Escolha as suas informações

Benfica vs FC Porto. A incrível coincidência do 7 de Maio
Opinião Desporto 6 min. 07.05.2022 Do nosso arquivo online
Liga portuguesa

Benfica vs FC Porto. A incrível coincidência do 7 de Maio

Lisboa poderá voltar a ser o epicentro da festa de um FC Porto campeão
Liga portuguesa

Benfica vs FC Porto. A incrível coincidência do 7 de Maio

Lisboa poderá voltar a ser o epicentro da festa de um FC Porto campeão
Foto: Manuel Fernando Araújo / LUSA
Opinião Desporto 6 min. 07.05.2022 Do nosso arquivo online
Liga portuguesa

Benfica vs FC Porto. A incrível coincidência do 7 de Maio

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Campeão português em 1995 no Estádio José Alvalade, o FC Porto está a um empate de repetir o feito exactos 27 anos depois, agora na Luz.

FC Porto, 85 pontos. Sporting, 79. Faltam duas jornadas e o FC Porto está a um empate de se sagrar campeão pela 30.ª vez na história. O jogo de hoje é delicado, vs Benfica, na Luz. Entre os dois, uma diferença abissal de 14 pontos, sete golos marcados e outros sete sofridos. Na primeira volta, 3:1. Na segunda, uma incógnita. Por agora, só se sabe a data do jogo, 7 Maio.

Coincidências da vida, 7 Maio 1995 é o dia em que o FC Porto de Robson se sagra campeão português em Lisboa, vs Sporting. Antes da entrada das equipas em campo, um trágico acontecimento retira encanto ao clássico. Na chegada do autocarro portista à mítica porta 10 A, a imprudência toma conta dos adeptos sportinguistas, que se amontoam junto aos varandins. Um deles cede, vergado ao peso de uma moldura humana fora do normal. A queda é abrupta, claro, e morrem dois adeptos, José Alberto Gonçalves e Paulo Vidal Ferreira. Pior, o médico portista Domingos Gomes é o primeiro a sair do autocarro para acudir as vítimas e é agredido com latas de cerveja, beatas e tudo o que está à mão de semear.

A intervenção policial e médica é imediata. O estrago, esse, está feito. Quando as equipas entram em campo, já há um rasto de vergonha associado a tristeza ao jogo do título. O presidente sportinguista Santana Lopes sugere o adiamento do jogo. ‘As pessoas têm de ir para casa e repensar a sua atitude.’ Em vão, a federação segue o seu caminho. Como o FC Porto, vitorioso por 1:0 e com sete pontos de avanço a três jornadas do fim (ah é verdade, este é o último campeonato com dois pontos por vitória).

O Sporting de Queiroz joga com Costinha; Nélson, Oceano (cap) (Filipe 28’), Vujacic e Paulo Torres (Chiquinho Conde 63’); Figo, Carlos Xavier, Iordanov e Balakov; Juskowiak e Amunike. O FC Porto de Robson avança com Baía; João Pinto (cap), Jorge Costa, Aloísio e Rui Jorge; Secretário, Kulkov (Latapy 76’), Emerson e Paulinho Santos; Domingos e Rui Barros (Folha 70’). O clásico é dominado pelo Sporting, sem incomodar Baía por aí além. Os remates de Iordanov e Figo fazem-se notar por macios, frágeis. O FC Porto deixa-se estar lá atrás, à espera de um contra-ataque. À beira do intervalo, Domingos ganha uma bola pelo ar a Costinha e cabeceia para o golo. Bento Marques apita falta. Discutível.


Benfica vs FC Porto. Não há bela sem senão
A questão lançada ontem com resposta para esta sexta-feira é quem treina esta equipa? Sim, quem? Uma só obrigação, o de vira-casacas, tal e qual os jogadores. E há opções a perder de vista.

Na segunda parte, o mesmo Domingos engana Costinha e decide o clássico a favor do FC Porto. O lance é aos 58 minutos, um penálti a castigar falta de Iordanov sobre Domingos (sempre ele). Até ao final, o Sporting joga o futebol de sempre, ofensivo e sem soluções para romper a estrutura portista. Mal soa o apito do eborense Bento Marques, os portistas sacam Robson do banco e levam-no em ombros. É a vingança do treinador inglês, dispensado por Sousa Cintra a meio da época 1993-94 na ressaca de um famoso 3:0 em Salsburgo, vs Casino, para a Taça UEFA.

Agora, exactos 27 anos depois, Lisboa volta a ser epicentro de festa de campeão do FC Porto? Tem a palavra o Benfica, cujo momento de forma em nada se compara com o do FC Porto. Se o Benfica tem o factor casa como vantagem, o FC Porto reúne uma bola extra de valor incalculável: a 100.ª vitória vs Benfica em toda a história. Pois é, que categoria. No balanço total dos jogos entre eles, desde 1931, o Benfica totaliza 88 vitórias, menos 11 que o FC Porto. Se calha o FC Porto ganhar na Luz, faz dois-em-um: título de campeão e vitória centenária. Sérgio Conceição elevado a Pedroto – ou seja, Deus portista. E há razões para tal. Afinal de contas, Conceição não perde um clássico, seja vs Benfica, seja vs Sporting, seja casa, seja fora, seja neutro, há 12 jogos. Doze. É dose. Ao todo, seis vitórias e seis empates. A última derrota é em 2019, na Luz, golo solitário de Seferovic.

Excepção feita a esse 7 Maio 1995, o FC Porto faz-se mais vezes campeão nacional em Lisboa? Uyyyy, é mato. Seis vezes, até agora. A primeira de todas é em 1935, vs Sporting. Basta um empate na última jornada e o FC Porto cumpre (2:2). Em 1940, a fava calha ao Benfica, nas Amoreiras, também para a útima jornada (2:3). É um campeonato sui generis, porque o FC Porto é apurado com virada de mesa. Explicamos: em Outubro 1939, num jogo vs Académico do Porto para o regional do Porto, o FC Porto escreve uma das páginas mais negras da sua história com quatro jogadores expulsos (Guilhar, Pinga, Carlos Pereira e Lopes Carneiro) mais a lesão Sacadura a implicar o fim abrupto do jogo aos 42 minutos.

A situação, já de si grave, piora, e muito, quando o reputado avançado Pinga reentra em campo para agredir o árbitro, que, entretanto, já era outro (Vale Ramos), porque o primeiro (Silva Correia) fora atingido por uma pedra atirada do peão. A Associação de Futebol do Porto (AFP) pune Pinga com um ano de suspensão – amnistia-o dois meses depois.


Maxi Pereira no final de um jogo com o Benfica, em abril de 2017. O uruguaio trocou o Benfica pelo FC Porto em 2015.
Benfica vs FC Porto. O onze ideal dos vira-casacas
Entre no texto, senta-se e discuta algumas ou mesmo todas as nossas opções entre Ovchinnikov, Maxi, Eurico, Otamendi, Eduardo Luís, Kulkov, Maniche, Zahovic, Futre, Yuran e Sokota.

Nem assim o FC Porto escapa à vergonha, agravada com o terceiro lugar no campeonato regional, depois de 21 anos consecutivos de título. Ora, essa posição afasta-o da 1.ª divisão e o FC Porto é obrigado a jogar na 2.ª. Qual quê, a federação portuguesa resolve o problema e alarga a 1.ª divisão de oito para dez equipas. Repescado à última hora, o FC Porto é campeão nacional com 17 vitórias, 13 das quais consecutivas, e 29 golos de Kordnya.

A festa portista em Lisboa só conhece mais alegrias a partir de 1995, com o tal 7 Maio. Em 2011, na única época de André Villas-Boas, o FC Porto coroa-se campeão a cinco jornadas do fim, na Luz, vs Benfica, e com vitória por 2:1 num clássico com um autogolo (Roberto 0:1) e dois penáltis (Saviola 1:1, Hulk 1:2). Perto do fim, duas expulsões, uma para cada lado (Otamendi, Cardozo). Quando acaba, as luzes da Luz apagam-se e liga-se o sistema de rega. E então? O FC Porto festeja à grande e à portista. Nesse mesmo dia, Mourinho perde finalmente em casa ao fim de 9 anos, desde Fevereiro 2002 (o célebre bis de Fary no FC Porto 2:3 Beira-Mar), vítima de um golo de Cuevas (Sporting Gijón) em pleno Santiago Bernabéu.

Mais recentemente, já na era Sérgio Conceição, o FC Porto tem a mania de ser campeão só em momentos grandes. Em 2018, é na poltrona, a ver o nulo entre Sporting e Benfica no José Alvalade. Em 2020, é em casa, no Dragão, com 2:0 vs Sporting. Em 2022, segue-se a Luz? Como diria Sven-Göran Eriksson, famos fer.

 Calendário

Ontem

Boavista (10)-Vitória SC (6)

Hoje

Estoril (11)-Moreirense (17)

Benfica (3)-FC Porto (1)

Portimonense (12)-Sporting (2)

Domingo

Vizela (14)-Marítimo (8)

Gil Vicente (5)-Tondela (16)

Braga (4)-Arouca (15)

Santa Clara (9)-Paços (7)

 2.ª feira

B Sad (18)-Famalicão (13)

(O autor escreve segundo a antiga ortografia.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A questão lançada ontem com resposta para esta sexta-feira é quem treina esta equipa? Sim, quem? Uma só obrigação, o de vira-casacas, tal e qual os jogadores. E há opções a perder de vista.
FC Porto joga em casa com a vantagem do 2:1 no José Alvalade e obriga Sporting a ganhar por dois ou mais, como 2014. Por falar nisso, de quando é o último particular entre os dois?
FC Porto joga em casa com a vantagem do 2:1 no José Alvalade.
Solta-se o grito da ordem 19 anos depois, agora com um treinador jovem (Rúben Amorim, 37 anos) e três sub20 no onze ideal. A crónica do comenatador desportivo do Contacto, Rui Miguel Tovar.