Escolha as suas informações

'Violent Night'. O filme 'Sozinho em casa' é para meninos
Opinião Cultura 1 2 min. 04.12.2022
Cinema

'Violent Night'. O filme 'Sozinho em casa' é para meninos

Cinema

'Violent Night'. O filme 'Sozinho em casa' é para meninos

Opinião Cultura 1 2 min. 04.12.2022
Cinema

'Violent Night'. O filme 'Sozinho em casa' é para meninos

Raúl REIS
Raúl REIS
"Violent Night" é tão absurdo que é fácil percebermos que não é sangrento apenas por ser sangrento.

Com a palavra violência no título, não é preciso ser um génio para adivinhar que o filme traz consigo alguma... violência.

"Violent Night" é uma mistura de "John Wick" com "Home Alone" ("Sozinho em Casa", em português).

Há momentos enormes neste filme: brutais e divertidos, exatamente aquilo que queremos quando vamos ver um filme assim... mesmo se nunca vimos um filme assim.

Claro que tudo vai depender do público que vai estar consigo na sala de cinema. Um público que perceba o humor de "Violent Night" e que "entre no jogo" tornará a experiência ainda mais agradável.

Há muitos momentos de franco rir que são muitos melhores partilhados.

Alguns espectadores mais totós podem defender que a violência é exagerada. "Violent Night" é tão absurdo que é fácil percebermos que não é sangrento apenas por ser sangrento. É porque tinha mesmo que ser assim.

O humor e o timing do protagonista David Harbour é uma das razões que faz deste filme algo mais do que ação e brutalidade.

E a dinâmica entre os personagens é perfeita. Além de David Harbour, "Violent Night" conta com John Leguizamo ao lado de Edi Patterson, Cam Gigandet, Alex Hassell, Alexis Louder e Beverly D' Angelo. Vai reconhecer esta gente toda de filmes cómicos e de séries televisivas.

A história em si mesma parece-se com muitos outros filmes de Natal, mas com uma classificação para maiores de 16 anos. "Violent Night" é indecente e bruto, senão poderia tornar-se um verdadeiro clássico de Natal. Mas até tenho a impressão de que jovens adultos e adolescentes poderão fazer desta obra um filme de culto a rever anualmente na noite da consoada.

Tratando-se de um normal filme de Natal, pode adivinhar-se que não é muito profundo. A história é mediana, banal, não há verdadeiras reviravoltas e o público é brindado com uma temática básica de festas de fim de ano.

Tudo começa na véspera de Natal, quando um grupo de mercenários invade a propriedade de uma família rica e os faz reféns. Mas os maus da fita terão de enfrentar um adversário que não esperavam: o Pai Noel. O gordo homem de vermelho vai para mostrar aos mauzões que o velho Santa Claus tem um arsenal de truques surpreendente.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

O filme foi realizado pelo ousado cineasta norueguês Tommy Wirkola e é produzido por Kelly McCormick, David Leitch e Guy Danella. O argumento do filme é assinado por Pat Casey e Josh Miller.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.