Escolha as suas informações

“É hoje que o Sporting vai ser campeão” e há festa no Luxemburgo
Desporto 5 min. 11.05.2021

“É hoje que o Sporting vai ser campeão” e há festa no Luxemburgo

“É hoje que o Sporting vai ser campeão” e há festa no Luxemburgo

Foto: DR
Desporto 5 min. 11.05.2021

“É hoje que o Sporting vai ser campeão” e há festa no Luxemburgo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
À frente do Núcleo do Sporting em Differdange são esperados muitos adeptos para seguir o jogo desta noite pela rádio, devido às restrições. Mas nem a pandemia vai impedir os festejos "com regras" dos campeões. Esta tarde já estavam equipados.

“Só eu sei porque não fico em casa…”. Este hino do Sporting ganha esta noite um significado muito maior para os seus adeptos, nomeadamente para os sportinguistas do Luxemburgo. E nem a pandemia os vai impedir de se emocionar e festejar juntos, “mas com regras”, o título de campeão português de futebol, uma sensação que não vivem há 19 anos. A celebração na rua tem de ser feita antes do final do jogo, devido ao recolher obrigatório.

A meio da tarde, no café da prima, Juliana Lima já estava equipada e pronta para o grande jogo desta noite do seu clube do coração, a partida que dará já a taça ao Sporting, diz confiante.

“Hoje vamos ser campeões de Portugal”, declara esta sportinguista, ansiosa por quebrar o jejum de 19 anos. “E já estou a começar a festa”, admite a rir, feliz. A mesma convicção mostra José Fernandes presidente do Núcleo do Sporting de Differdange e o jovem Lucas Rodrigues Antunes, de 18 anos. Também este filho de emigrantes portugueses, estudante e atual guarda-redes do Avenir de Beggen, já traz vestido o casaco oficial do clube de Alvalade. Mais logo irá colocar o resto do equipamento para assistir ao jogo contra o Boavista.

“Estou sempre equipado e mesmo que estejam 40 graus uso sempre o cachecol do clube durante os jogos. Sempre”, conta Lucas Antunes a rir. Para este futebolista, hoje “é um dos dias mais felizes da minha vida, o dia em que vou ver o meu Sporting ser campeão de Portugal”. Afinal, na última vez em que o clube ergueu o troféu, Lucas (na foto em baixo) ainda não tinha nascido.

Lucas Antunes, de 18 anos, nunca viu "até hoje" o seu clube sagrar-se campeão de Portugal.
Lucas Antunes, de 18 anos, nunca viu "até hoje" o seu clube sagrar-se campeão de Portugal.

Já José Fernandes celebrou algumas destas conquistas máximas nacionais do seu clube. A última, em 2001-2002, o 18º título nacional já foi festejado no mesmo local desta noite, só que como proprietário do café Leão Vermelho (uma homenagem ao Luxemburgo como país de acolhimento). Hoje o espaço tornou-se no Núcleo do Sporting em Differdange e o Leão já é verde.

“Não havia pandemia e foi uma grande festa. Muitos sportinguistas vieram ver o jogo e festejar depois”, recorda o presidente do Núcleo.

Juliana Lima foi das raras meninas, na altura com nove anos, presentes nessa noite. “Fui com o meu pai ao café do Zé [José Fernandes] e lembro-me como se fosse hoje, toda aquela alegria e emoção. O meu pai sempre me levou a ver o Sporting ou ao café ou víamos em casa na televisão. E quando percebia que ia ser golo pegava-me ao colo para festejar”, conta.

Hoje é Juliana Lima que está a desafiar o pai para ir com ela assistir à partida com outros sportinguistas em frente ao Núcleo.

Juntos a vibrar em Differdange

Embora José Fernandes “não tenha nada organizado para esta noite, devido às restrições e ao recolher obrigatório, é muito provável que os sportinguistas se reúnam aqui em frente ao núcleo para juntos seguirem o jogo”, diz o presidente.

 Na verdade, este dirigente espera mesmo a presença de "muitos adeptos" que têm o leão no coração, para viverem juntos este momento leonino tão importante.

Foto: António Pires

“Já estamos habituados a sofrer e hoje também vamos sofrer até ao fim, por isso é melhor sofrermos juntos, cantando os nossos hinos, festejando com as bandeiras, unindo as emoções e esta felicidade que não vivíamos há 19 anos”, conta Juliana Lima.

E estes sportinguistas que querem vibrar juntos pelo seu clube, em frente ao Núcleo em Differdange, vão abdicar de assistir ao jogo pela televisão para segui-lo apenas pela rádio com as imagens nos telemóveis.

“Por causa das restrições não podemos colocar a televisão lá fora. Por isso, vamos ter só o relato do jogo pela rádio, no volume mais alto, para escutarmos todos, à moda antiga, e quem quiser pode ver a partida nos telemóveis. Eu próprio prefiro estar cá fora com os outros adeptos do que a ver o jogo sozinho”, diz José Fernandes.

Há ainda outro pormenor: devido ao recolher obrigatório estes sportinguistas não podem seguir juntos o jogo até ao fim, nem festejar depois. “O encontro começa às 21h30, hora do Luxemburgo e o recolher obrigatório inicia-se às 23h00. Vamos ficar aqui até podermos, festejar enquanto pudermos, e depois vai cada um para sua casa”, antecipa José Fernandes.

E irá ser organizada uma festa lá para dia 19 de maio, quando forem levantadas as restrições? José Fernandes diz que o Núcleo não tem ainda nada pensado, até porque a verdadeira celebração é “a festa espontânea do momento, a do jogo, esta é a mais emocionante, a mais vivida”.


Os sportinguistas do Luxemburgo preparam-se para a festa
Há uma alegria contida prestes a explodir. Depois de 19 anos sem verem o seu clube ganhar um campeonato, os adeptos do Sporting já não parecem ter dúvidas de que este ano é que é. Com os estádios interditos e as aglomerações proibidas, prometem celebrar como puderem. O anúncio do fim da tempestade, visto a dois mil quilómetros de Alvalade.

Juliana Lima acredita que mal vai dormir, “é um dia especial demais para quem é apaixonada pelo Sporting como eu”.  Ao seu lado vai ter o namorado. “Claro que ele também é do clube, para mim era um requisito. Nem pensar ser de outro clube, do Benfica ou do FC Porto”, conta, desatando a rir.

Lucas Antunes ainda só tinha uma certeza para a sua grande noite: “Ver o jogo e festejar”. Na altura da conversa com o Contacto ainda estava a decidir onde iria assistir à partida, se em casa ou com alguns amigos, e onde iria celebrar. Também ele não acredita que irá pregar olho. 

“Mesmo amanhã no liceu ainda vai estar tudo tão presente. Vai ser difícil acreditar que, pela primeira vez, vou ver o meu clube ser campeão. É uma grande felicidade”, confessa este jovem que tem “muita fé” no seu clube. Ambicionando ser futebolista profissional, jogar no Sporting é o seu “grande desejo”. “Digo sempre que nada é impossível de alcançar com trabalho e empenho. Estou a fazer o meu caminho e vou sempre trabalhar o mais afincadamente possível para alcançar os meus objetivos”, frisa Lucas Antunes.

Juliana Lima no café da sua prima (na foto) na tarde desta terça-feira.
Juliana Lima no café da sua prima (na foto) na tarde desta terça-feira.

O sonho de festejar em Alvalade

Para já, este jovem, tal como Juliana Lima, adoraria estar esta noite, em Lisboa, em frente ao estádio de Alvalade a vibrar com a vitória na liga portuguesa. Mas, “mais campeonatos serão ganhos” pelos leões, como diz Lucas Antunes.

“Este ano somos campeões sem nunca ter perdido um jogo em todo o campeonato, é notável”, lembra por seu lado Juliana Lima. Nesta época, o Sporting conta com 27 vitórias e 4 empates até agora, tendo já batido o recorde de invencibilidade numa temporada na história do futebol português.

Por tudo isto, nem pensar que o resultado frente ao Boavista possa não ser favorável ao Sporting. “É hoje que vamos ser campeões”, dizem confiantes estes leões.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Há uma alegria contida prestes a explodir. Depois de 19 anos sem verem o seu clube ganhar um campeonato, os adeptos do Sporting já não parecem ter dúvidas de que este ano é que é. Com os estádios interditos e as aglomerações proibidas, prometem celebrar como puderem. O anúncio do fim da tempestade, visto a dois mil quilómetros de Alvalade.