Escolha as suas informações

Champions Cup: Benfica perde com New York Red Bulls
Desporto 2 min. 27.07.2015 Do nosso arquivo online

Champions Cup: Benfica perde com New York Red Bulls

Jonathan Rodriguez (de vermelho), do Benfica, luta com Damien Perrinelle (dos NY Red Bulls)

Champions Cup: Benfica perde com New York Red Bulls

Jonathan Rodriguez (de vermelho), do Benfica, luta com Damien Perrinelle (dos NY Red Bulls)
AFP
Desporto 2 min. 27.07.2015 Do nosso arquivo online

Champions Cup: Benfica perde com New York Red Bulls

Um Benfica pouco inspirado na finalização sofreu domingo frente aos New York Red Bulls o terceiro desaire em três jogos na Internacional Champions Cup, ao perder por 2-1, em Harrison.

Um Benfica pouco inspirado na finalização sofreu domingo frente aos New York Red Bulls o terceiro desaire em três jogos na Internacional Champions Cup, ao perder por 2-1, em Harrison.

A exemplo do que sucedeu frente ao Paris Saint-Germain (2-3), o conjunto comandado por Rui Vitória esteve a vencer, desta vez com um tento madrugador de Pizzi (sete minutos), mas acabou derrotado, com muitos falhanços pelo meio.

Os ‘encarnados’ desperdiçaram oportunidades para ‘todos os gostos’ e ainda ofereceram a igualdade – Luisão isolou Bradley Wright-Phillips, aos 33 minutos -, perdendo ainda por culpa de um ‘grande’ golo de Mike Grella, aos 56.

Em relação ao jogo com a equipa ‘viola’ (0-0 nos 90 minutos e 4-5 nas grandes penalidades), Rui Vitória manteve apenas Luisão, Samaris e Jonathan Rodríguez e estreou na equipa principal Ederson (ex-Rio Ave), Nélson Semedo (atuava na equipa B) e Adel Taarabt (ex-Queens Park Rangers).

O Benfica entrou com Nélson Semedo, Luisão, Lisandro López, e Sílvio, à frente de Ederson, um meio campo com Samaris e Pizzi, ao meio, e Carcela e Ola John nos extremos, e um ataque com Taarabt nas costas de Jonathan Rodríguez.

Mais rodada (19 jogos no seu campeonato), a equipa da casa entrou determinada e pressionante, perante um Benfica ‘sem’ coletivo, mas a marcar no primeiro ataque, aos sete minutos, com Pizzi a isolar-se e a bater Robles com classe.

Com o golo, o conjunto de Rui Vitória ‘cresceu’ e começou a criar sucessivas ocasiões para aumentar a vantagem, mas Carcela (16 e 33 minutos), Taarabt (17 e 29) e Jonathan (18 e 21, na segunda vez isolado) não conseguiram marcar.

O segundo tento ‘encarnado’ parecia iminente, mas, aos 33 minutos, foram os norte-americanos a chegar ao empate: após uma falha de quem menos se esperava, do ‘capitão’ Luisão, Wright-Phillips ficou sozinho e não perdoou.

Wright-Phillips podia ter ‘bisado’, aos 39 minutos, tal como Pizzi, já nos descontos da primeira metade, num livre indireto muito perto da baliza.

Para a segunda metade, Rui Vitória trocou Ola John e Taarabt por Gonçalo Guedes e Djuricic, enquanto o treinador dos Red Bulls mudou nove ‘peças’, com uma delas, Mike Grella, a marcar um ‘golão’, de fora da área, aos 56 minutos.

O Benfica tinha reentrado melhor, só que voltou a falhar na finalização, por Djuricic (46 minutos), Luisão (50) e Jonathan (52), tendência que se manteve após o golo – voltaram a não acertar o sérvio (58) e o uruguaio (60).

Aos 66 minutos, entraram Talisca, Jonas e Gaitán, que, segundos depois esteve na origem de novo falhanço de Djuricic, um dos muitos na parte final. Marçal, também em estreia, desperdiçou a mais flagrante, aos 83.


Notícias relacionadas

Liga Europa: Benfica ‘alternativo’ vence na Turquia por 2-1
Uma equipa do Benfica com várias alterações no ‘onze’ deu hoje um passo importante na luta pelo apuramento para os oitavos de final da Liga Europa de futebol, ao vencer por 2-1 na visita ao Galatasaray. A partida da segunda mão dos 16 avos de final está marcada para 21 de fevereiro, no Estádio da Luz.