Escolha as suas informações

Réplica do Arco do Triunfo de Palmira vai estar no Luxemburgo
Cultura 1 11.12.2019 Do nosso arquivo online

Réplica do Arco do Triunfo de Palmira vai estar no Luxemburgo

Réplica do Arco do Triunfo de Palmira vai estar no Luxemburgo

Foto: Wikimedia Commons/Bernard Gagnon/CC3.0
Cultura 1 11.12.2019 Do nosso arquivo online

Réplica do Arco do Triunfo de Palmira vai estar no Luxemburgo

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
A obra ficará exposta em frente à Abadia de Neumünster, de 17 de dezembro até fevereiro do próximo ano.

Em 2015, o Arco do Triunfo romano, com cerca de 2000 anos, foi arrasado pelo pelo auto-proclamado Estado Islâmico quando este tomou a cidade histórica de Palmira, na Síria. 

Quatro anos depois, uma réplica criada com a tecnologia 3D estará exposta na capital do Luxemburgo. O acontecimento vai marcar o início das comemorações do 25.º aniversário da inscrição da capital no Registo do Património Mundial da UNESCO - Cidade Velha e Fortificações. 

A iniciativa de convidar a réplica do Arco do Triunfo de Palmira foi tomada pelo Ministério da Cultura e pela Comissão de Cooperação com a UNESCO do Luxemburgo. "O objetivo era usar essa instalação para enviar uma mensagem de paz e esperança", explica Luc Schadeck, membro do Ministério da Cultura. 

Além da homenagem à jóia síria, os visitantes do Luxemburgo poderão admirar "uma tecnologia de escultura 3D pioneira, capaz de criar rebocos muito precisos de objectos modelados por computador em pedra maciça". 

Schadeck acrescenta que esta será também uma questão de "chamar a atenção para a importância de contribuir para a protecção e preservação da história e do património dos povos ameaçados em todo o mundo".

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

História perdida para a guerra 

Em 2015, o EI destruiu vários monumentos de Palmira, uma das cidades mais antigas do mundo e visitadas da Síria até ao início da guerra civil, em 2011. O Arco do Triunfo, construído no século III por Septimus Severus, foi uma das perdas, bem como vários túmulos e os templos de Baalshamin e Bel. 

O Instituto de Arqueologia Digital da Grã-Bretanha começou um projeto de reconstrução em grande escala. Uma escultura 3D, um verdadeiro feito tecnológico, foi criada e vem percorrendo as principais cidades do mundo há vários meses. 

Depois de Nova Iorque, Londres, Washington, Dubai, Florença, Arone, Genebra e Berna é agora a vez do Luxemburgo, até 29 de fevereiro de 2020.