Escolha as suas informações

Futebol / Liga BGL. Desiludido, Paulo Gomes deixa o Mondorf
Paulo Gomes sente-se motivado para abraçar um novo projeto.

Futebol / Liga BGL. Desiludido, Paulo Gomes deixa o Mondorf

Foto: Christian Kemp
Paulo Gomes sente-se motivado para abraçar um novo projeto.
Desporto 2 min. 25.04.2019

Futebol / Liga BGL. Desiludido, Paulo Gomes deixa o Mondorf

O treinador português deixou a formação da cidade termal por sua iniciativa depois de os dirigentes lhe terem comunicado que não iria orientar a equipa na próxima época.

A cinco jornadas do termo da Liga BGL, Paulo Gomes deixou o Mondorf. No 9° lugar da classificação e com a permanência praticamente garantida, o técnico luso mostra-se "desiludido" pelo facto de os dirigentes do clube não terem renovado o seu vínculo, depois de uma época marcada pela qualidade do futebol que o clube tem praticado.

"É verdade que não esperava este desfecho", desabafa. "A equipa tem feito um bom campeonato, praticado um bom futebol - facto reconhecido por muita gente - e como já estava a programar a próxima época, é lógico que fiquei desiludido. Dei sempre o meu melhor em prol do clube e do futebol luxemburguês, mas, infelizmente, aconteceu. É assim a vida... tenho de seguir em frente e esperar por um novo projeto", resume.

O Mondorf cometeu a proeza de ter derrotado os cinco atuais primeiros classificados do campeonato. Um feito que para Paulo Gomes "muita gente parece ignorar". "Não foi demérito dos adversários, mas sim mérito da equipa", recorda. "Acho que até ao final do campeonato poderíamos bater o recorde de vitórias do clube na Liga BGL e subir mais uns lugares na tabela classificativa, mas, infelizmente, não me deixaram", lamenta.

Sobre a competitividade da Liga BGL, o treinador luso foi perentório: "Este campeonato ficou marcado pelo facto de os primeiros classificados terem perdido mais pontos do que nos anos precedentes e para isso muito contribuiu o facto de as equipas consideradas teoricamente mais fracas terem, com os meios que dispõem, defrontado os chamados 'grandes' olhos nos olhos, nomeadamente o Mondorf que possui um orçamento bastante inferior", vinca.

Profissionalizar a Liga BGL "é importante" para o treinador luso, com especial destaque para as estruturas dos clubes. "No Luxemburgo há muitos dirigentes que necessitam de uma formação adequada, à imagem de outros países que têm evoluído porque colocaram nesses cargos ex-jogadores experientes e qualificados que passaram pelo futebol profissional de topo, ao contrário de gente que pouco ou nada percebe do assunto", diz.

Quanto o futuro, Paulo Gomes garante que vai "descansar" nas próximas semanas, porque "o futebol consome muita energia e a saúde também". No entanto, diz que se sente motivado para "um novo desafio" a partir da próxima época. 

Arno Bonvini, treinador que Paulo Gomes tinha substituído no início da época e que foi recentemente afastado do comando FC Differdange vai regressar ao Mondorf para ocupar o lugar deixado vago pelo treinador português.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

O passo em frente do futebol luxemburguês
Os recentes resultados da seleção nacional e dos principais clubes nas competições europeias proporcionaram outra visibilidade internacional ao futebol luxemburguês. O presidente da Federação e vários treinadores lusos analisam como a Liga das Nações pode também enquadrar-se nesse contexto.
O empate entre o Luxemburgo e a França foi um dos grandes resultados dos 'leões vermelhos'.
Após dez anos de sucessos: José Gonçalves: “Saio triste mas de consciência tranquila”
Depois de uma década ao leme do Kayl/Tétange, que levou das divisões mais baixas à Liga BGL, José Gonçalves vive os últimos dias como presidente do clube do coração. Estava disposto a continuar por mais dois anos, mas diz que não reconheceram o seu trabalho. Apesar de convidado para integrar os quadros da FLF e outros clubes da elite, ainda não tomou uma decisão, mas garante que fica no futebol.