Escolha as suas informações

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo: Artista plástico português inaugura exposição no Luxemburgo
Cultura 12 2 min. 08.11.2014

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo: Artista plástico português inaugura exposição no Luxemburgo

Cultura 12 2 min. 08.11.2014

Museu de Arte Moderna do Luxemburgo: Artista plástico português inaugura exposição no Luxemburgo

O Museu de Arte Moderna do Luxemburgo (MUDAM) apresenta “Iam a LostGiantin a BurntForest” (sou um gigante perdido numa floresta ardida), do artista plástico português Rui Moreira. A exposição está patente a partir de hoje até 8 de Fevereiro de 2015.

O Museu de Arte Moderna do Luxemburgo (MUDAM) apresenta “Iam a LostGiantin a BurntForest” (sou um gigante perdido numa floresta ardida), do artista plástico português Rui Moreira. A exposição está patente a partir de hoje até 8 de Fevereiro de 2015.

Rui Moreira nasceu no Porto, em 1971, vive e trabalhar em Lisboa, tendo estudado na Escola do Instituto de Artes de Chicago como bolsista e na ArCo – Centro de Arte e Comunicação Visual, onde é actualmente professor de Desenho.

Em 2007 Rui Moreira expôs algumas das suas obras no MUDAM, numa mostra colectiva com cerca de 30 artistas portugueses, intitulada “Portugal Agora”. ClémentMinighetti, comissário da exposição, ficou desde então “impressionado com a dimensão das obras” do autor, e ficou-lhe gravado na memória “pelo impacto das cores” e por outro lado pela “mudança espiritual do artista”. Afirma ainda que “só agora surgiu a oportunidade de organizar esta exposição de uma forma individual, relacionando uns trabalhos com os outros e realçando a intensidade de cada um”.

“Iam a LostGiantin a BurntForest” é a primeira exposição individual do artista num museu, conta com 22 desenhos de formas abstractas, geométricas e decorativas, inspirados no ritual português dos “Caretos”. Os materiais usados são essencialmente caneta e guaxe, as cores usadas nas diferentes obras são essencialmente as primárias. Conta com um total de 9 exposições em galerias de arte, em Portugal e em Paris na Galeria de Arte “JaegerBucher”.

As obras do artista português reflectem um universo muito pessoal, os desenhos são feitos em papel branco de grandes dimensões, e requerem um trabalho meticuloso e intensivo que por vezes demora meses a ser concluído.

“A minha base é sempre o desenho, inspiro-me em vivências pessoais, interesso-me por tudo o que não se pode pôr em palavras, não se fala ou se fala baixinho. As viagens são também a minha fonte de inspiração através do contacto com culturas e religiões remotas, que constituem experiências marcantes que transponho para os desenhos”, afirma Rui Moreira.

O artista terminou a conversa com o CONTACTO dizendo-se “muito orgulhoso pelo trabalho e pelo resultado final da exposição” e aproveitando “para convidar todos os portugueses residentes no Luxemburgo a visitarem a exposição”.

O preço dos bilhetes varia entre os 3 e os 5 euros. Para mais informações pode consultar o site do MUDAM.

Renata Ramos


Notícias relacionadas

Entrevista Pedro Calapez: Soltar as cores
Chama-se “Inóspitos”, mas as cores vibrantes da exposição de Pedro Calapez no Centro Cultural Português no Luxemburgo não podiam ser mais acolhedoras. Ao Contacto, o artista plástico falou sobre estes 25 trabalhos inéditos, que podem ser vistos até 9 de abril.
Pedro Calapez na inauguração de uma mostra de obras inéditas, no Centro Cultural Português no Luxemburgo.
A partir de hoje e até 16 de outubro: Mega-exposição no Luxemburgo mostra tesouros da arte portuguesa
Uma exposição com mais de 130 peças de arte, que vão da Idade Média ao séc. XVIII português, na sua maioria provenientes do Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, é inaugurada esta quinta-feira, 27 de abril, às 18h30, no Museu Nacional de História e de Arte do Luxemburgo, para mostrar como os Descobrimentos Portugueses ligaram o mundo, influenciando a história da arte, da ciência e das ideias.