Escolha as suas informações

Vai nascer um Museu da Música dedicado a Cesária Évora no Mindelo
Cultura 3 min. 29.11.2022
Cabo Verde

Vai nascer um Museu da Música dedicado a Cesária Évora no Mindelo

Consgtrução do museu irá envolver um arquiteto de “renome internacional”, para potenciar o legado da “diva”.
Cabo Verde

Vai nascer um Museu da Música dedicado a Cesária Évora no Mindelo

Consgtrução do museu irá envolver um arquiteto de “renome internacional”, para potenciar o legado da “diva”.
Foto: Lusafrica/Eric Mulet
Cultura 3 min. 29.11.2022
Cabo Verde

Vai nascer um Museu da Música dedicado a Cesária Évora no Mindelo

Lusa
Lusa
“A Cesária é o nosso maior ícone. Nós continuamos a não ter Cesária no devido lugar em Cabo Verde”, afirmou hoje o ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente.

O ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, apontou hoje a ambição de construção no Mindelo de um Museu da Música dedicado a Cesária Évora, envolvendo um arquiteto de “renome internacional”, para potenciar o legado da “diva”.

“A Cesária é o nosso maior ícone. Nós continuamos a não ter Cesária no devido lugar em Cabo Verde”, afirmou hoje o ministro Abraão Vicente, considerando como “inevitável” que, nos próximos anos, o Governo cabo-verdiano “financie a construção” de “raiz” do museu dedicado à cantora (1941-2011).


Cesária Évora, a "diva dos pés descalços"
"Cesária Évora". Filme nomeado para prémios da Associação Internacional do Documentário
O filme português “Cesária Évora”, sobre a ‘diva dos pés descalços’, de Ana Sofia Fonseca, está nomeado para os prémios da Associação Internacional do Documentário, cujos vencedores serão anunciados em dezembro nos Estados Unidos.

“É preciso termos um terreno novo, construirmos um projeto de preferência por um arquiteto de renome internacional, porque é o que se faz com as grandes figuras, para poder coletar da parte harmonia, da parte dos familiares, e da parte dos colecionadores privados, um espólio relevante para criarmos o Museu da Música com o nome da Cesária Évora”, afirmou ainda Abraão Vicente, à margem de uma conferência de imprensa, na Praia, sobre os resultados do Edital Resgate e Promoção da Música Tradicional Cabo-verdiana, concurso promovido pelo Ministério da Cultura.

Cesária Évora nasceu em 27 de agosto de 1941 e viveu no Mindelo, cidade onde também morreu, em 17 de dezembro de 2011, sendo considerada, com as suas mornas, a cantora de Cabo Verde com maior reconhecimento internacional.

  É o “próximo grande projeto cultural” no Mindelo

O museu, sublinhou o ministro, permitirá “aos turistas, aos visitantes e aos próprios cabo-verdianos conhecer não só a parte de Cesária Évora, mas de toda a música cabo-verdiana, nomeadamente da morna”, classificada desde dezembro de 2019 como Património Imaterial Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Abraão Vicente garantiu que esse será o “próximo grande projeto cultural” para a cidade do Mindelo, ilha de São Vicente, a ser concretizado “neste mandato ou nos próximos, com este Governo ou com outro”, tendo em conta que os atuais núcleos museológicos dedicados à ‘diva dos pés descalços’, instalados essencialmente em casas onde a artista viveu, não servem esse propósito.

“As casas onde viveu Cesária Évora não têm o desenho necessário para receber um museu da dimensão que a Cesária Évora merece”, afirmou, garantindo que o Instituto do Património Cultural está encarregado de “desenhar a nível conceptual” o futuro museu.

“Nos próximos tempos teremos de apresentar um projeto que seja ambicioso. Será um outro pilar para ligar as indústrias criativas para alavancar o parque museológico nacional, mas também para alavancar o legado de Cesária Évora”, apontou, garantindo que o próximo “principal projeto” daquele ministério “deve ser valorizar Cesária Évora”.

O objetivo é “entrar em acordo com os familiares quanto ao seu espólio e quanto à exploração da sua própria imagem ligada à divulgação internacional de Cabo Verde”, disse ainda Abraão Vicente.


O sucesso bateu à porta de Cesária Évora já depois dos cinquenta. Mas ela continuou sempre com os pés descalços bem assentes no chão. No chão do Mindelo, a sua cidade, o seu grande amor.
Cesária Évora. Luzes e sombras na vida de uma diva
Cesária Évora não morreu. Deixou-se morrer. Foi há dez anos quando um segundo AVC lhe matou a voz suave e celestial. Cize é muito mais que sentimentos. Muito mais que música. É Cabo Verde no mundo.

A Associação Cesária Évora assegurou em novembro de 2021 que o espólio da artista está preservado, à espera da concretização do Museu Cesária Évora, na sua casa no Mindelo, prometido desde o falecimento da ‘diva dos pés descalços’, há quase 11 anos.

O interesse para instalar o museu na casa de Cesária Évora, onde a cantora viveu no Mindelo, entre o tempo dos concertos que realizava por todo o mundo, mantém-se.

Neste momento, o conteúdo relacionado com a cantora está ainda espalhado, no Mindelo, por três espaços em particular: no Núcleo Museológico, na exposição no Palácio do Povo, de Francisco Rocha, que tem mais de 20 anos de recolha de fotografias, certificados internacionais e outros objetos pessoais como os vestidos da cantora, bem como na casa onde viveu a artista.

O atual Núcleo Museológico foi criado em maio de 2015, precisamente no edifício construído dez anos antes para então ser a residência da artista Cesária Évora.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.