Escolha as suas informações

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo dedica exposição a João Penalva
João Penalva.

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo dedica exposição a João Penalva

Foto: Lusa
João Penalva.
Cultura 09.02.2018

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo dedica exposição a João Penalva

O Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam) vai dedicar uma exposição ao artista português João Penalva, a inaugurar no dia 2 de março, comissariada por Clément Minighetti.

O Museu de Arte Moderna Grão-Duque Jean (Mudam) vai dedicar uma exposição ao artista português João Penalva, a inaugurar no dia 2 de março, comissariada por Clément Minighetti.

"O artista português João Penalva inventa ficções poéticas que estimulam a nossa imaginação. Os seus contos visuais, que podem ser obras intimistas ou grandes instalações, apresentam-se sob a forma de encenações nas quais coexistem pinturas, fotografias, vídeos e documentos como imagens, textos e sons", pode ler-se na descrição patente na página do museu, dirigido desde o começo do ano pela antiga diretora do Museu de Serralves, Suzanne Cotter.

No contexto desta exposição, o Grande Teatro do Luxemburgo vai ter a abertura da sua temporada, em 15 de setembro de 2018, com "Quinze Bailarinos e Tempo Incerto", da Companhia Nacional de Bailado (de Portugal), com direção artística de João Penalva e coreografia de Rui Graça.

Nascido em 1949, Penalva formou-se em ballet clássico e "percorreu os palcos europeus como bailarino profissional e cenógrafo", antes de se fixar em Londres, onde estudou Belas-Artes, momento a partir do qual se passou a dedicar à pintura.

"Ao longo da década seguinte, estabeleceu-se como pintor neoexpressionista, aclamado em Portugal e no Reino Unido, embora nos anos 90 se tenha aberto a uma progressiva diversificação e complexificação das linguagens artísticas usadas, explorando o vídeo, a instalação, a fotografia, a música, e correlacionando imagem, texto e linguagem em função do valor central duma narratividade -- construindo-a e desconstruindo-a, alternadamente", de acordo com a biografia existente na página da Fundação Calouste Gulbenkian.

Penalva representou Portugal na XXIII Bienal Internacional de São Paulo, em 1996, e na Bienal de Veneza, em 2001, tendo exposto em múltiplas outras bienais internacionais.

A exposição no Luxemburgo vai estar aberta ao público de 3 de março a 16 de setembro, de acordo com o Mudam.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas