Escolha as suas informações

Bola de Ouro FIFA: Cristiano Ronaldo é o melhor do Mundo pela terceira vez
Desporto 3 min. 12.01.2015

Bola de Ouro FIFA: Cristiano Ronaldo é o melhor do Mundo pela terceira vez

O internacional luso juntou mais uma Bola de Ouro ao seu Palmarés

Bola de Ouro FIFA: Cristiano Ronaldo é o melhor do Mundo pela terceira vez

O internacional luso juntou mais uma Bola de Ouro ao seu Palmarés
AFP
Desporto 3 min. 12.01.2015

Bola de Ouro FIFA: Cristiano Ronaldo é o melhor do Mundo pela terceira vez

O português Cristiano Ronaldo confirmou o favoritismo e conquistou esta segunda-feira pela terceira vez a Bola de Ouro, para o melhor futebolista de 2014, repetindo os feitos de 2008 e 2013 e aproximando-se do argentino Lionel Messi.

O português Cristiano Ronaldo confirmou o favoritismo e conquistou esta segunda-feira pela terceira vez a Bola de Ouro, para o melhor futebolista de 2014, repetindo os feitos de 2008 e 2013 e aproximando-se do argentino Lionel Messi.

Embalado por 61 golos em 60 jogos, mais quatro títulos, a Liga dos Campeões e ainda o Mundial de Clubes, a Supertaça Europeia e a Taça do Rei, Ronaldo superou a concorrência do próprio Messi e do guarda-redes alemão Manuel Neuer.

O jogador do Real Madrid recebeu 37,66% dos votos de jornalistas, 'capitães' e seleccionadores, juntado o prémio, atribuído pela FIFA e pela revista France Football, aos conquistados em 2008 e 2013, igualando os holandeses Johan Cruyff e Marco van Basten e o francês Michel Platini, vencedores por três vezes quando o prémio era só para europeus.

Na segunda posição ficou o argentino Lionel Messi, vencedor por quatro vezes da Bola de Ouro, com 15,76 %, apenas mais 0,04 do que o alemão Manuel Neuer.

O 'falhanço' no Mundial de 2014 acabou por pesar tanto como a ausência de títulos em 2013 e o jogador do Real Madrid já só tem Messi pela frente, tendo igualado as proezas dos holandeses Johan Cruyff e Marco van Basten e do francês Michel Platini, que voltou a 'torcer o nariz' à sua vitória.

Cruyff, Van Basten e Platini conseguiram-no, no entanto, numa altura em que o prémio só era atribuído a jogadores do ‘velho continente’: se ainda fosse assim, o ‘capitão’ da seleção lusa já estaria, certamente, isolado no topo.

A vitória da 'Champions', em pleno Estádio da Luz, foi o momento 'chave' para a vitória de Cristiano Ronaldo, até porque esse triunfo valeu, posteriormente, as vitórias no Mundial de clubes e na Supertaça Europeia.

Longe da melhor condição física, o jogador luso não ‘apareceu’ em Lisboa, exceto para marcar o penálti do 4-1 final, sendo salvo pela cabeça de Sérgio Ramos, que, nos descontos, evitou o primeiro título europeu do Atlético de Madrid, forçando o prolongamento.

Cristiano Ronaldo viria a ter a sua noite em Cardiff, no País de Gales, onde, com um 'bis', permitiu ao Real Madrid bater o Sevilha por 2-0 e conquistar a Supertaça Europeia.

O ‘empurrão’ final para a conquista terá sido dada nos jogos da presente edição da Liga espanhola: ainda antes do meio da prova, Cristiano Ronaldo já soma 26 golos, quase tantos como os 31 que lhe deram a terceira Bota de Ouro em 2013/14.

Além de ter sido o melhor marcador da Liga espanhola, o futebolista lusa também foi o ‘rei’ dos marcadores da ‘Champions’ e com um recorde de 17 golos.

Pela selecção lusa, Ronaldo viveu o pior momento do ano, ao tornar-se o primeiro detentor da Bola de Ouro a cair na primeira fase de um Mundial. Em três jogos, marcou apenas um golo, na despedida, ao Gana (2-1).

Já na presente temporada, o n° 7 português como que se 'redimiu', ao apontar dois golos decisivos, nos triunfos por 1-0 na Dinamarca e perante a Arménia, que deixaram Portugal bem encaminhado para alcançar o Europeu de 2016.


Notícias relacionadas