux goleia Racing e vence Taça do Luxemburgo em jogo histórico

Foto: Fabrizio Munisso
A festa da Amicale após uma vitória brilhante na taça
Desporto 5 min. 17.04.2017

Futsal: Amicale Clervaux goleia Racing e vence Taça do Luxemburgo em jogo histórico

Com uma estratágia perfeita, a formação de Filipe Pinto 'atropelou' a formação da capital que nunca teve argumentos para contrariar uma equipa de guerreiros.

Com uma estratágia perfeita, a formação de Filipe Pinto 'atropelou' a formação da capital que nunca teve argumentos para contrariar uma equipa de guerreiros que teve um grande guarda-redes e uma dupla de ataque formada por Norberto Ferreira (Guri) e João Silva que marcaram os sete golos e arrasaram um adversário que acabou o jogo em lágrimas.

Por Álvaro Cruz

Nem sempre ganha quem domina ou tem mais posse de bola. Esta verdade do futebol assenta que nem uma luva ao que se passou na maior parte do tempo de jogo desta final. A inteligência táctica, a eficácia e a atitude da Amicale valeu a merecida conquista da taça que vai marcar a história do clube nortista.

Após um início bastante cauteloso por parte de ambas as equipas, foi o remate de João Silva, da Amicale, que abriu verdadeiramente as hostilidades. A partir daí, os nortistas entraram melhor no jogo e Norberto Ferreira (mais conhecido por Guri) aproveitou uma jogada de insistência pela direita e com um toque de calcanhar, em habilidade, inaugurou o marcador.

O Racing acusou o golo, mas a pouco e pouco voltou a controlar o jogo, com maior posse de bola, e poderia ter empatado num cabeceamento de Ramiro Valente que saiu ligeiramente ao lado.

O ’forcing’ do Racing aumentava devido a uma rápida circulação de bola, mas a Amicale defendia bem, com grande disciplina e organização, cabendo a Ramiro Valente desperdiçar uma grande penalidade a castigar a mão de um defesa da Amicale, aos 8 minutos, atirando fraco e ao lado e o marcador não se alterou.

Um Guri que foi também ’guru’

Pouco depois, Admir Agovic, do Racing, após incursão pela esquerda, viu Sérgio Oliveira negar-lhe o golo com uma excelente defesa e como quem não marca acaba por sofrer, foi a Amicale que ampliou o marcador por intermédio de Guri, que após um excelente passe de Rui Almeida, rececionou a bola da melhor forma e desfeiteou o guardião do Racing com um remate subtil.

 O segundo golo da Amicale da autoria de Norberto Ferreira
O segundo golo da Amicale da autoria de Norberto Ferreira
Foto: Fabrizio Munisso

Na resposta, o Racing voltou a criar perigo, mas no contra-ataque os nortistas marcaram o seu terceiro golo por intermédio de João Silva, após primorosa troca de bola com Guri, o verdadeiro ’guru’ da Amicale, que incendiou as bancadas do lado da formação de Clervaux.

Na baliza dos nortistas, Sérgio Oliveira esteve sempre muito atento aos remates e viu o poste direito evitar o golo de Ramiro que parecia certo, muito perto do intervalo.

Uma lição de eficácia por parte da Amicale na segunda parte

Na etapa complementar, foi a Amicale que entrou a marcar volvidos 40 segundos num remate imparável de Guri na marcação de um livre direto e o pavilhão foi ao rubro.

O Racing acusou o golo e esteve à deriva alguns minutos que foram aproveitados pela Amicale Clervaux que continuou fiel ao a seu modelo de jogo e três minutos depois elevou para cinco bolas a zero com o segundo golo de João Silva após excelente combinação com Guri.

André Sério prescindia do guarda-redes Moisés e colocava Ramiro Valente como último homem, em posse de bola, na tentativa de exercer um maior pressing à Amicale, mas os nortistas com um excelente guarda-redes iam resistindo, apesar de  começarem a dar sinais de cansaço.

O Racing aproveitou para reduir para 1-5 graças a um golo infeliz na própria baliza de Vítor Ferreira e pareceu acreditar, Agovic esteve muito perto de fazer o segundo golo que apareceu no minuto seguinte por intermédio de Rafael Valente na conversão de uma grande penalidade.

E a pressão subiu ainda mais por parte da equipa da capital, mas Guri, num boa reposição em jogo do seu guarda-redes, teve nos pés o golo, mas permitiu a defesa a Moisés que entretanto regressara à baliza.

Os minutos foram-se esgotando assim como as esperanças do clube da capital, e num rápido contra-ataque, a quatro minutos do final da partida, João Silva marcou o sexto golo da Amicale e o seu terceiro da conta pessoal igualando Guru em 'hat-tricks'.

Nos minutos finais, o Racing tentou chegar ao golo, mas a maioria das vezes sem discernimento nem capacidade para ultrapassar a bem organizada 'muralha' da Amicale que fechou a contagem com um grande golo de João Silva, que com Guru foram os melhores em campo.

A alegria da Amicale contrastava com as lágrimas e o desapontamento dos jogadores do Racing. Filipe Pinto, treinador da Amicale, exultava de alegria e congratulou-se pela vitória da sua equipa que considerou "histórica". "Estes jogadores deram tudo o que tinham. Tiveram personalidade, talento e acreditaram sempre na vitória. Foram formidáveis", disse.

André Sério, de lágrimas nos olhos, comentoiu a única derrota da sua equipa: "Hoje falhou tudo".

Ficha do jogo

Centro Desportivo Attert, em Bertrange / Espetadores – 1.060

Árbitros: Felix Pereira e Mário Roseiro. 4° árbitro – Jorge Macedo, mesa – Álvaro Neves

Golos: João Silva (4), Norbeto Ferreira (3), para a Amicale Clervaux. Vítor Ferreira na própria baliza e Rafael Valente para o Racing

Amicale Clervaux: 1 – Manuel Lopes (gr), 12 – Sérgio Oliveira (gr), 2 – Bryan Araújo (gr) 3 – Vítor Ferreira, 4 – Rui Almeida, 5 – Tiago Moreira, 8 – Norberto Ferreira, 9 – Luís Oliveira, 10 – António Oliveira (cap.), 11 – João Silva, 13 – Luís Coimbra, 15 – Duarte Pereira.

Treinador – Filipe Pinto

Cartões amarelos – Norberto Ferreira

Racing Luxembourg: 1 – Moisés Valente (gr), 3 – Michel Vaz (gr), 2 – Stéphane Aniceto, 5 – Paulo Coelho, 6 – Michael Pereira (cap.), 8 – Tiago Silva, 9 – Rafael Valente, 10 – Ramiro Valente, 11 – Joe Monteiro, 13 – Admir Agovic, 14 – Brian Lobo, 15 – Daniel Figueiredo.

Treinador – André Sério

Cartões amarelos - Rafael Valente, Siago Silva, Joe Monteiro e Ramiro Valente

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas