Dany Mota é cobiçado pela seleção luxemburguesa

Dany Mota
Dany Mota
Foto: Guy Jallay

Dany Mota tem 19 anos e nasceu no Grão-Ducado. O futebolista português joga há dois anos em Itália e tem sido cobiçado por vários clubes. O jovem jogador já foi abordado para representar a seleção luxemburguesa, mas o seu coração balança entre Portugal e o Luxemburgo.

O jovem avançado gostava de representar a seleção portuguesa, mas já foi abordado para representar os ’leões vermelhos’, uma opção que não descarta.

Dany balança entre Portugal e o Luxemburgo. “Os responsáveis grão-ducais já me contactaram para poder representar o país. Sei que chegar a internacional ’A’ por Portugal é difícil, perante a qualidade dos jogadores lusos. Por isso, se não tiver possibilidades de jogar por Portugal, que seja pelo Luxemburgo, uma seleção que tem evoluído bastante nestes últimos anos”, disse ao Contacto.

O jogador, nascido em Pétange, deu nas vistas nos relvados do Grão-Ducado e chegou a Itália com 17 anos para integrar os juniores do Virtus Entella Chiavari. Passados dois anos, passou para a equipa profissional que disputa a competitiva segunda liga italiana. É-lhe prognosticado um futuro brilhante.

Tem sido uma das figuras de proa da sua equipa no campeonato ’Primavera’ (o equivalente aos juniores): foi vice-campeão italiano e o salto para a formação profissional do clube foi o corolário lógico das suas exibições.

Dany Mota em ação no seu atual clube Virtus, da segunda divisão italiana
Dany Mota em ação no seu atual clube Virtus, da segunda divisão italiana

“As coisas têm-me corrido bem, felizmente“, diz com um sorriso. “A diferença entre a qualidade e intensidade dos treinos no Luxemburgo e aquela com que me deparei em Itália foi grande, mas com o trabalho e dedicação tenho cumprido uma evolução que considero bastante satisfatória, que acabou por me levar a integrar a equipa sénior“.

A atuar no eixo do ataque ou nas alas, Dany Mota marcou 18 golos nestas duas épocas. Perdeu a final da taça de Itália contra o Roma, defrontou as grandes equipas de Milão e a Juventus e reconhece que agora está “mais jogador”.

Humilde, apesar dos elogios de que tem sido alvo, Dany Mota diz que mantém “os pés no chão”, porque “no futebol tudo pode acontecer muito rápido, tanto para o melhor como para o pior”.

O jogador regressou aos treinos no dia 12 e garante que tem “trabalhado no duro” para mostrar serviço, pois sabe que “sem trabalho não se vai a lado nenhum”.

Dany Mota tem contrato até 2019, e apesar de integrar o plantel sénior, ainda pode disputar esta época o campeonato ’Primavera’. As perspetivas de ser utilizado na formação sénior são grandes, e a ambição do jogador também.

“Para chegar onde quero, vou ter que jogar muito e bem para atingir a outros patamares. Sou ambicioso e, apesar de me sentir bem no Virtus, tenho o sonho de representar clubes de dimensão mundial e ganhar títulos”.

Assumido benfiquista, Dany Mota sabe que tem sido observado por vários clubes de vários países, mas confessa ao Contacto que o sonho que acalenta desde pequeno “é jogar no Benfica”.

“Sou benfiquista ferrenho e como futebolista é claro que o meu grande sonho é jogar no clube do meu coração. Aliás, quem não queria jogar no Benfica?”, atira.

No entanto, o jovem jogador sabe que para atingir os seus objetivos tem de percorrer um caminho de grande persistência e dedicação. “A minha principal preocupação é preparar-me o melhor possível para jogar bem e ao mais alto nível. Depois, se tudo correr bem, é tudo uma questão de tempo”.

Á. Cruz

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.