Escolha as suas informações

Benfica tropeça em casa e já está a 9 pontos do Porto e a 6 do Sporting
Desporto 5 min. 17.01.2022
Liga portuguesa

Benfica tropeça em casa e já está a 9 pontos do Porto e a 6 do Sporting

Liga portuguesa

Benfica tropeça em casa e já está a 9 pontos do Porto e a 6 do Sporting

Foto: Manuel de Almeida/Lusa
Desporto 5 min. 17.01.2022
Liga portuguesa

Benfica tropeça em casa e já está a 9 pontos do Porto e a 6 do Sporting

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Porto 50, Sporting 47, Benfica 41. Isso mesmo, o Benfica volta a dar nas vistas pela negativa e afunda-se no terceiro lugar, enquanto FC Porto acumula o 46.º jogo seguido sem derrotas na 1.ª divisão e Sporting regressa às vitórias para se afirmar como segunda força nacional.

Porto 47, Sporting 44, Benfica 40. A primeira volta acaba assim. Passa uma semana, faz-se mais uma jornada (incompleta, claro, porque o covid anda aí à espreita) e nada está igual. Quer dizer, os três primeiros mantêm os seus lugares – a diferença está nos pontos. Então? Porto 50, Sporting 47, Benfica 41. Isso mesmo, o Benfica volta a dar nas vistas pela negativa e afunda-se no terceiro lugar, enquanto FC Porto acumula o 46.º jogo seguido sem derrotas na 1.ª divisão e Sporting regressa às vitórias para se afirmar como segunda força nacional, na ressaca de uma semana em que se apurara para a ½ final da Taça de Portugal.

A jornada começa sábado e o Benfica desilude à grande. Porque não atina com o jogo bonito, porque perde pontos em casa e porque se atrasa (irremediavelmente?) na luta pelo título de campeão. Nélson Veríssimo inova e joga em 4-1-3-2, com Weigl à frente dos centrais, Paulo Bernardo na direita (aplausos do público para estreia absoluta a titular, aos 19 anos), João Mário no meio e Rafa na esquerda. Lá à frente, Darwin e Seferovic. No banco, André Almeida e Pizzi (assobios do público para os pseudo malfeitores de Jesus). A insistência nos cruzamentos torna previsível o jogo do Benfica (o central Steven Vitória é o rei das alturas) e só um remate de Rafa ao poste (20’) anima a malta. Ao intervalo, o teimoso 0:0 mostra eficácia defensiva do Moreirense, agora treinado por Sá Pinto, vitorioso na estreia da semana anterior, em Vizela.


Benfica empata com Moreirense e pode ver rivais aumentarem a vantagem
Com este empate, o Benfica está em terceiro lugar, com 41 pontos. Porto e Sporting jogam este domingo.

Para o início, Nélson Veríssimo muda a táctica para 4-3-3 com a saída de Seferovic e a entrada de Diogo Gonçalves. Acto contínuo, o Moreirense marca num lance caricato em que Otamendi remata contra o corpo de Gilberto e a bola entra na baliza à guarda de Vlachodimos. Louve-se, verdade seja dita, a reposição do empate com outro momento Monty Phyton em que um defesa moreirense imita Otamendi e isola Darwin. O uruguaio encosta e isola-se na tabela dos melhores marcadores (14), à frente do portista Luis Díaz Até final, o Benfica só cria mais uma flagrante oportunidade de golo, com uma bola ao poste através de Grimaldo (76’). De resto, é uma pasmaceira. Nem nos seis minutos de descontos o guarda-redes Kewin é obrigado a trabalho extra, embora Otamendi cabeceie ligeiramente por cima da barra no momento de maior frisson.

A movida dos grandes só continua no domingo, com duplo interesse. Primeiro em Vizela, onde o Sporting tem de responder ao fiasco 3:2 nos Açores para se manter na perseguição ao FC Porto. O Vizela entra melhor, mais afoito. Coates vê um cartão amarelo aos três minutos por falta sobre Schettine e é Cann quem liga o turbo para dar dinâmica ao jogo. Por duas vezes, liberta-se da marcação para semear perigo. Na primeira, Adán resolve com uma defesa artística. Na segunda, o seu cruzamento sai largo por centímetros. O Sporting só se liberta a partir dos 15 minutos e, sem fazer muito por isso, chega aos dois golos. Pedro Gonçalves combina bem com Sarabia e solta o grito amarrado há nove jogos. Mais perto do intervalo, uma jogada de Nuno Santos garante o 0:2 de Daniel Bragança. Com o resultado feito, o Sporting gere a bel-prazer sem se deixar surpreender pelo Vizela.


O brasileiro Evanilson foi o homem do jogo ao marcar três golos no Jamor.
FC Porto vence Belenenses SAD com ‘hat trick’ de Evanilson
É a 13ª vitória consecutiva dos portistas que continuam isolados na liderança do campeonato. Veja as imagens do jogo.

Meia-hora depois, o líder FC Porto apresenta-se no Jamor para esgrimir argumentos com o último classificado B SAD. Sem lateral-direito de raiz (Corona a caminho do Sevilha, Manafá e João Mário lesionados), Sérgio Conceição aposta em Bruno Costa. Sem Otávio (castigo disciplinar), é Uribe o capitão. Sem Taremi (opção), é Fábio Vieira a apoiar o avançado Evanilson. O B SAD é feliz na forma como chega ao golo no primeiro ataque à baliza de Diogo Costa, com canto de Calila e cabeceamento de Camará. Em desvantagem, o líder continua tranquilo e a fazer o seu jogo. O golo chegará, com naturalidade.

E chega, por Evanilson. Na altura, já se joga dez contra onze por expulsão de Yaya aos 31’, acumulação de amarelos em dois lances dignos da CAN. Antes do intervalo, o Porto reforça o ataque com Taremi. E o iraniano marca no sétimo minuto de descontos, só que é anulado – tal como fora anulado um outro golo ao Porto, obra de Evanilson aos 41’. Pelo meio, o guarda-fredes Luiz Felipe faz duas defesas do além. O 1:1 ao intervalo é uma bênção para o B SAD. Na segunda parte, o Porto dá tudo e sai de Lisboa com uma goleada na bagagem. Evanilson completa o hat-trick, primeiro assistido pelo recém-entrado Francisco Conceição, depois pelo inevitável Fábio Vieira, também ele o homem do último passe para o 1:3 de Taremi – e ainda falha um penálti por Luis Díaz (na verdade, é defesa de Luiz Felipe, mérito para o homem, vá).

Para percebermos a dimensão do feito, o último brasileiro do FC Porto a bisar é Kléber em 2012. Há dez anos, portanto. Evanilson entra numa lista cheia de figuras como Derlei, Deco, Jardel, Edmilson, Duda, Flávio, Azumir e Jaburu. Já o Porto faz a festa pelo 46.º jogo seguido sem derrotas na 1.ª divisão. Lá se vai o recorde de Bobby Robson entre 1994 e 1996. Com Sérgio Conceição, 37 vitórias e nove empates mais um vistoso 107:32 em golos. A última equipa a derrubar o Porto é o Paços de Pepa, em Outubro 2020 (acaba 3:2), e só Mbemba mais Evanilson repetem a presença no onze vs B SAD. 

(Autor escreve de acordo com o antigo Acordo Ortográfico.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

É a revolta da classe média, com Marítimo a travar Sporting nos Barreiros e Gil a sacar pontos no Dragão.
Taremi reage após ter falhado um golo no jogo que ditou o empate entre o FC Porto e o Gil Vicente, a 27 de fevereiro de 2022.
FC Porto ganha com autoridade (3:1) e já acumula oito clássicos seguidos sem derrota (nunca visto desde 1991) no regresso à liderança da 1.ª divisão.
Golo supersónico de Evanilson aos 33 segundos orienta Porto para uma vitória categórica (3:0) na Taça de Portugal num triste espectáculo de futebol sem bola