Escolha as suas informações

Euro2020. Cristiano Ronaldo "muito feliz" pelo "bom momento" da seleção
Desporto 11.09.2019

Euro2020. Cristiano Ronaldo "muito feliz" pelo "bom momento" da seleção

Euro2020. Cristiano Ronaldo "muito feliz" pelo "bom momento" da seleção

Foto: AFP
Desporto 11.09.2019

Euro2020. Cristiano Ronaldo "muito feliz" pelo "bom momento" da seleção

Segundo o avançado luso, Portugal já fez o mais difícil, com duas vitórias nesta jornada dupla, depois de ter começado a qualificação da pior forma, com empates caseiros face à Ucrânia, a zero, e à Sérvia, a um golo.

O futebolista português Cristiano Ronaldo mostrou-se esta terça-feira “muito feliz” pelo “bom momento” da seleção portuguesa, num dia em que contribuiu com quatro golos para a goleada na Lituânia (5-1), na corrida ao Euro2020.

“Para mim, é um orgulho representar a seleção. Estamos a passar por um bom momento, eu estou a passar por um bom momento, a equipa esteve bastante bem hoje, como esteve também frente à Sérvia”, disse o capitão da seleção lusa.

O jogador da Juventus conseguiu o seu segundo "póquer" por Portugal, com golos aos sete 62, 65 e 68 minutos, o primeiro de grande penalidade, passando a contar 93 pela principal seleção das "quinas", que já representou 160 vezes.

“Desfrutar deste momento, não só por ter marcado os golos, mas por ver o nível que a equipa tem demonstrado nos últimos anos. Estou muito feliz por isso”, frisou Ronaldo, que, no sábado, já tinha faturado, uma vez, no 4-2 na Sérvia.

Segundo o avançado luso, de 34 anos, Portugal já fez o mais difícil, com duas vitórias nesta jornada dupla, depois de ter começado a qualificação da pior forma, com empates caseiros face à Ucrânia, a zero, e à Sérvia, a um golo.

“Acho que o mais difícil foi feito, que era ganhar na Sérvia. Hoje, também, por isso estamos mais perto [do apuramento]. Se ganharmos mais um dos jogos [que faltam] já é suficiente”, afirmou o ‘7’ luso, que acabou substituído aos 79 minutos.

Ronaldo, que já eleito por cinco vezes o melhor jogador do mundo, é candidato, mais uma vez ao ‘The Best’ da FIFA, mas deixou claro que os prémios individuais não são o mais importante.

“Como digo sempre, não vivo o futebol pensando nos prémios individuais, mas obviamente que isso é uma consequência daquilo que ganhamos coletivamente. É bom, não vou mentir, mas não penso nisso. O importante era ajudar a seleção. Estou muito feliz e o que mais quero é continuar assim”, finalizou.

Lusa


Notícias relacionadas