Escolha as suas informações

Músicos de Portugal e do Luxemburgo recriam "Grândola"
Cultura 1 2 min. 28.04.2016 Do nosso arquivo online
Sexta-feira, em Ettelbruck

Músicos de Portugal e do Luxemburgo recriam "Grândola"

Depois de terem actuado em Tondela e na Guarda, os músicos vão estar esta sexta-feira em Ettelbruck
Sexta-feira, em Ettelbruck

Músicos de Portugal e do Luxemburgo recriam "Grândola"

Depois de terem actuado em Tondela e na Guarda, os músicos vão estar esta sexta-feira em Ettelbruck
Fotos: Ricardo Chaves
Cultura 1 2 min. 28.04.2016 Do nosso arquivo online
Sexta-feira, em Ettelbruck

Músicos de Portugal e do Luxemburgo recriam "Grândola"

Um grupo de músicos de Portugal e do Luxemburgo está a assinalar o 25 de Abril com concertos nos dois países, num tributo aos "cantautores" da Revolução dos Cravos que inclui também grandes nomes do fado e do jazz. Na sexta-feira, o grupo actua no Centre des Arts Pluriels (CAPE), em Ettelbruck, depois de ter estado em Tondela e na Guarda.

Um grupo de músicos de Portugal e do Luxemburgo está a assinalar o 25 de Abril com concertos nos dois países, num tributo aos "cantautores" da Revolução dos Cravos que inclui também grandes nomes do fado e do jazz.

O espectáculo "Abri’Lux" vai chegar ao Centre des Arts Pluriels (CAPE), em Ettelbruck, já na próxima sexta-feira, dia 29 de Abril, depois de ter estado na Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) e no Teatro Municipal da Guarda nos dias 24 e 25.

Do programa do concerto, que conta com a cantora de jazz Luísa Vieira e músicos do Luxemburgo, fazem parte temas de Zeca Afonso, José Mário Branco, Sérgio Godinho, Fausto, Mário Laginha e Carlos Paredes. E a "Grândola", uma das senhas da Revolução dos Cravos, não podia faltar. "É uma das músicas no programa, não podia faltar", disse ao CONTACTO o contrabaixista luxemburguês Marc Demuth, líder do grupo.

Um reportório a que o 'septuor' vai dar novas roupagens, com "uma sonoridade jazz que põe a tónica na criatividade e na improvisação", explicou Marc Demuth.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

O músico, que promove há anos a música portuguesa no Luxemburgo, formou em 2011 o trio de jazz Inuk com a cantora Luísa Vieira e o pianista George Letellier. Em Maio do ano passado, o grupo foi convidado para actuar na Philharmonie do Luxemburgo a seguir a um concerto de Cristina Branco e Mário Laginha, tendo convidado nessa altura alguns músicos luxemburgueses, que agora se associaram novamente ao projecto "Abri’Lux", a convite da Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT).

"Já há algum tempo que queríamos fazer um concerto em Portugal com a mesma formação, e surgiu o convite da ACERT para o realizar no âmbito dos seus 40 anos e das comemorações do 25 de Abril, com um reportório que incluísse alguns dos compositores associados à Revolução dos Cravos", explicou o músico luxemburguês.

No projecto "Abri’Lux" participam ainda Barbara Witzel (violinista da Orquestra Filarmónica do Luxemburgo), Paulo Simões (guitarra), Jeff Herr (bateria), Annemie Osborne (violoncelo) e o pianista George Letellier.

No Luxemburgo, o grupo vai estar a 29 de Abril no CAPE, em Ettelbruck, para um concerto baptizado "D’Amália à Godinho" (De Amália a [Sérgio] Godinho).

O grupo, no final da actuação na ACERT, em Tondela
O grupo, no final da actuação na ACERT, em Tondela
Foto: Ricardo Chaves



Notícias relacionadas

Há músicos portugueses, luxemburgueses e um norte-americano, vindos da área do jazz e da clássica, no projeto Abri’Lux, que presta homenagem à Revolução portuguesa e aos seus cantautores. Sob a liderança de Marc Demuth, apresentam-se esta quinta-feira na Philharmonie e explicam como foi a experiência de descobrir o que consideram “autênticas joias” de música e palavras que vão de Zeca Afonso a Sérgio Godinho.
O conjunto musical Inuk, composto por artistas de Portugal e do Luxemburgo, sobe a palco do centro cultural Opderschmelz, em Dudelange, esta terça-feira, 25 de abril, para um concerto de homenagem à Revolução dos Cravos.
Grupo junta músicos portugueses e luxemburgueses
A canção de Zeca Afonso que serviu de senha aos militares no 25 de Abril de 1974 ouviu-se na sexta-feira em Ettelbruck, tocada por instrumentistas de jazz e música clássica do Luxemburgo e Portugal.