Escolha as suas informações

Em Mondercange: José Fontelas 'apadrinha' entrega das insignias FIFA a árbitros portugueses
Desporto 9 2 min. 15.01.2017

Em Mondercange: José Fontelas 'apadrinha' entrega das insignias FIFA a árbitros portugueses

José Fontelas Gomes, presidente do Conselho da Arbitragem portuguesa, esteve este sábado no Grão-Ducado, na sede Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF), em Mondercange, para orientar uma formação ao quadro de árbitros de elite e 'apadrinhou' a entrega das insígnias FIFA aos nove internacionais dos quadros da FLF.

José Fontelas Gomes, presidente do Conselho da Arbitragem portuguesa, esteve este sábado no Grão-Ducado, na sede Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF), em Mondercange, para orientar uma formação ao quadro de árbitros de elite e 'apadrinhou' a entrega das insígnias FIFA  aos nove internacionais dos quadros da FLF.

O antigo presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) deslocou-se ao Luxemburgo a convite do homólogo da federação grã-ducal, Charles Schaack, e concedeu uma entrevista ao Contacto.

Depois da cerimónia de entrega das insígnias FIFA aos árbitros e assitentes internacionais do quadro da FLF, entre os quais se destacaram a portuguesa Tânia Morais, única árbitra FIFA no Luxemburgo, Daniel da Costa, Joaquim da Silva a David Santos, árbitros assistentes.

O responsável da arbitragem lusa congratulou-se por ter estado junto de "alguns dos melhores árbitros do Grão-Ducado, muitos deles portugueses e lusodescendentes", na sua opinião, "prova inequívoca de que os portugueses são bons em tudo o que fazem, nomeadamente no futebol além fronteiras".

"Tenho conhecimento, pelas conversas com Charles Schaack, que existe um grande número (mais de um terço do total) de árbitros portugueses no seio da arbitragem no Luxemburgo, além de jogadores e treinadores, o que no meu entender é bastante significativo. Pela troca de impressões que tive com os árbitros e dirigentes durante a formação, notei que está a ser feito um trabalho importante para elevar o nível da arbitragem no Luxemburgo, o que é muito positivo".

Instado a comentar a arbitragem entre os dois países, José Fontelas, vincou que "é bastante diferente, até porque no Luxemburgo existem à volta de 230 árbitros e em Portugal são cerda de 4.000. O nível dos campeonatos e competições também é diferente, mas sei que aqui existem bons árbitros, alguns com capacidade para apitarem bem nas provas internacionais e alguns deles foram distinguidos, hoje, com todo o mérito", sublinhou.

Sobre o momento conturbado e as polémicas em torno da arbitragem em Portugal que ultimamente têm suscitado manifestações de desagrado por parte de Sporting e FC Porto, o  presidente do Conselho da Arbitragem portuguesa escusou-se a prestar declarações, vincando, no entanto, que "estamos todos empenhados em trabalhar para que a arbitragem seja cada vez  melhor, porque essa é a nossa maior preocupação".

Charles Schaack também se congratulou pela presença de José Fontelas no Luxemburgo, que considerou "um amigo".

"A presença do presidente José Fontelas nesta formação em Mondercange foi bastante importante. Temos excelentes relações com a Federação Portuguesa de Futebol e com o Conselho da Arbitragem portuguesa, com o qual estamos a trabalhar em conjunto, com grande empenhamento, na preparação de um estágio que os nossos árbitros vão efetuar em Espinho, de 26 a 29 de Janeiro, e que será bastante benéfico para os nossos jovens internacionais, já que vão ter contacto com o futebol profissional e uma realidade diferente da nossa".

Sobre o grande número de árbitros portugueses no seio da arbitragem luxemburguesa, Charles Schaack lembrou que "no cômputo geral do futebol no Luxemburgo, o número de jogadores e árbitros portugueses é bastante significativo, tal como a própria comunidade, e bastante importante para o seu desenvolvimento no Grão-Ducado, disso ninguém tem dúvidas", concluiu.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Futsal: Portugueses reclamam mais apoio à federação
O futsal é a modalidade preferida dos portugueses no Luxemburgo, cujo campeonato é dominado por jogadores, treinadores e dirigentes lusos, sem esquecer o grande número de árbitros. A falta de apoio por parte da Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF), que tutela a competição, o nível da arbitragem e a falta de pavilhões geram críticas por parte dos responsáveis dos clubes que querem ver a competição continuar a crescer.