Escolha as suas informações

Abel Ferreira, o melhor treinador do mundo? Português é o único europeu a vencer duas Taças dos Libertadores
Desporto 28.11.2021
Futebol

Abel Ferreira, o melhor treinador do mundo? Português é o único europeu a vencer duas Taças dos Libertadores

Abel Ferreira
Futebol

Abel Ferreira, o melhor treinador do mundo? Português é o único europeu a vencer duas Taças dos Libertadores

Abel Ferreira
AFP
Desporto 28.11.2021
Futebol

Abel Ferreira, o melhor treinador do mundo? Português é o único europeu a vencer duas Taças dos Libertadores

Redação
Redação
"Não sou o melhor treinador do mundo, mas temos equipa incrível", disse o treinador português, após a vitória do Palmeiras na Taça dos Libertadores.

O Palmeiras venceu o Flamengo por 2-1 e Abel Ferreira já está na lista dos grandes. Na noite de sábado, tornou-se o único europeu a ganhar duas Taças das Libertadores e é apenas o terceiro técnico a consegui-lo, depois de Telê Santana e Carlos Bianchi. 

O ex-treinador de Sporting B, Sporting de Braga B, Sporting de Braga e PAOK, de 42 anos, venceu a edição de 2020, que teve a final já em 2021, culpa da covid-19, e somou o segundo título na principal prova de clubes da CONMEBOL.

Abel alcançou o que, a nível mundial, só outros dois treinadores lusos conseguiram, Manuel José, campeão africano quatro vezes pelos egípcios do Al-Ahly, e José Mourinho, que ganhou a Liga dos Campeões da UEFA pelo FC Porto e, depois, ao comando dos italianos do Inter de Milão.

Palmeiras celebra vitória na Libertadores.
Palmeiras celebra vitória na Libertadores.
AFP

Ainda assim, não se deixa levar por grandes eleogios. O treinador do Palmeiras disse que, apesar do segundo título consecutivo conquistado na Taça dos Libertadores pelo Palmeiras, não se sente "o melhor treinador do mundo", mas que orienta, sim, "uma equipa incrível". 

O português revelou ainda que está no limite e a escrever um livro sobre a sua história de sucesso no clube brasileiro, sua e da equipa técnica, fez questão de precisar. Abel Ferreira afirmou disse que não "se agarra aos problemas" e que, por esta razão, "sempre esteve habituado a fazer mais com menos". Neste caso, a trabalhar sem reforços devido às poupanças no clube. "Faço o que gosto com paixão, com alegria, com orgulho e, por vezes, muito cansado, muito exausto. Estou no meu limite mental", admitiu.

Com agências

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Baltemar Brito, ex-futebolista em Portugal, trabalhou como adjunto de José Mourinho durante quase uma década. Na sexta-feira, o luso-brasileiro chegou ao Luxemburgo para conhecer o país e diz que foi “uma agradável surpresa”. Esteve uns dias no Grão-Ducado para sondar o nível futebolístico que se pratica nas principais equipas do país, principalmente as mais ambiciosas.
Entraîneur Adjoint de José Mourinho