Escolha as suas informações

Sete amigos, uma piscina e o sentido da vida

Sete amigos, uma piscina e o sentido da vida

Foto: boshua
Cultura 5 2 min. 09.01.2019

Sete amigos, uma piscina e o sentido da vida

Sibila LIND
Sete atores internacionais, entre eles a luso-luxemburguesa Rita Bento dos Reis, encarnam o papel de sete amigos que discutem entre si sobre as dificuldades da vida e das relações humanas. "Stupid Fucking Bird" é uma adaptação da obra "A Gaivota" de Tchékhov e estreia esta sexta-feira no Luxemburgo.

Sozinho no palco, um homem olha à sua volta. "Start the fucking play" ("Comecem o raio da peça"), grita para o público. E espera. Até alguém repetir as suas palavras. Só assim, os restantes atores entram em cena, a música começa e a luz muda. De repente, entramos no jardim de uma casa de verão, com sete amigos sentados à beira da piscina, a falar sobre arte, a dificuldade de viver e o mundo atual. 

© boshua

A luso-luxemburguesa Rita Bento dos Reis, que no ano passado encenou uma peça baseada na obra de Fernando Pessoa no Théâtre d'Esch, é uma das atrizes de "Stupid Fucking Bird", uma adaptação contemporânea da obra "A gaivota" de  Anton Tchékhov, que Anne Simon traz esta sexta-feira para o Théâtre des Capucins, na cidade do Luxemburgo. "É uma peça que apanha o humor de Tchékhov em relação à angústia de viver e às dificuldades das relações humanas e, ao mesmo tempo, é uma peça muito atual", conta Rita. "Apesar de os temas de Tchékhov serem intemporais, o ritmo e a maneira como as pessoas falam mudam ao longo do tempo. Portanto, conseguir ter um ritmo da palavra de hoje com os temas de Tchékhov é muito forte". 

A peça "Stupid Fucking Bird" foi escrita pelo dramaturgo americano Aaron Posner e estreou pela primeira vez em 2013, no Woolly Mammoth Theatre Company, em Washington, nos Estados Unidos. Rita foi convidada por Anne Simon para fazer o papel de Emma, uma conhecida atriz narcisista mãe de um jovem depressivo. "A encenadora gosta de trabalhar com um elenco internacional. Há um irlandês, um inglês, um americano, uma luxemburguesa com raízes islandesas, dois luxemburgueses e eu", diz a atriz de 41 anos, acrescentando que a última vez que participou numa peça representada em inglês foi há seis anos. "A peça está a ter muita procura porque não há muita oferta em inglês no Luxemburgo. E dessa forma atrai um público diferente", conta. "É um mercado que se está cada vez mais a desenvolver, assim como o país, que se está a voltar cada vez mais para o inglês".

"Stupid Fucking Bird" estreia esta sexta-feira no Théâtre des Capucins, e vai estar em cena até dia 23 de janeiro.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Quando o Desassossego de Pessoa revela o desassossego de uma lusodescendente
Uma das obras mais emblemáticas de Fernando Pessoa dá o mote para uma peça que estreia esta quarta-feira no Théâtre d’Esch, no Luxemburgo. Em “Intranquillités – Suite pour âmes perdues”, entramos no quarto de Lena, uma jovem luxemburguesa filha de pais portugueses que, ao descobrir “O Livro do Desassossego”, embarca num sonho e numa procura pela identidade.
Teatro: Rita Bento dos Reis na pele de uma refugiada
A peça de teatro “Welcome to Paradise”, que dá voz aos refugiados que chegaram ao Luxemburgo para fugir à guerra ou à perseguição, estreia esta quarta-feira na Abadia de Neimënster. A atriz Rita Bento dos Reis faz parte do elenco.
A atriz portuguesa Rita Bento dos Reis faz parte do elenco da peça de teatro "Welcome to Paradise"