Escolha as suas informações

Cristiano Ronaldo marcou 48 golos este ano, mas as coisas não correram bem
Desporto 3 min. 08.08.2020 Do nosso arquivo online

Cristiano Ronaldo marcou 48 golos este ano, mas as coisas não correram bem

Cristiano Ronaldo marcou 48 golos este ano, mas as coisas não correram bem

Foto: AFP
Desporto 3 min. 08.08.2020 Do nosso arquivo online

Cristiano Ronaldo marcou 48 golos este ano, mas as coisas não correram bem

Lusa
Lusa
A nova vitória consecutiva na ‘Serie A’ foi a única alegria da época para o conjunto de Turim, que perdeu a final da Taça de Itália e a Supertaça e, pior, falhou claramente o grande objetivo, ao ‘tombar’ nos oitavos de final da Liga dos Campeões.

O futebolista português Cristiano Ronaldo fechou a época 2019/20, a sua segunda na Juventus, com 48 golos, mais 17 do que na primeira, mas acumulou frustrações coletivas, ‘escapando-se’ apenas o ‘obrigatório’ título italiano.

A nova vitória consecutiva na ‘Serie A’ foi a única alegria da época para o conjunto de Turim, que perdeu a final da Taça de Itália e a Supertaça e, pior, falhou claramente o grande objetivo, ao ‘tombar’ nos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Contratado por 100 milhões de euros ao Real Madrid em 2018, o português era visto como a ‘arma’ ideal para vencer a ‘Champions’, que escapa à ‘Juve’ desde 1996, mas, dois anos depois, esse objetivo continua por concretizar.

A Juventus nem sequer conseguiu chegar, esta época, à inédita ‘final a 8’ de Lisboa, eliminada por um Lyon que parecia claramente ao seu alcance, um pouco à imagem do que aconteceu nos quartos de final de 2018/19, então perante o Ajax.

Curiosamente, desta vez, como há um ano, Ronaldo marcou os dois golos da Juventus na eliminatória, mas os seus esforços individuais revelaram-se insuficientes (1-1 fora e 1-2 em casa com os holandeses e 0-1 fora e 2-1 em casa com os franceses).

Na presente edição da Liga dos Campeões, o internacional luso, agora com 35 anos, nem teve uma época muito concretizadora, com apenas quatro tentos, em oito jogos - para um ‘gigante’ total de 131, em 174, que fazem dele o ‘rei’ histórico da prova.

Cristiano Ronaldo destacou-se mais na ‘Serie A’, ao chegar aos 31 golos – 21 em 2018/19 -, embora ‘empurrado’ por 12 grandes penalidades, num total de 17 em toda a época (mais três na seleção, uma na ‘Champions’ e outra na Taça de Itália).

Os seus tentos foram determinantes para o título da ‘velha senhora’, mas o português não foi, ainda assim, eleito o melhor jogador do campeonato transalpino, sendo batido pelo argentino Paulo Dybala, seu companheiro de equipa na ‘Juve’.

Em matéria de golos, Ronaldo também não conseguiu a ‘coroa’ de melhor goleador, que já havia conseguido em Inglaterra e Espanha, pois os seus 31 golos não chegaram para os 36 de Ciro Immobile, jogador da Lazio.

O português ainda chegou a igualar o internacional transalpino depois da paragem devido à pandemia da covid-19, mas o jogador ‘laziale’ respondeu nas últimas jornadas, ultrapassando mesmo o polaco Robert Lewandowski (34 pelo Bayern Munique), o que lhe valeu a conquista da ‘Bota de Ouro’.

Nas outras provas internas, a Juventus falhou os títulos, nomeadamente a Taça de Itália, perdida nos penáltis para o Nápoles (2-4, após 0-0 nos 90 minutos), na final, e a Supertaça, com um desaire face à Lazio por 3-1.

Em duas épocas com Cristiano Ronaldo, a formação de Turim somou, assim, três títulos, nomeadamente dois campeonatos e uma Supertaça, depois de duas ‘dobradinhas’ – quatro troféus - nos dois anos anteriores (2016/17 e 2017/18).

Pela Juventus, o português totalizou 37 golos em 46 encontros em 2019/20 - para um total, nas duas épocas, de 65 tentos, em 89 jogos -, aos quais acrescentou 11 em apenas seis jogos pela principal seleção portuguesa de futebol.

Ronaldo marcou um golo na Servia (4-2), quatro na Lituânia (5-1), um ao Luxemburgo (3-0), outro na Ucrânia (1-2), três na receção aos lituanos (6-0) e um mais no Luxemburgo (2-0), não falhando, assim, em nenhum dos seis jogos, todos em 2019.

A época 2019/20 também ficou marcada pelo milésimo jogo da careira e o golo 700 - em ambos os casos com várias versões, conforme as contagens -, sendo que, por Portugal, ‘estacionou’ nos 99, em 164 jogos. Falta um para novo número histórico.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas