Escolha as suas informações

Euro sub-21. “Dany Mota, marca lá mais golos hoje para ajudares Portugal a chegar à final”, pede irmão
Desporto 6 1 5 min. 03.06.2021

Euro sub-21. “Dany Mota, marca lá mais golos hoje para ajudares Portugal a chegar à final”, pede irmão

Euro sub-21. “Dany Mota, marca lá mais golos hoje para ajudares Portugal a chegar à final”, pede irmão

Foto: EPA
Desporto 6 1 5 min. 03.06.2021

Euro sub-21. “Dany Mota, marca lá mais golos hoje para ajudares Portugal a chegar à final”, pede irmão

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Em Pétange, vão estar "todos a torcer” pelo Dany Mota, ali criado, e pela seleção “fantástica” na meia-final do Europeu com Espanha, desta tarde. “A minha mãe é quem sofre mais”, conta ao Contacto Renato Mota, irmão do luso-luxemburguês.

Esta quinta-feira, dia 3, é um dia de “emoções fortes”, muitos nervos, fé e esperança, para a família de Dany Mota, amigos, e todos quantos o viram crescer em Pétange, onde o futebolista luso-luxemburguês viveu, antes de se mudar para Itália para jogar, com apenas 16 anos.

É dia dos portugueses do Luxemburgo se juntarem, em família ou nos cafés, para assistir à meia-final do Europeu de futebol Sub-21, em que a seleção portuguesa, com Dany Mota, vai defrontar Espanha, pelas 17h00 na Eslovénia, 18h00 no Luxemburgo. Se Portugal vencer passa à final e pode ser campeão do Europeu de futebol sub-21.

“Dany marca lá mais um golo ou mais para ajudares a seleção portuguesa a chegar à final. Seja de bicicleta, de cabeça, de calcanhar, tanto faz, desde que a bola entre no fundo na baliza é o que interessa. E ajudar a ganhar”, pede Renato Mota, de 27 anos, ao irmão Dany Mota, através do Contacto.

Dany e Renato Mota, dois irmãos muito unidos.
Dany e Renato Mota, dois irmãos muito unidos.
D.R.

“Eu digo sempre que primeiro está a seleção, a equipa, depois está o Dany, mas claro que adorava que ele marcasse golos ou fizesse assistências para golos e voltasse a destacar-se”, confessa o jogador de futsal do FC Differdange 03, um dos dois irmãos do futebolista de 23 anos da seleção das quinas de sub-21.

Todos com camisolas do Dany

Como sempre, antes do jogo, Renato Mota vai trocar mensagens ou falar com o irmão e transmitir-lhe força. “Costumo picá-lo, mas com boa disposição. Digo-lhe coisas na brincadeira, como tens de marcar, se não marcares fica de fora no próximo. Falamos sempre, antes e depois dos jogos, somos muito unidos”, diz ao Contacto este luso-luxemburguês que vai ver o jogo com amigos num café de Pétange.

“Eu e os meus amigos vamos estar ‘equipados’ com a camisola da seleção ou outros equipamentos dos clubes do meu irmão, ou do italiano Monza onde está, ou de outros antigos. Uma mistura de tudo, com o nome dele nas costas, já está tudo combinado”, confessa Renato Mota.

“Aqui em Pétange, os cafés vão estar cheios de portugueses a assistir ao jogo. E hoje vamos conseguir ver a partida toda, antes do recolher obrigatório. Aqui todos conhecem o meu irmão, estamos todos a torcer por ele. É um jogo muito importante”.

Afinal, “além de ser a nossa seleção portuguesa, está lá o Dany, um miúdo que saiu do Luxemburgo e agora está ali com a camisola da seleção a cantar o hino nacional português. É incrível”.

Dany Mota (à direita) com os pais e os irmãos
Dany Mota (à direita) com os pais e os irmãos
D.R.

A fé da mãe Conceição

Os pais do jogador luso-luxemburguês, José Ramiro e Conceição Mota, vão assistir ao jogo em casa, provavelmente com Rui Mota, o filho mais velho. “A minha mãe é quem sofre mais. Ela tem muita fé e reza. A partir do momento em que o Dany entra em campo e canta o hino começa a emoção. O meu pai é mais calmo, até porque percebe mais de futebol e é uma pessoa positiva”, revela Renato Mota.

 A grande exibição de Dany Mota no último jogo com Itália, em que assinou dois golos e o primeiro de bicicleta, foram destaque na imprensa portuguesa e do Luxemburgo. “Fiquei muito feliz. Foi muito bom. Gostava que ele esta tarde voltasse a marcar, que fosse o melhor marcador da seleção portuguesa”, assume o irmão mais velho. Dany é o filho mais novo, e Renato o do meio, sendo Rui Mota o primogénito.

O irmão do meio ficou muito orgulhoso com o desempenho de Dany Mota no jogo contra Itália: “Estar na seleção e mostrar as suas qualidades é uma boa oportunidade para ele. Estes jogos são vistos por diretores, presidentes e treinadores de clubes que o podem vir a chamar”.

Golo de bicicleta: uma "especialidade" 

O espetacular golo de bicicleta de Dany Mota no último jogo, com a selecção italiana, tão falado pelo mundo, não é uma novidade para Renato Mota. “A bicicleta, como outros lances acrobáticos, são uma especialidade do meu irmão. Já com 12, 15 anos de idade, aqui nos campos sintéticos do Luxemburgo ele fazia a bicicleta e nós ficávamos impressionados. Ele tem treinado sempre a bicicleta. Agora ali, no jogo da seleção foi fantástico. Saiu-lhe de repente, foi natural e a forma de conseguir marcar, naquela situação”, salienta orgulhoso o irmão.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Após o jogo com Itália, em que Dany bisou no marcador, e Portugal ganhou por 5-3, os dois irmãos ficaram a trocar mensagens até “às 02h00 ou três 03h00 da madrugada”. “Só mais tarde eu e o Dany nos apercebemos do impacto daquele golo”. Esta noite, após o jogo, Renato e Dany vão analisar os dois a prestação do futebolista, como sempre fazem. Como estão longe terá de ser por telefone, normalmente através de mensagens.

Jonathan Moscrop/CSM via ZUMA Wi

"Força Dany, força seleção"

A seleção portuguesa sub-21 tem sido uma grande e boa aventura para o futebolista luso-luxemburguês. “Ele conta-me que o ambiente é muito bom, entre eles, que se ajudam muito. Esta é uma equipa fantástica de jogadores. Estou a torcer muito pela vitória de hoje, para irmos à final. Acho mesmo que se formos à final ganhamos o Europeu”, quer acreditar Renato Mota.


O sonho português que um miúdo do Luxemburgo pode realizar hoje
Dany Mota nasceu no Luxemburgo, tem Cristiano Ronaldo como ídolo, e desde pequeno que sonha com a seleção portuguesa. Hoje, o jogador da Juventus pode estrear-se nos sub-21 com a camisola das quinas. A família explica o que ele andou para aqui chegar.

Cauteloso, o jogador de futsal realça que ainda falta ganhar hoje. “Acho que vai ser 50-50 de oportunidades de passar. A seleção de Espanha é uma forte candidata, mas Portugal também é. Penso que o jogo de hoje pode ser mais difícil do que com Itália, mas vamos acreditar e ter esperança”.

“Se passarmos, sei lá, ainda perco a cabeça e vou à Eslovénia assistir à final, que é num fim de semana. Adorava estar lá, mas não pude ir por compromissos e o meu trabalho aqui. Mas se a seleção ganhar hoje, ainda faço uma loucura”, diz a rir.

“Força Dany, força seleção, vamos lá ganhar”, pede Renato Mota, pedem os portugueses de Pétange, do Luxemburgo, de Portugal e espalhados pelo mundo.


Dany Mota.
Sub-21. Portugal vence a Itália em noite de destaque para Dany Mota
O avançado luso-luxemburguês marcou dois golos. Vitória portuguesa por 5-3 foi decidida no prolongamento.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Não faltaram golos, passes decisivos e jogadas espetaculares que atestam a qualidade técnica e tática de alguns dos recém-chegados reforços ao campeonato luxemburguês de futsal. A prova promete tornar-se mais atraente e competitiva.
João Guerrinha, à esquerda, felicitado pelos colegas do Racing após os dois marcados frente à US Esch, no domingo.