Escolha as suas informações

em 2015: CR7 é o 'rei' dos goleadores do maior clube do Mundo
Cristiano Ronaldo é uma máquina de marcar golos

em 2015: CR7 é o 'rei' dos goleadores do maior clube do Mundo

Foto: REUTERS
Cristiano Ronaldo é uma máquina de marcar golos
Desporto 2 min. 17.12.2015

em 2015: CR7 é o 'rei' dos goleadores do maior clube do Mundo

Cristiano Ronaldo tornou-se em 2015 o melhor marcador daquele que é considerado o maior clube do Mundo, o Real Madrid, mais um feito ímpar na carreira do capitão da selecção portuguesa de futebol.

Cristiano Ronaldo tornou-se em 2015 o melhor marcador daquele que é considerado o maior clube do Mundo, o Real Madrid, mais um feito ímpar na carreira do capitão da selecção portuguesa de futebol.

Em apenas 308 encontros, o jogador de 30 anos, nascido no Funchal a 05 de fevereiro de 1985, conseguiu chegar aos 324 golos pelos ‘merengues’ (já vai em 336), mais um do que a ‘lenda viva’ Raúl González conseguiu em 741 jogos. Alfredo Di Stéfano ficou-se pelos 307 (396 jogos).

Em 2015, e com dois encontros por disputar, Ronaldo também já superou pelo quinto ano consecutivo a barreira dos 50 tentos, parte aproveitados para arrebatar uma quarta Bota de Ouro, outro feito inédito na história do futebol.

CR7 logrou o quarto troféu de melhor marcador dos campeonatos europeus ao apontar 48 golos na edição 2014/15 da Liga espanhola, prova em que ascendeu ao terceiro lugar dos melhores marcadores de sempre (226 golos, em 214 jogos).

Na 'Champions', o português também fez história, com um recorde de 11 golos numa fase de grupos (2015/16), rumo a uma quinta 'coroa' – quarta consecutiva - de melhor marcador.

Com mais este registo ímpar, Ronaldo deixou o argentino Lionel Messi para trás e destacou-se na liderança dos melhores marcadores da história da principal prova de clubes e das competições europeias.

Pela selecção, o capitão luso marcou apenas três golos - valeram o triunfo na Arménia (3-2), a fechar a época passada, em cinco jogos -, contribuindo para a qualificação para o Europeu de 2016.

O apuramento para aquele que poderá ser o seu último Europeu – terá 35 anos em 2020 – foi, porém, o único feito colectivo do ano.

Em matéria de títulos, 2015 foi uma ‘página em branco’ para Cristiano Ronaldo, algo que tem acontecido ‘demasiadas’ vezes desde que, no defeso de 2009, mudou do Manchester United para o Real Madrid, em troca de 94 milhões de euros.

Em 2015, foi, uma vez mais, o ano do rival, o FC Barcelona, que alicerçado num 'trio maravilha', composto por Lionel Messi, Neymar e Luis Suárez, venceu a Liga dos Campeões, a Liga espanhola e a Taça do Rei, em 2014/15.

Na presente época, o Barcelona já ganhou a Supertaça Europeia, às custas do Sevilha, bicampeão em título da Liga Europa.

Por isso, e sobretudo porque Messi regressou ao seu melhor nível, que é inalcançável para qualquer outro jogador, o internacional luso vai ter de ceder, no início do próximo ano, o título de melhor jogador do Mundo.

A quarta ‘Bola de Ouro’ que prometeu quando, no início do ano, recebeu a terceira, vai ter de esperar, pois é quase certo que a mesma será entregue – pela quinta vez – a Messi, já eleito o melhor da Europa e da Liga espanhola.

Cristiano Ronaldo está, como habitualmente, no 'top 3' da 'Bola de Ouro', junto com Messi e Neymar, mas dificilmente repetirá o prémio arrebatado nas duas últimas edições e em 2008, quando ainda actuava no Manchester United.

O Real Madrid só venceu um de seis campeonatos na 'era Cristiano Ronaldo' e não está bem encaminhado para somar um segundo, em sete, pois, volvidas 15 jornadas, os 'merengues' seguem a cinco pontos de FC Barcelona e Atlético de Madrid.


Notícias relacionadas