Escolha as suas informações

Paris: Espectáculo de homenagem a Amália Rodrigues no Olympia
Cultura 2 min. 09.10.2016 Do nosso arquivo online

Paris: Espectáculo de homenagem a Amália Rodrigues no Olympia

Paris: Espectáculo de homenagem a Amália Rodrigues no Olympia

Cultura 2 min. 09.10.2016 Do nosso arquivo online

Paris: Espectáculo de homenagem a Amália Rodrigues no Olympia

Simone de Oliveira, Duarte, Pedro Moutinho, Joana Amendoeira, entre outros artistas, sobem hoje à tarde ao palco do Olympia, em Paris, para homenagear Amália Rodrigues, que foi a artista não-francesa que mais temporadas realizou nesta sala.

Simone de Oliveira, Duarte, Pedro Moutinho, Joana Amendoeira, entre outros artistas, sobem hoje à tarde ao palco do Olympia, em Paris, para homenagear Amália Rodrigues, que foi a artista não-francesa que mais temporadas realizou nesta sala.

O objectivo é "prestar a devida homenagem na cidade-luz" à diva do fado, disse à Lusa, o produtor José Antunes, que indicou que a sala está "praticamente esgotada" e que um espectáculo com o mesmo formato será apresentado em Abril no Sul de França.

Simone de Oliveira foi por duas vezes escolhida por Amália para actuar além-fronteiras, em 1966, no I Festival Internacional da Canção do Rio de Janeiro, e em 1969, num espectáculo no Olympia, ao lado de Carlos Paredes, Duo Ouro Negro, e dos Bailados Verde Gaio.

José Antunes afirmou que a ideia surgiu porque viveu durante 34 anos em França, de 1971 a 2005.

"Ando nesta vida de espectáculo desde 1989. Enquanto Amália era viva nunca consegui trabalhar com ela e lembrei-me de lhe prestar a devida homenagem na cidade-luz e na sala onde ela foi cantar ainda eu não era nascido", disse à Lusa José Antunes, director da Dyam Produções.

Amália Rodrigues em várias entrevistas afirmou que foi no palco do Olympia, onde se estreou em 1956, que iniciou a sua internacionalização, apesar de anteriormente ter feito parte da digressão europeia no âmbito do Plano Marshall, de apoio dos Estado Unidos à Europa, após II Grande Guerra (1930-1945), e ter actuado com sucesso noutros países como o Brasil, onde gravou pela primeira vez, Espanha, México e nos Estados Unidos, onde em 1952, no La Vie en Rose, em Nova Iorque, esteve 14 semanas em cartaz, e chegou ao 2.º lugar da tabela de vendas da Billboard.

O elenco do espectáculo, hoje às 15h, inclui ainda a cantora israelita Orly Solomon e os músicos Jorge Fernando, que acompanhou Amália, Custódio Castelo, Carlos Menezes, Nuno Feist, e as cantoras Fábia Rebordão, Anabela e Cláudia Costa.

Amália Rodrigues morreu há 17 anos, na sua residência em Lisboa, aos 79 anos, e ainda hoje surgem no mercado discográfico gravações suas inéditas, a mais recente, “Amália canta Portugal” data de 16 de setembro último.

"A Amália foi a primeira artista portuguesa a subir ao Olympia que continua a ser e será sempre uma sala mítica para todos os artistas. Se queremos juntar a palavra gala a este espectáculo, era a sala ideal para fazer este evento", disse Frankelim Amaral, director da revista bilingue (francês/português) Portugal Mag, que se associou ao projecto artístico.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Vá ao concerto de Joana Amendoeira com a Latina
"O Fado é um mistério. Nunca ninguém vai conseguir explicá-lo", já dizia Amália Rodrigues. Mas para ir ao concerto de tributo à grande diva do fado não há mistério. Ganhe convites duplos ouvindo os programadas da Rádio Latina. Mais abaixo, deixamos indicações de como e quando os poderá ganhar.