Escolha as suas informações

Força dos adeptos deixa Superliga moribunda antes de nascer
Desporto 2 min. 21.04.2021

Força dos adeptos deixa Superliga moribunda antes de nascer

Força dos adeptos deixa Superliga moribunda antes de nascer

Foto: AFP
Desporto 2 min. 21.04.2021

Força dos adeptos deixa Superliga moribunda antes de nascer

Nas últimas horas, Manchester City, Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Liverpool, Atlético Madrid e Inter abandonaram o projeto.

Com profundas raízes populares, os adeptos acabam de levantar uma lápide sobre a última tentativa de criar na Europa uma competição exclusiva para alguns dos clubes mais poderosos do mundo. Moribunda mesmo antes de nascer, a Superliga vai ficar para a história como um projeto das elites posto em xeque pela sua ambição de ser exclusivo.

Os gestores que lançaram a Superliga até podem ter achado que era um filão que faria disparar os lucros dos clubes que nela participassem mas esqueceram-se que o elitismo do projeto podia desencadear a fúria popular. Houve vários treinadores e jogadores que foram a voz dessa revolta. Pep Guardiola, treinador do Manchester City e eterno rebelde, questionou publicamente a decisão do clube na terça-feira. "Um desporto não é um desporto quando não há relação entre esforço e recompensa; quando o sucesso é garantido apenas a alguns, que não se importam em perder". 

Apesar de a realidade ser teimosa, e o futebol ser o negócio de poucos, o sonho persiste entre os adeptos de que é possível ver um David vencer um Golias. É a magia dos tomba gigantes, fenómeno que em Portugal costuma ter lugar na Taça de Portugal. A ideia da Superliga negava aos adeptos e aos clubes menos poderosos o sonho de serem eles David.

Mas mesmo entre os poderosos, como o Chelsea, a ideia abriu brechas e na terça-feira havia mil adeptos à porta de Stamford Bridge pouco antes do jogo contra o Brighton. "Criado pelos pobres, roubado pelos ricos" é já o grito desta guerra e está marcado em faixas e bandeiras de quem rejeita a Superliga. Os adeptos entraram em júbilo com a notícia de que a direção do clube estava a preparar os documentos legais para anunciar a saída do projeto. Então a cerveja e os cânticos de vitória subiram de tom quando se soube que também o Manchester City estava a pensar abandonar a Superliga.

"Nunca foi nossa intenção causar tanta perturbação (...). Depois de ouvirmos a comunidade futebolística nos últimos dias, decidimos retirar-nos da Superliga. Cometemos um erro e pedimos desculpa por isso", pode ler-se na declaração do Chelsea. O dono do Liverpool, John Henry, fez um vídeo em que pediu desculpa aos adeptos: "Quero pedir desculpa a todos os sócios e adeptos do Liverpool Football Club pela perturbação causada nas últimas 48 horas". 

Nas últimas horas, Manchester City, Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Liverpool, Atlético Madrid e Inter abandonaram o projeto. Só sobram quatro equipas: Real Madrid, Barcelona, Juventus e AC Milan.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Superliga. Árbitros portugueses não estão disponíveis
Os árbitros portugueses não estão disponíveis para arbitrar jogos da Superliga europeia, disse esta terça-feira o presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), advertindo que quem o fizer será “por sua conta e risco”.