Escolha as suas informações

Antes da Supertaça Europeia de futebol: Mourinho só admite Bale no Manchester United caso este falhe Supertaça europeia
O treinador do Manchester United, o português José Mourinho.

Antes da Supertaça Europeia de futebol: Mourinho só admite Bale no Manchester United caso este falhe Supertaça europeia

Foto: REUTERS
O treinador do Manchester United, o português José Mourinho.
Desporto 4 min. 07.08.2017

Antes da Supertaça Europeia de futebol: Mourinho só admite Bale no Manchester United caso este falhe Supertaça europeia

O treinador José Mourinho reconheceu hoje o interesse do Manchester United na contratação do futebolista Gareth Bale, mas só admite um esforço pelo enlace caso o galês fique de fora da Supertaça europeia, terça-feira em Skopje, Macedónia.

O treinador José Mourinho reconheceu hoje o interesse do Manchester United na contratação do futebolista Gareth Bale, mas só admite um esforço pelo enlace caso o galês fique de fora da Supertaça europeia, terça-feira em Skopje, Macedónia.

"Se jogar amanhã, não equaciono (contratá-lo). Se jogar é porque está nos planos do seu treinador e do clube. Será porque nos seus próprios planos e ambições está continuar no Real Madrid", justificou.

Assim, se Bale deseja regressar a Inglaterra para ingressar no Manchester United, Mourinho só o admite caso não o tenha como adversário na Supertaça Europeia.

"Se não está nos planos do clube e é verdade que está na porta de saída, como escrevem muitos jornalistas, vou estar no outro lado e lutar com outro treinador que também espera. Mas se jogar terça-feira, é sinal mais do que evidente de que vai continuar", disse.

Mourinho admite diferença de qualidade entre Manchester United e Real Madrid

O treinador José Mourinho admitiu hoje que há uma disparidade de qualidade entre o seu Manchester United e o Real Madrid, mas assumiu a convicção de que pode conquistar terça-feira a Supertaça europeia em Skopje, Macedónia.

“É a diferença entre o vencedor da Liga dos Campeões e da Liga Europa (...). A qualidade de topo está obviamente na Liga dos Campeões, pois quando chegamos às meias-finais estamos nos quatro, cinco ou seis melhores da Europa. Por isso há uma diferença de qualidade. Mas é possível (vencer). Acreditamos que é possível”, vincou.

O técnico desvalorizou o reencontro com o Real Madrid, assumindo que o mais importante será ganhar um novo troféu: “É com esperança que disputo a Supertaça, frente ao campeão da Europa que, além do mais, é a equipa com mais história e troféus. Isso é que me faz sonhar”.

Defrontar o clube que orientou entre 2010 e 2013, e do qual saiu em divergência com determinados jogadores, não tem peso emotivo especial para Mourinho, garantindo que os problemas no futebol não extravasam a parte desportiva, pelo que cumprimentará todos os seus oponentes.

“Por isso mesmo não tenho nenhum problema como ninguém, porque já não trabalho com eles. Com alguns mantenho uma relação mais próxima, com contacto, com telefonemas. Com outros não, mas isso não aconteceu só no Real, também aconteceu no Chelsea, no Inter ou no FC Porto”, esclareceu.

Depois de ‘picar’ Gareth Bale, garantindo que perderá o interesse na sua contratação caso o galês jogue, apenas palavras pacíficas: “Se me perguntarem se terça-feira encontrarei alguém a quem não cumprimentaria, nem pensar. Obviamente, cumprimentarei todos com prazer”.

"Dei tudo. Saí tranquilo, sem vontade de lavar roupa suja"

Mourinho recorda que saiu do clube sem vontade de “lavar roupa suja” e lembrou que quando chegou a Madrid “o clube nem cabeça de série era na Liga dos Campeões”.

“E uma equipa que, apesar da sua incrível história, não passava nem dos quartos de final. Os seus jogadores mais importantes nunca tinham jogado uns quartos de final e quando saí era uma equipa que tinha disputado três meias-finais consecutivas, era cabeça de série, tinha sido campeã em Espanha”, reavivou.

O português afiança que deixou Madrid “com a tranquilidade de ter dado tudo e de não ter mais para dar”.

“Dei tudo. Saí tranquilo, sem vontade de lavar roupa suja. Não falei deste ou daquele, de um caso ou de outro. Saí com paz de espírito, para uma vida nova”, completou.

Zidane desvalorizou a provocação de Mourinho quanto a Bale – “não me interessa o que disse o treinador do Manchester United, o importante é que ele está bem e o que vamos fazer (em campo)” – e garantiu que Cristiano Ronaldo, que iniciou a época mais tarde e tem mantido problemas com a justiça fiscal espanhola, está apto a jogar.

“Aconteceram muitas coisas. Como sempre, muito ruído, mas ele está tranquilo. O que mais me impressiona é que fisicamente está ao nível da final da Liga dos Campeões, há dois meses. Isso é que me interessa. É muito importante que esteja connosco, por isso está cá para jogar”, garantiu.

Zidane assumiu as naturais diferenças no estilo com José Mourinho, cujo legado em Madrid elogiou: “Fez um bom trabalho, mas acho que eu também estou a fazer. Cada um faz o seu”.

“Ganhei a Liga dos Campeões, mas isso não significa que seja um génio. Isso são tontices. Tento fazer o máximo, o que gosto, e creio que cada treinador faz o mesmo. Em Madrid todos os treinadores têm jogadores fantásticos. Foi sempre assim na história do clube”, completou.

(Notícia atualizada às 21:26)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas