Escolha as suas informações

Presidente da República quer repetir gesto de Sampaio e agraciar pintora Paula Rego
Cultura 2 min. 08.08.2019

Presidente da República quer repetir gesto de Sampaio e agraciar pintora Paula Rego

Paula Rego e Nick Willing

Presidente da República quer repetir gesto de Sampaio e agraciar pintora Paula Rego

Paula Rego e Nick Willing
Cultura 2 min. 08.08.2019

Presidente da República quer repetir gesto de Sampaio e agraciar pintora Paula Rego

A inauguração da exposição “Entre a imaginação e a memória”, que marcou o arranque da visita oficial de Marcelo Rebelo de Sousa à Alemanha, contou com a presença do filho da pintora, o realizador Nick Willing, que indicou que a mãe não pôde estar presente por indicação médica.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou hoje em Berlim a intenção de agraciar a pintora portuguesa Paula Rego, admitindo fazê-lo em Londres, onde a artista, de 85 anos, reside.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que apesar de Portugal já ter reconhecido o trabalho da pintora, através do ex-chefe de Estado Jorge Sampaio, que a agraciou em 2004, tem a “intenção de repetir o gesto”.

“Eu tenho a intenção de repetir o gesto, talvez em Londres, quem sabe, porque é difícil em Lisboa”, afirmou o Presidente da República numas breves palavras em inglês no centro cultural do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua em Berlim, onde inaugurou a primeira exposição individual de Paula Rego na Alemanha.

Paula Rego foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem de Sant’Iago e Espada em 2004.

A inauguração da exposição “Entre a imaginação e a memória”, que marcou o arranque da segunda visita oficial de Marcelo Rebelo de Sousa à Alemanha - a primeira foi em 2016 -, contou com a presença do filho da pintora, o realizador Nick Willing, que indicou que a mãe não pôde estar presente por indicação médica.

“Maravilhoso” foi a primeira palavra do chefe de Estado português ao observar o tríptico – pastel em papel colado com alumínio - que a pintora escolheu para a sua primeira exposição individual na Alemanha e que retrata, explicou Nick Willing, as memórias dos verões da sua infância em Portugal.

“No primeiro é o pai que lhe está a ler ‘O Inferno de Dante’, claro, ela teve medo. Da janela vê-se a areia da praia e mar” da costa de Cascais, onde viveu os primeiros anos, disse Nick Willing, destacando ainda o terceiro painel, que mostra o “boneco” do pai, sentado e com um polvo gigante aos pés.

“O pai pescou um polvo gigante e a mãe não sabia o que havia de fazer com ele”, descreveu o filho de Paula Rego, profundo conhecedor da obra e que se manifestou surpreendido por não ser muito difundida na Alemanha, ao contrário de noutros países europeus.

Pegando numa ideia avançada pelo embaixador de Portugal em Berlim, Mira Gomes, Marcelo Rebelo de Sousa sustentou que seria bom que Paula Rego, se pudesse viajar por uma vez, que o fizesse em setembro e marcasse presença na Alemanha, altura mais forte da “cena cultural” de Berlim.

A exposição, que teve hoje a presença de galeristas alemães e de representantes do British Council, estará aberta ao público até 7 de outubro

Lusa


Notícias relacionadas