Escolha as suas informações

1.ª divisão. A marcar há 30 anos seguidos
Desporto 6 min. 08.08.2022
Futebol

1.ª divisão. A marcar há 30 anos seguidos

Futebol

1.ª divisão. A marcar há 30 anos seguidos

Foto: Lusa
Desporto 6 min. 08.08.2022
Futebol

1.ª divisão. A marcar há 30 anos seguidos

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar
Braga e Sporting dividem seis golos no primeiro grande espectáculo de bola em 2022-23.

É o início do Sporting de Bobby Robson. Na baliza, Sérgio. À defesa, Marinho, Valckx, Barny e Leal. No meio, Filip e Peixe. Nas alas, Figo e Balakov. Ao ataque, Cadete e Juskowiak. No banco, Ivkovic, Carlos Jorge, Capucho, Amaral e Iordanov. O Braga de Vítor Manuel, homem de bigode farto, joga com Rui Correia mais Eugénio, Zé Nuno Azevedo, Jorge Ferreira e King mais Eusébio, Fernando Pires, Luiz Fernando e Folha mais Forbs e Toni. O banco inclui nomes do alto como Zé Nuno Amaro, Artur Jorge, Secretário, Kiki e Chiquinho Carlos

Estamos a 12 Setembro 1992, um sábado, É a 4.ª jornada da 1.ª divisão e o Sporting, só com três pontos em seis possíveis, está proibido de perder mais pontos sob o risco de se atrasar ainda mais ao líder FC Porto. O árbitro é o portuense João Mesquita e é ele, com a ajuda de um fiscal-de-linha, o responsável pelo 0:0. Aos 12 minutos, corta uma jogada de golo do Sporting. A desmarcação é de Cadete para Juskowiak e o polaco parte atrás do lateral-direito Eugénio, ainda fora da área. O fiscal levanta a bandeirola e o árbitro apita antes do remate de Jusko para a baliza do desamparado Rui Correia.

Daí até ao final, convenhamos, faltam largos 78 minutos. E nem uma nem outra equipa competem, convenhamos, pelo golo. É uma noite muito pobre dos 20-e-muitos intervenientes, sem chama nem apetência para desatar o nó do nulo. O Sporting volta à estaca zero, a exemplo do sucedido na jornada de abertura, em casa, vs Tirsense (0:0), numa noite famosa pela ausência de substituições de Robson, e na semana seguinte, no Vidal Pinheiro, vs Salgueiros (2:0).

Tão-só 360 minutos de 1.ª divisão e já o Sporting está longe dos candidatos ao título FC Porto mais Benfica. Fixe bem a data, Setembro 1992. Daí para cá, 30 anos, quase 31. Daí para cá, 30 clássicos entre Braga e Sporting no campeonato. E nunca mais há um 0:0. É incrível, e verídico. Quando os dois se reúnem em Braga, a festa do golo é uma realidade. Seja um, sejam seis, como agora, na primeira jornada da edição 2022-23.

A fartura de golos está intimamente ligada à fome de bola dos intervenientes em campo. Há gente com estilo, há gente com garra, há gente com motivação extra. E há duas equipas com toque de bola, sempre sempre sempre a pensar no ataque. Claro, seis golos dá a ideia de erro defensivo. E sim, eles existem. E em nada se comparam com a beleza do jogo vertical, sem medos e, claro, vertiginoso. A primeira parte é disso um belo exemplo. Matheus Nunes saca dois lances de força e querer para arrancar o 0:1 de Pedro Gonçalves e o 1:2 de Nuno Santos. Pelo meio, Ricardo Horta solta-se para o meio e Banza empata. Antes do intervalo, já nos descontos, o também francês Niakaté faz o 2:2.

A segunda parte é mais pensada, vá. A bola continua solta, atenção, só que menos próxima da baliza. As substituições mudam tudo. Tanto assim é, os suplentes Rochinha e Edwards fabricam o 2:3 a sete minutos do fim. Acto contínuo, Artur Jorge, o tal suplente do Braga no 0:0 em 1992, mete Abel Ruiz em campo. E o espanhol fixa o 3:3 no primeiro toque da bola. Seis golos, insistimos. G’anda joga, palmas para todos, sobretudo o futebol. É um espectáculo bonito e, ainda por cima, num estádio cheio e em plena luz do dia.

É o único grande a perder pontos, o Sporting. Antes, tanto Benfica como FC Porto ganham com um à vontade assinalável, ambos com quatro golos de diferença. Começa o Benfica, na sexta-feira. Gilberto abre o livro e é dele o primeiro golo da 1.ª divisão 2022-23, na sequência de uma rápida jogada pela esquerda com cruzamento perfeito de Grimaldo para a entrada à ponta de lança do lateral-direito. Até ao intervalo, há tempo para o resultado engordar mais duas vezes por Rafa e Enzo (que craque, um Simeone ainda mais robusto e muito mais técnico). Na segunda parte, bis de Rafa e 4:0.

Continua o FC Porto, no sábado. O Marítimo, pobre coitado, nem respira. Ao intervalo, 3:0. Taremi continua com a pontaria afinada e faz bis como Rafa Silva. Por falar em bis, o lateral-direito João Mário já acumula duas assistências para golos de cabeça de Evanilson e Toni Martínez. O campeão está bem e aconselha-se. Nada de novo, há uma semana já conquistara a Supertaça portuguesa com um futebol fluído vs Tondela, da 2.ª divisão.

E a pedalada dos outros? O Vitória SC, com rodagem europeia, já com três jogos na Liga Conferência, a caminho do quarto, no dia 10, sai-se bem em Chaves e o mesmo acontece com o Vizela em Vila do Conde. Curiosamente, os dois anfitriões fazem parte do lote de três primodivisionários. O outro é o Casa Pia, arredado dos grandes palcos desde 1939. O empate 0:0 nos Açores sabem a pouco, já que Lelo falha um penálti aos 10 minutos para defesa de Marco Pereira, do Santa Clara.

Caaaaalma, há mais. Na véspera, sábado à tarde, o Famalicão falha o primeiro penálti do campeonato, por Millan, no António Coimbra da Mota. Já há 2:0 para o Estoril, uma das equipas mais interessantes de se seguir, mais não seja por ser treinado por um homem na mira de tudo e todos durante a época passada, ao serviço do Benfica. Falamos de Nélson Veríssimo, claro está. Num ambiente mais tranquilo e condizente com a sua personalidade (e a nossa, também), o Estoril joga e faz jogar. Vamos ver.


CRISTIANO RONALDO EM JOGO DE JUVENIS  NUM CAMPO PELADO EM 9/05/98
FOTO DO JORNAL DO SPORTING
Tudo o que sempre quis saber sobre Cristiano Ronaldo mas nunca ousou perguntar
Histórias sobre o lado menos conhecido do jogador português. Por Rui Miguel Tovar.

Resultados:

  • Benfica                       4:0             Arouca
  • Rio Ave                       0:1             Vizela
  • Estoril                        2:0             Famalicão
  • FC Porto                     5:1             Marítimo
  • Santa Clara                0:0             Casa Pia
  • Braga                          3:3             Sporting
  • Chaves                        0:1             Vitória SC
  • Portimonense             0:1             Boavista
  • Gil Vicente                  hoje           Paços

(Autor escreve de acordo com a antiga ortografia.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Golo supersónico de Evanilson aos 33 segundos orienta Porto para uma vitória categórica (3:0) na Taça de Portugal num triste espectáculo de futebol sem bola