Escolha as suas informações

Djokovic recorre contra decisão de cancelamento de visto na Austrália
Desporto 06.01.2022
Ténis

Djokovic recorre contra decisão de cancelamento de visto na Austrália

Ténis

Djokovic recorre contra decisão de cancelamento de visto na Austrália

Foto: AFP
Desporto 06.01.2022
Ténis

Djokovic recorre contra decisão de cancelamento de visto na Austrália

Lusa
Lusa
O tenista chegou ao aeroporto da cidade de Melbourne na quarta-feira à noite com uma isenção médica para a vacina anticovid, mas o seu visto acabou por ser revogado. Djokovic encontra-se num hotel em quarentena à espera de ser deportado.

O tenista sérvio Novak Djokovic apresentou um recurso legal contra a decisão das autoridades australianas de cancelar o seu visto e deportá-lo do país.

Um juiz de Melbourne, Anthony Kelly, irá ouvir o caso às 16:00 (05:00 em Lisboa) do tenista, que tem estado detido pelas autoridades de imigração em Melbourne desde que chegou ao país na quarta-feira à noite com a intenção de competir no Open da Austrália.

Djokovic chegou ao aeroporto da cidade de Melbourne na quarta-feira à noite com uma isenção médica à vacina anticovid, que lhe permitiria defender o seu título no Open da Austrália, mas os funcionários de controlo fronteiriço revogaram o seu visto quando o tenista não conseguiu justificar a autorização e detiveram-no durante várias horas.


Djokovic vê visto retirado e terá de deixar a Austrália
Tenista sérvio falha assim a participação no Open da Austrália. Em causa a alegada falta da vacina contra a covid-19.

O tenista de 34 anos encontra-se num hotel de quarentena em Melbourne à espera de ser deportado, segundo os media locais.

Já 20 vezes vencedor do Grand Slam, tal como Roger Federer e Rafael Nadal, o sérvio Novak Djokovic tem como objetivo um 21.º título em Melbourne.

O Open da Austrália, que começa a 17 de Janeiro, é o seu torneio favorito: foi em Melbourne que o sérvio ganhou o seu primeiro Grand Slam (2008), e ninguém lá ganhou tanto como ele (nove vitórias).

Na terça-feira o tenista revelou que lhe tinha sido concedida uma "isenção médica" para fazer a viagem. A federação australiana solicitou o sigilo médico para evitar justificar a renúncia.

O anúncio provocou reações negativas por parte de alguns jogadores, que denunciaram um padrão duplo, e por parte de alguma imprensa australiana, num país onde as medidas de combate à covid-19 foram particularmente rigorosas.

Novak Djokovic já se tinha pronunciado em abril de 2020 contra a vacinação obrigatória, que estava prevista na altura para permitir que os torneios fossem retomados.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Tenista sérvio venceu a final do torneio britânico do Grand Slam pela quarta vez, batendo o sul-africano Kevin Anderson com os parciais de 6-2, 6-2 e 7-6(3).