Escolha as suas informações

Salvador Sobral canta hoje em Kiev pela melhor classificação de sempre
Cultura 4 min. 13.05.2017 Do nosso arquivo online
Eurovisão

Salvador Sobral canta hoje em Kiev pela melhor classificação de sempre

Eurovisão

Salvador Sobral canta hoje em Kiev pela melhor classificação de sempre

Foto: Roger Dewayne Barkley, EuroVisionary
Cultura 4 min. 13.05.2017 Do nosso arquivo online
Eurovisão

Salvador Sobral canta hoje em Kiev pela melhor classificação de sempre

O cantor português Salvador Sobral disputa hoje a final do Festival Eurovisão da Canção, em Kiev, com a música “Amar pelos dois”, naquela que poderá ser a melhor prestação de sempre de Portugal no concurso.

O cantor português Salvador Sobral disputa hoje a final do Festival Eurovisão da Canção, em Kiev, com a música “Amar pelos dois”, naquela que poderá ser a melhor prestação de sempre de Portugal no concurso.

Hoje em Portugal as atenções estão voltadas para três ‘F’: de manhã para Fátima (onde estará o papa Francisco a canonizar os pastorinhos Francisco e Jacinta, no centenário das “aparições”), ao final da tarde para o Futebol (o Benfica pode sagrar-se tetracampeão português de futebol, pela primeira vez na história, caso vença o Vitória de Guimarães no Estádio da Luz, em Lisboa) e à noite para o Festival.

A final do Festival Eurovisão da Canção é disputada no Centro Internacional de Exposições de Kiev, na Ucrânia, por 26 países - Portugal, Moldávia, Azerbaijão, Grécia, Suécia, Polónia, Arménia, Austrália, Chipre, Bélgica (apurados na primeira semifinal), Áustria, Roménia, Holanda, Hungria, Dinamarca, Croácia, Noruega, Bielorrússia, Bulgária, Israel (apurados na segunda semifinal), França, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido (os denominados ‘Cinco Grandes’) e a Ucrânia (país anfitrião) - e Salvador Sobral atua na primeira parte da cerimónia, que pode ser acompanhada em direto a partir das 20:00 na RTP e no Youtube.

O momento da atuação do cantor português foi decidido por sorteio, realizado numa conferência de imprensa na terça-feira, depois da primeira semifinal e durante a qual Salvador Sobral alertou para o drama dos refugiados: “Se estou aqui e se tenho exposição [mediática] europeia, o mínimo que posso fazer é deixar uma mensagem humanitária”, disse na altura.

A atenção dada ao Festival da Eurovisão é este ano maior do que em anos anteriores porque esta poderá ser a primeira vez que o país entra nos cinco melhores de uma final, de acordo com as análises internacionais e casas de apostas.

No 'site' eurovisionworld.com, dedicado ao concurso e que faz uma média de várias casas de apostas, Portugal encontrava-se, até quinta-feira e desde 06 maio, no segundo lugar do pódio. Na sexta-feira, destronou Itália do primeiro lugar, posto que aquele país ocupava desde 18 de fevereiro.

No mesmo 'site', é perguntado aos internautas quem irá vencer o festival: até sexta-feira, 20% escolhiam Portugal, 15% Itália e 08% a Bélgica.

A avaliar pelas apostas, o italiano Francesco Gabanni, com “Occidentali’s karma”, tema num estilo ‘electropop’ cujo vídeo conta com mais de 110 milhões de visualizações no Youtube, é o grande rival do cantor português.

Apesar disso, Salvador Sobral tem sido considerado pelos jornalistas que acompanham habitualmente o concurso “a grande sensação do festival”.

Nas redes sociais são várias as manifestações de apoio ao cantor português, algumas até de estrangeiros, como de um grupo de jovens ucranianas e de um outro de crianças espanholas que gravaram vídeos nos quais cantam “Amar pelos dois”.

O vencedor é decidido, em partes iguais, pelo voto do público e de um júri profissional, de cada um dos países participantes.

“Amar pelos dois”, composta por Luísa Sobral, venceu a 06 de março a final do Festival da Canção, que decorreu no Coliseu dos Recreios em Lisboa e foi disputada por oito canções.

Com este tema, Portugal regressou à Eurovisão, após um ano de ausência, onde se estreou em 1964. A melhor classificação portuguesa no concurso foi um sexto lugar em 1996, com a canção “O meu coração não tem cor”, interpretada por Lúcia Moniz. A última vez que Portugal competiu numa final do Festival Eurovisão da Canção foi em 2010.

À parte da participação portuguesa, esta edição do Festival Eurovisão da Canção ficará marcada pelo conflito entre a Ucrânia e a Rússia.

A 13 de abril, a Rússia anunciou que não iria participar no concurso após a Ucrânia ter impedido a entrada da concorrente russa em território ucraniano. A cantora Yulia Samoylova está proibida de entrar na Ucrânia durante três anos, por ter dado um concerto na Crimeia em junho de 2015, após a anexação russa daquela península em 2014.

A organização do festival, que insiste na participação da cantora russa, ameaçou excluir a Ucrânia das próximas edições do concurso se Kiev insistir em proibir a entrada de Yulia Samoylova no país.

Entretanto, a Rússia já anunciou que a cantora irá representar o país na edição de 2018 do concurso.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Com honrosa exceção de Salvador Sobral e um 6º lugar de Lúcia Moniz, o historial das participações portuguesas no Festival Eurovisão da Canção são uma espécie de psicose depressiva. No entanto, histórias não faltam. Eis algumas ocultas.
Este ano todas as esperanças estão concentradas em Maro, com o tema "Saudade, Saudade".