Escolha as suas informações

Murder on the Orient Express: O regresso de Agatha Christie
Kenneth Branagh não reparou que anda com um gato morto debaixo do nariz.

Murder on the Orient Express: O regresso de Agatha Christie

Kenneth Branagh não reparou que anda com um gato morto debaixo do nariz.
Cultura 2 min. 13.12.2017

Murder on the Orient Express: O regresso de Agatha Christie

É difícil fazer a seleção de um filme com espírito de Natal nesta época festiva, tantas são as opções. Depois de refletir sobre os mais óbvios títulos em cartaz, pensei que um clássico de crime e mistério, apesar de não ter árvores de Natal nem Meninos Jesus, seria uma boa escolha.

É difícil fazer a seleção de um filme com espírito de Natal nesta época festiva, tantas são as opções. Depois de refletir sobre os mais óbvios títulos em cartaz, pensei que um clássico de crime e mistério, apesar de não ter árvores de Natal nem Meninos Jesus, seria uma boa escolha.

Agatha Christie é a escritora de obras de mistério que mais livros vendeu na História da literatura. Muitas das suas obras deram origem a filmes e séries de televisão. “Murder on the Orient Express” é um dos seus livros mais conhecidos, tendo sido adaptada ao grande ecrã em 1974. E se não se recordam, fica aqui o elenco desse filme inesquecível: Albert Finney, Lauren Bacall, Ingrid Bergman, Jacqueline Bisset, Vanessa Redgrave, Anthony Perkins, Michael York e Sean Connery.

Kenneth Branagh decidiu voltar à história de Agatha Christie e juntou grandes nomes do cinema do século XXI: Penélope Cruz, Willem Dafoe, Judi Dench, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, entre outros.

O próprio Branagh assume o papel mais relevante do filme, o do detetive belga Hercule Poirot, descrito por Agatha Christie como um homem com um impressionante bigode. No passado, Poirot foi sempre retratado com uma bigodaça ao estilo de Dali ou Eça, mas o realizador inglês decidiu que o melhor era passear-se pelo filme com uma espécie de gato cinzento morto debaixo do nariz. Um impressionante bigode que é complementado por uma barbinha igualmente surpreendente.

Mas não estamos aqui para falar de bigodes. O argumento de Michael Green (o mesmo de “Blade Runner 2049”) brilha na forma como apresenta Poirot: um homem preciso, maníaco, ou seja, aquilo que agora se chama, em bom português, um “control freak”. Os primeiros momentos com Poirot servem de entrada, abrindo o apetite para o que pode vir em seguida...

O argumento afasta-se um pouco do livro, mas mantém as marcas características da autora com extrema habilidade. O realizador faz excelentes escolhas de ângulos e pontos de vista, colocando-se por vezes na pele de Poirot, o que acrescenta dramatismo e ajuda à identificação com o protagonista. O elenco é enorme e de grande qualidade. Felizmente, o realizador demonstra generosidade, oferecendo a cada um dos atores a oportunidade de brilhar. O destaque vai, no entanto, para Judi Dench e Michelle Pfeiffer. Kenneth Branagh, no papel de Poirot, só falha por não ser pequeno e frágil como Agatha Christie o descreveu, mas o britânico consegue o tom que qualquer leitor dos livros imaginou. livros imaginou. Os fãs da escritora arriscam-se a gostar.

“Murder on the Orient Express”, de e com Kenneth Branagh, Penélope Cruz, Willem Dafoe, Judi Dench, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Josh Gad e Derek Jacobi.

Raúl Reis

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.