Escolha as suas informações

Emídio Guerreiro dá voto de confiança às federações na preparação para o Rio2016
Desporto 2 min. 02.09.2015 Do nosso arquivo online
Jogos Olímpicos

Emídio Guerreiro dá voto de confiança às federações na preparação para o Rio2016

Emídio Guerreiro acredita os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro vão constituir um momento alto para o desporto português
Jogos Olímpicos

Emídio Guerreiro dá voto de confiança às federações na preparação para o Rio2016

Emídio Guerreiro acredita os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro vão constituir um momento alto para o desporto português
Foto: Á. Cruz
Desporto 2 min. 02.09.2015 Do nosso arquivo online
Jogos Olímpicos

Emídio Guerreiro dá voto de confiança às federações na preparação para o Rio2016

O secretário de Estado do Desporto e Juventude mostrou esta quarta-feira confiança no trabalho das federações na preparação para os Jogos Olímpicos do Rio2016, assegurando não se sentir desiludido com os resultados obtidos nos Mundiais de atletismo e judo.

O secretário de Estado do Desporto e Juventude mostrou esta quarta-feira confiança no trabalho das federações na preparação para os Jogos Olímpicos do Rio2016, assegurando não se sentir desiludido com os resultados obtidos nos Mundiais de atletismo e judo.

"Este Governo, comigo, delegou a gestão desportiva olímpica no Comité Olímpico e nas federações e não tenho registo de alguma vez se ter feito uma manifestação pública de alguém ligado ao Governo no sentido de pressionar para a existência de resultados", afirmou Emídio Guerreiro.

À margem da apresentação da Semana Europeia do Desporto, que vai decorrer em Lisboa entre 07 e 13 de Setembro, o governante enalteceu a importância de "as federações fazerem o trabalho de reflexão e análise”, salientando o seu "voto de confiança. Não tenho de ficar desiludido [com os resultados]", frisou, reconhecendo que os atletas lusos têm praticamente um ano para preparar os Jogos Olímpicos, que vão ser disputados no Brasil, onde espera que se alcancem bons resultados.

"Temos tido prestações fantásticas, como por exemplo os Jogos Europeus de Baku. Tivemos resultados fantásticos, conseguimos apuramentos para os Jogos Olímpicos como não tivemos no passado, por isso temos um ano de trabalho para que tenhamos bons resultados nos Jogos, que vão ser um momento alto para o desporto português e nos vão encher de orgulho. Temos bons exemplos para dizer é possível", salientou.

Emídio Guerreiro reconheceu ter acompanhado os combates de Telma Monteiro nos Mundiais de judo, nos quais, na sua opinião, a atleta foi eliminada de forma injusta. "Nós gostamos de ganhar sempre, vi os combates da Telma Monteiro, e vi claramente pela cara dela que não tinha havido falta nenhuma, mas é o que é, às vezes corre bem, às vezes corre mal. Quem pratica desporto sabe que há dias em que tudo sai bem, outros em que as coisas são feitas da mesma forma e sai menos bem, é preciso é que haja um clima de confiança, positivo, e isso existe", reiterou.

Na apresentação da iniciativa, que decorreu no Museu Nacional do Desporto, também marcou presença o embaixador da iniciativa Nuno Delgado, chefe de equipa técnica da Federação Portuguesa de Judo, que assumiu o falhanço dos objetivos nos Mundiais.

"Obviamente que não atingimos os objectivos que tínhamos apontado, é verdade que aconteceu uma situação insólita, que não podemos treinar, tendo a nossa principal atleta sido afastada da prova, por uma desclassificação técnica com que não concordamos", explicou.

Contudo, Nuno Delgado destacou que a qualificação olímpica dos atletas "ficou salvaguardada", com nove atletas com possibilidade de se qualificarem para o Rio2016.

"A qualificação olímpica ficou salvaguarda, neste momento temos oito atletas dentro do apuramento olímpico e temos também mais um atleta, o Diogo Lima, que também está com pontuação nessa fasquia. No fundo, temos nove atletas que estão dentro dos qualificáveis e isso é algo inédito e um indicador positivo", disse.


Notícias relacionadas

Os Jogos Olímpicos quase se incluiam nas baixas da Primeira Guerra Mundial. As Olimpíadas de 1916, previstas para Berlim, foram obviamente anuladas. De Estocolmo tinha ficado uma discussão sobre o amadorismo e um estranho mistério por resolver. Para outras núpcias.
A comitiva portuguesa foi a segunda maior de sempre em Jogos Olímpicos, mas só trouxe na bagagem uma medalha de bronze, que Telma Monteiro conquistou no judo. Uma desilusão que o próprio presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, assumiu, face às expectativas geradas em torno da qualidade dos atletas lusos.
Telma Monteiro beija a única medalha portuguesa conquistada no judo