Escolha as suas informações

Desiludido com saída do Kayl/Tétange : Fábio Paím quer voltar ao Luxemburgo para novo desafio
Desporto 2 min. 07.10.2015

Desiludido com saída do Kayl/Tétange : Fábio Paím quer voltar ao Luxemburgo para novo desafio

O jogador português esteve apenas dois meses no Grão-Ducado

Desiludido com saída do Kayl/Tétange : Fábio Paím quer voltar ao Luxemburgo para novo desafio

O jogador português esteve apenas dois meses no Grão-Ducado
Foto: Á. Cruz
Desporto 2 min. 07.10.2015

Desiludido com saída do Kayl/Tétange : Fábio Paím quer voltar ao Luxemburgo para novo desafio

Fábio Paím deixou o Union 05 Kayl/Tétange há duas semanas, desiludido e frustrado pela curta experiência no futebol luxembruguês, mas adiantou ao CONTACTO que se sente preparado para regressar ao país e aceitar “um novo desafio”.

(ÁC) Fábio Paím deixou o Union 05 Kayl/Tétange há duas semanas, desiludido e frustrado pela curta experiência no futebol luxembruguês, mas adiantou ao CONTACTO que se sente preparado para regressar ao país e aceitar “um novo desafio”.

Incontactável durante vários dias, o jogador acedeu falar sobre a sua meteórica passagem pelo segundo escalão do futebol grão-ducal.

“As coisas não estavam a correr bem em termos de resultados e eu é que fui o bode expiatório para as derrotas”, lançou.

“O futebol luxemburguês é difícil, mas eu estava a adaptar-me. Sempre me esforcei nos treinos, ao contrário do que muitos diziam, mas um jogador sozinho não pode ganhar jogos”, defende-se.

“Fui expulso no segundo encontro do campeonato e depois as coisas complicaram-se. Existe muito amadorismo por parte de algumas pessoas, pensam que gerir um clube é o mesmo que gerir uma empresa. Não sabem nada de futebol”, diz.

“Estou desiludido pela forma como saí do clube. Um director, de que não quero citar o nome, veio ter comigo e começou a discutir comigo como se eu fosse o culpado por tudo o que se passava na equipa", lamenta.

"Os jogos ganham-se e perdem-se em grupo e não individualmente, respondi-lhe. O clube tem bons jogadores e pode fazer um bom campeonato, mas não jogávamos como uma equipa. E a prova é que tem cinco derrotas em sete jogos. O problema também não era só do treinador, há muitas coisas a melhorar em todos os aspectos no clube para que os resultados apareçam”, reforça.

Confrontado com a fama de boémio e frequentador de discotecas, recusa o rótulo: “Eu saía, dava a minha volta, mas não antes dos jogos. Mas não era só eu, eram todos”.

Contrariando as versões que circulam, Fábio Paím diz que era sempre “dos primeiros a chegar ao treino” e que se “esforçou sempre”. “Tenho pensado na minha situação e estou disposto a regressar ao Luxemburgo para organizar a vida”.

O “enfant terrible” do futebol português, que passou pelo Sporting, Chelsea, Sporting de Braga, 1° de Agosto de Luanda e Paços de Ferreira, entre outros clubes, pretende relançar a carreira. “Conheço as minhas qualidades e se algum clube me der a oportunidade, voltarei a jogar, mas não no Kayl/Tétange”, remata.

O CONTACTO tentou ouvir os dirigentes do clube, mas o presidente José Gonçalves encontra-se no Brasil e os restantes permaneceram incontactáveis.


Notícias relacionadas

O passo em frente do futebol luxemburguês
Os recentes resultados da seleção nacional e dos principais clubes nas competições europeias proporcionaram outra visibilidade internacional ao futebol luxemburguês. O presidente da Federação e vários treinadores lusos analisam como a Liga das Nações pode também enquadrar-se nesse contexto.
O empate entre o Luxemburgo e a França foi um dos grandes resultados dos 'leões vermelhos'.
Stélvio Cruz: “Já olham para nós com mais respeito”
Antes do jogo desta tarde, relativo à segunda mão da Liga Europa frente ao Cluj, na Roménia, decisivo para a entrada na fase de grupos da competição, o médio do F91 Dudelange falou ao Contacto da importância do encontro e da vontade que todos no clube têm de fazer história no futebol luxemburguês. Aborda ainda as fases da sua carreira carreira e defende que o Luxemburgo é um país que dispõe de condições para ter um campeonato profissional.
O jogador do F91 Dudelange confia na passagem à fase de grupos da sua equipa.
Após dez anos de sucessos: José Gonçalves: “Saio triste mas de consciência tranquila”
Depois de uma década ao leme do Kayl/Tétange, que levou das divisões mais baixas à Liga BGL, José Gonçalves vive os últimos dias como presidente do clube do coração. Estava disposto a continuar por mais dois anos, mas diz que não reconheceram o seu trabalho. Apesar de convidado para integrar os quadros da FLF e outros clubes da elite, ainda não tomou uma decisão, mas garante que fica no futebol.
Após dois meses : Fábio Paím deixa o Kayl/Tétange
Fábio Paím já não é jogador do Kayl/Tétange. Depois de ter assinado em Agosto um contrato de três temporadas, os dirigentes do clube acabaram por prescindir dos serviços do jogador, devido a comportamento incorrecto dentro e fora das quatro linhas.
O jogador fez apenas um jogo oficial pelo Kayl/Tétange