Escolha as suas informações

Dinamarca vs Inglaterra. Levem lá o Schmeichel à final
Desporto 2 min. 08.07.2021
Euro 2020

Dinamarca vs Inglaterra. Levem lá o Schmeichel à final

Euro 2020

Dinamarca vs Inglaterra. Levem lá o Schmeichel à final

Foto: Mike Egerton/PA Wire/dpa
Desporto 2 min. 08.07.2021
Euro 2020

Dinamarca vs Inglaterra. Levem lá o Schmeichel à final

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Guarda-redes dinamarquês defende quase tudo, menos o autogolo e a recarga do penálti de Kane.

História das meias-finais no Euro: Dinamarca 4, Inglaterra 3. História de finais do Euro: Dinamarca 1, Inglaterra 0. História da fase de qualificação para este Europeu: Dinamarca invicta, Inglaterra uma derrota. Na história entre as duas selecções, a Dinamarca é superior. No campo, a Inglaterra chama a si o protagonismo e faz valer o factor casa de Wembley para selar a final vs Itália, no domingo.

 É uma meia-final dos zero aos cem, jogada com muito fervor. Tanto Inglaterra como Dinamarca começam hesitantes e só desbobinam o seu futebol a partir do momento em que Damsgaard mexe o marcador, aos 30 minutos, na transformação de um livre directo. Senhoras e senhores, é o primeiro golo deste tipo no Euro. I-n-a-c-r-e-d-i-t-á-v-e-l. A Inglaterra sente o golpe? No way. Puxada pelo seu público, os ingleses crescem e metem o turbo. Nem dez minutos depois e eis o empate, pelo capitão Kjaer. É o 10.º autogolo deste Euro. Repetimo-nos com propriedade: i-n-a-c-r-e-d-i-t-á-v-e-l.

 O intervalo chega com aparente tranquilidade, é só o terceiro 1:1 em 32 jogos, o segundo em Wembley (1996, Inglaterra vs Alemanha) (o outro é em 2008 entre Alemanha e Turquia). Na segunda parte, a Dinamarca pressiona alto durante 15 minutos e depois desliga-se. Por completo. Pickford passa a ser um espectador mais, enquanto Schmeichel assume a figura de melhor em campo. É dele uma defesa impossível todo no ar a um cabeceamento de Maguire, digna de uma fotografia célebre do pai Peter nos tempos do Man United. É dele uma defesa a uma bola rasteira rematada por Kane. E é dele a defesa do penálti apontado por Kane, já no prolongamento. Só que aqui a defesa incompleta é devidamente aproveitada por Kane para uma recarga triunfante. É o 2:1 num período em que a Dinamarca nem pernas tem para passar o meio-campo. 

O seleccionador Southgate tira então Grealish e inclui Trippier para passar a defender com três centrais. O objectivo é convidar a Dinamarca para o seu meio-campo e jogar no contra-ataque. Os dinamarqueses ainda fazem um esforço pelo empate, num remate enrolado de Braithwaite repelido para canto por Pickford, e nada mais. De resto, os minutos passam e os ingleses limitam-se a trocar a bola perto da linha de fundo, longe da danger zone. Quando Makkelie apita para o fim, a Inglaterra rejubila com a segunda final da sua história, após a do Mundial-66, ganha precisamente em Wembley, e Schmeichel é coroado o herói do jogo.

Pela frente, só mais um jogo, de novo em Wembley, entre Itália e Inglaterra, curiosamente entre dois primeiros classificados da fase de grupos. A última vez de um episódio assim é de 1984, entre Espanha e França. 

Em Wembley, com o holandês Makkelie no apito

INGLATERRA Pickford; Walker, Stones, Maguire e Shaw; Phillips e Rice (Henderson 95); Saka (Grealish 69) (Trippier 106), Mount (Foden 95) e Sterling; Kane (cap)

Seleccionador Gareth Southgate (inglês)

DINAMARCA Schmeichel; Christensen (Andersen 79), Kjäer (cap) e Vestergaard (Wind 105); Larsen (Wass 67), Höjbjerg, Delaney (Jensen 88) e Maehle; Braithwaite, Dolberg (Nörgaard 67) e Damsgaard (Poulsen 67)

Seleccionador Kasper Hjulmand (dinamarqués)

Marcadores 0:1 Damsgaard (30); 1:1 Kjaer (39 pb) 2:1 Kane (104)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas