Escolha as suas informações

Um tesouro pagão no Vaticano: a história de amor de Pedro e Inês
Cultura 24.06.2022
Doação

Um tesouro pagão no Vaticano: a história de amor de Pedro e Inês

O manuscrito quinhentista tem como título a “Tragédia Amorosa de Dona Inês de Castro" e é centrada na tragédia em torno do amor entre o então futuro Rei D. Pedro I e a galega D. Inês de Castro.
Doação

Um tesouro pagão no Vaticano: a história de amor de Pedro e Inês

O manuscrito quinhentista tem como título a “Tragédia Amorosa de Dona Inês de Castro" e é centrada na tragédia em torno do amor entre o então futuro Rei D. Pedro I e a galega D. Inês de Castro.
DR
Cultura 24.06.2022
Doação

Um tesouro pagão no Vaticano: a história de amor de Pedro e Inês

Paula FREITAS FERREIRA
Paula FREITAS FERREIRA
O manuscrito estava a ser cobiçado pelo Reino Unido mas a Irmandade dos Clérigos e a Santa Casa da Misericórdia do Porto reuniram fundos para a adquirirem. Foi entregue ao Papa na quarta-feira.

Chama-se a “Tragédia Amorosa de Dona Inês de Castro" e é uma obra histórica do poeta quinhentista António Ferreira. Um autêntico tesouro pagão que foi entregue na passada quarta-feira ao Papa Francisco. O Cardeal José Tolentino de Mendonça, responsável pela Biblioteca Apostólica do Vaticano, onde ficará guardado o manuscrito, já tinha anunciado a preciosa entrega, mas pedira segredo até que a obra chegasse à Santa Sé.

“Este mês a Biblioteca do Vaticano vai receber a doação de Portugal de um texto quinhentista que é muito importante para a literatura portuguesa”, disse, há duas semanas, o Cardeal, durante um encontro no Vaticano com jornalistas, onde o Contacto esteve presente, revelando também que nas estantes da Biblioteca do Papa já existe um “cancioneiro das Cantigas de Amigo”. 

Porto não quis deixar fugir a obra para Inglaterra 

Esta nova doação vai “enriquecer” ainda mais tudo o que guarda a biblioteca mais antiga do mundo, disse ainda o Cardeal Tolentino. 

António Ferreira, o poeta quinhentista que escreveu a “Tragédia Amorosa de Dona Inês de Castro”, é considerado um dos maiores poetas do classicismo renascentista de língua portuguesa.

A obra foi adquirida há algumas semanas num alfarrabista da cidade do Porto pela Irmandade dos Clérigos e pela Santa Casa da Misericórdia do Porto "num gesto que permite preservar a ligação a Portugal deste objeto valioso", lê-se na nota enviada à comunicação social.

O manuscrito estava a ser cobiçado pelo Reino Unido e, "antecipando-se a essa potencial perda histórica para a cultura portuguesa", as duas instituições reuniram fundos para adquirirem, junto do alfarrabista, a obra que conta uma das mais belas e tristes histórias de amor portuguesas. 

A história, que todos conhecem, é centrada na tragédia em torno do amor entre o então futuro Rei D. Pedro I e a galega D. Inês de Castro, considerada a título póstumo Rainha de Portugal.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas