Escolha as suas informações

Bruno de Carvalho pede fim dos processos disciplinares por parte do Sporting
a destituição do CD liderado por Bruno de Carvalho foi aprovada com 71% dos votos.

Bruno de Carvalho pede fim dos processos disciplinares por parte do Sporting

Foto: LUSA
a destituição do CD liderado por Bruno de Carvalho foi aprovada com 71% dos votos.
Desporto 28.06.2018

Bruno de Carvalho pede fim dos processos disciplinares por parte do Sporting

Bruno de Carvalho, destituído da presidência do Sporting, apelou hoje ao fim do processo disciplinar de que é alvo por parte do clube, reclamando "liberdade" para se candidatar às eleições de 08 de setembro.

"Apelo novamente para que parem com os processos disciplinares em curso e que deixem aos sportinguistas a liberdade de se candidatarem e aos outros de poderem escolher quem querem, no próximo dia 08 de setembro, a liderar o clube, incluindo o último presidente e o seu CD [Conselho Diretivo], se tal for a nossa decisão", escreveu hoje Bruno de Carvalho na sua página no Facebook.

Bruno de Carvalho, o vice-presidente Carlos Vieira e os vogais Rui Caeiro, Alexandre Godinho, José Quintela, Luís Gestas e Luís Roque foram suspensos pela Comissão de Fiscalização nomeada pela Mesa da Assembleia Geral do Sporting e deveriam ter respondido até quarta-feira às notas de culpa dos respetivos processos disciplinares.

"O meu desejo é simples, que se acabe com este processo disciplinar e se permita aos sportinguistas ouvirem todos os que quiserem falar e decidirem o futuro do clube e SAD. E neste momento é muito importante não provocar mais fragmentações do universo leonino. Vamos encarar cada lista com o respeito que merece, pois querer servir o clube não é um 'crime', mas sim um ato de paixão", lê-se na publicação do ex-presidente.

No sábado, numa assembleia geral que reuniu quase 15 mil sócios, a destituição do CD liderado por Bruno de Carvalho foi aprovada com 71% dos votos, na sequência de uma crise iniciada com a perda do segundo lugar da I Liga de futebol e com a invasão da Academia do Sporting, em Alcochete, por cerca de 40 adeptos que agrediram jogadores e elementos da equipa técnica.

"Vamos ter a humildade de reconhecer as nossas virtudes e os nossos defeitos. Vamos ter a humildade de receber de braços abertos todos os que queiram apresentar o seu projeto para o Sporting (...). A demonstração de que somos um grande clube em tudo é deixar todos, os que assim o quiserem, sem decisões de 'secretaria' contrárias, ir a eleições e ver o seu projeto ser aprovado ou reprovado por quem manda: os associados", acrescentou.

Até novas eleições para os órgãos sociais, a liderança do clube está a cargo de uma Comissão de Gestão presidida por Artur Torres Pereira, que por sua vez nomeou José Sousa Cintra, antigo presidente do Sporting, para presidir à SAD.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas