Escolha as suas informações

Futebol luxemburguês pode vir a pagar caro fatura da pandemia
Desporto 3 min. 09.04.2020 Do nosso arquivo online

Futebol luxemburguês pode vir a pagar caro fatura da pandemia

Paul Philipp, presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol.

Futebol luxemburguês pode vir a pagar caro fatura da pandemia

Paul Philipp, presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol.
Foto: Ben Majerus
Desporto 3 min. 09.04.2020 Do nosso arquivo online

Futebol luxemburguês pode vir a pagar caro fatura da pandemia

Redação
Redação
Paul Philippe, presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol, espera com impaciência pelo desfecho da próxima reunião da UEFA para avaliar qual as melhores medidas a adotar para o futuro do futebol grão-ducal. O dirigente e antigo selecionador mostra-se cético quanto ao retomar das competições e diz que a maioria dos clubes poderão vir a ter grandes problemas no futuro.

"Temos trocado impressões quase diariamente com a UEFA e a FIFA sobre o atual momento que se vive no futebol, devido à crise sanitária, e não sabemos ainda que medidas vamos tomar para defender da melhor forma possível o futebol luxemburguês e o seu futuro", diz Paul Philipp, presidente da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF).

"Aguardamos com impaciência a próxima reunião por videoconferência que a UEFA vai promover com todas as Federações europeias, a 20 ou 21 deste mês, para debater a situação e tentar encontrar as melhores medidas para os países membros e respetivos campeonatos. Não nos vamos colocar em bicos de pés e exigir medidas sem ouvir o que as várias federações têm para apresentar porque não estamos numa posição privilegiada. Depois, defenderemos a posição que acharmos mais adequada, mas temos consciência de que a situação está muito difícil."

Em entrevista ao Le Quotidien, o principal responsável da FLF mostrou-se cético quanto à realização dos jogos que ainda faltam disputar até ao final desta época e avisa que "é necessário esperar o evoluir da situação nas próximas semanas para se tomar a resolução mais acertada, embora corramos o risco de não agradar a toda a gente."

A pressão aumenta sobre os principais campeonatos europeus, como por exemplo o alemão em que alguns clubes já regressaram aos treinos, ainda que sob fortes medidas de proteção aos jogadores. Para organizar a Liga dos Campeões e a Liga Europa, no que diz respeito a provas internacionais de clubes, o organismo que tutela o futebol europeu vai apresentar várias soluções, às quais o Luxemburgo estará particularmente atento, apesar de ser uma das poucas Liga amadoras.

Segundo uma sondagem realizada pela Liga Luxemburguesa de Futebol, nove clubes da BGL [são 14 no total] mostraram-se a favor de terminar já as competições, enquanto sete pretendem retomar o campeonato assim que seja possível para evitar perdas ainda mais significativas.

"A situação não é fácil. Não é só a Liga BGL que está em causa, são todas as outras divisões. De qualquer forma, segundo aquilo que for determinado - e acredito que várias propostas vão estar em cima da mesa aquando da próxima reunião em Nyon -, tomaremos a nossa decisão sem estarmos preocupados em agradar a toda a gente. Existem leis que teremos de respeitar mediante os estatutos. Sobre os campeões, quem sobe, quem desce e quem vai jogar as barragens, isso ficará determinado conforme os regulamentos", vinca.

A crise que se instalou com o coronavírus ameaça o fechar de portas para alguns clubes profissionais um pouco por toda a Europa. A situação não será tão grave no Luxemburgo, mas a grande maioria também já faz contas à vida. Para Paul Philipp, "se a situação não melhorar nas próximas semanas, a calendarização vai ser muito complicada. Se terminarmos este campeonato em agosto e iniciar o próximo a meio de setembro, não sei como vai ser. Temos de estabelecer um novo prazo para transferências e, para além do mais, muitos contratos terminam em junho. Os jogadores podem não querer prolongar os mesmos com os atuais clubes... há muitas situações que têm de ser avaliadas para se encontrar as melhores soluções", precisa.

No entanto, o presidente da FLF lembra que "ainda estamos no início de abril e temos algum tempo para refletir e encontrar as melhores soluções. Vamos aguardar os próximos dias e esperar que as coisas melhorem, porque caso contrário, vamos todos sofrer as consequências.", conclui. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas