Escolha as suas informações

Palestras assinalam centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen

Palestras assinalam centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem: Borderlovers
Cultura 04.04.2019

Palestras assinalam centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen

Maria Andresen de Sousa Tavares, filha da poetisa, falará segunda-feira sobre a obra da mãe na Universidade do Luxemburgo (11:30) e no Centro Cultural Português - Camões (19:00).

Na próxima segunda-feira é assinalado no Grão-Ducado, com dois encontros dedicados à obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, o nascimento da autora de uma das mais notáveis obras literárias portuguesas do século passado. A sua filha Maria Andresen de Sousa Tavares, professora aposentada da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, será conferencista em dois momentos diferentes sob o tema "Espaços biográficos e poéticos na poesia de Sophia": na Universidade do Luxemburgo, Campus Belval (Maison du Savoir), sala 2170, a partir das 11:30, e no Centro Cultural Português - Camões (4, Boulevard Joseph II), às 19:00.

Doutorada com o estudo comparatista Poesia e Pensamento, ensaísta, autora de livros de poesia, tradutora, coordenadora do site "Sophia de Mello Breyner Andresen", Maria Andresen de Sousa Tavares vem organizando e estudando o espólio da mãe, além de rever e editar as suas obras.

Nascida a 6 de novembro no Porto em 1919, Sophia estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa, publicando os primeiros versos na revista Cadernos de Poesia a partir de 1940. O seu primeiro livro data de 1944 e tem o nome de "Poesia". Importante voz de contestação à ditadura de Salazar, Sophia distinguiu-se através da poesia, mas também na ficção com teatro, ensaios, conto e conto infantil, além de ter sido ainda tradutora. Em 1946 casou-se com o jornalista, advogado e político Francisco Sousa Tavares, de quem teve cinco filhos.

Traduzida em inúmeros idiomas, a obra de Sophia é multipremiada, nomeadamente com o Prémio Camões (1999), o Max Jacob (2001) ou o Rainha Sofia (2003). Sophia de Mello Breyner Andresen morreu a 2 de julho de 2004, tendo dez anos mais tarde os seus restos mortais sido transladados para o Panteão Nacional.



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas