Escolha as suas informações

“Morna elevada a Património da Humanidade é mérito dos músicos cabo-verdianos”
Cultura 08.11.2019

“Morna elevada a Património da Humanidade é mérito dos músicos cabo-verdianos”

Cesária Évora, a "Rainha da Morna".

“Morna elevada a Património da Humanidade é mérito dos músicos cabo-verdianos”

Cesária Évora, a "Rainha da Morna".
Foto: Promo
Cultura 08.11.2019

“Morna elevada a Património da Humanidade é mérito dos músicos cabo-verdianos”

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
A Morna junta-se ao Fado como Património Imaterial da Humanidade da UNESCO.

A morna, género musical e dançante de Cabo Verde, foi reconhecida Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Um ano depois da entrega da candidatura, pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, foi o próprio ministro a anunciar este reconhecimento.

Contactado esta tarde pela Rádio Latina, o ministro Abraão Vicente respondeu desde Dacar, no Senegal. O ministro da Cultura de Cabo Verde diz que recebeu a notícia da UNESCO com grande alegria e atribui o mérito aos criadores e aos músicos.

Espera-se então festa em Cabo Verde, garante o ministro da Cultura, Abraão Vicente.


Solange Cesarovna gere a partir de Cabo Verde os concertos e a Sociedade Cabo-verdiana de Música, de que é presidente
Cesarovna, a nova rainha da morna que cresceu a cantar ao lado de Cesária Évora
Filha de pai cabo-verdiano e de mãe russa, Solange Cesarovna já é tida como a nova rainha da morna, um dos títulos de Cesária Évora, a par de “diva dos pés descalços”. A cantora e compositora deu, este fim de semana, o seu primeiro concerto no Luxemburgo, para promover a candidatura da morna a Património Imaterial da Humanidade, junto da UNESCO.

A Rádio Latina ouviu também a já apelidada "nova rainha da morna", que esteve em concerto no ano passado no Luxemburgo, na sala Hall d’Deisch, em Ettelbruck, precisamente para promover esta candidatura.

Solange Cesarovna, recebeu a notícia esta madrugada e disse à Rádio Latina que teve uma noite de insónia, relembrando que cresceu a cantar ao lado de Cesária Évora, proclamada "Rainha da Morna", a par de “Diva dos pés descalços”.

Solange Cesaronva, a voz que representa atualmente a morna, é também presidente da Sociedade Cabo-verdiana da Música, entidade que esteve envolvida nesta candidatura, com um forte envolvimento do Instituto do Património Cultural e da assistência técnica de Portugal.

No Luxemburgo, ouvimos um dos mais conhecidos e consagrados músicos cabo-verdianos, que partilha o apelido de Cesária: Ney Évora.


Mais do que um estilo musical, Cesária Évora ajudou a fazer da morna um símbolo nacional.
Candidatura à UNESCO. “Esperamos a consagração da morna”
O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde entregou, esta segunda-feira, na UNESCO, o dossier de candidatura do estilo musical “morna” a Património Imaterial da Humanidade. Para Abraão Vicente, o povo cabo-verdiano “merece esse reconhecimento”.

É atualmente um dos mais conhecidos violinistas cabo-verdianos. No Luxemburgo, participa regularmente em concertos e tocatinas e conta com vários trabalhos editados, incluindo mornas.

Quando soube da notícia, diz que já estava à espera desta consagração, que considera uma alavanca para levar a morna a mais pessoas.

Ney Évora, um dos mais conhecidos músicos cabo-verdianos no Luxemburgo, que chegou a abrir concertos de Cesária Évora, Bana e Ildo Lobo.

Tal como o Fado, a Morna passa então a fazer parte do Património Imaterial da Humanidade, uma classificação atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - UNESCO.


Notícias relacionadas

Candidatura à UNESCO. “Esperamos a consagração da morna”
O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde entregou, esta segunda-feira, na UNESCO, o dossier de candidatura do estilo musical “morna” a Património Imaterial da Humanidade. Para Abraão Vicente, o povo cabo-verdiano “merece esse reconhecimento”.
Mais do que um estilo musical, Cesária Évora ajudou a fazer da morna um símbolo nacional.
Morna oficialmente candidata à UNESCO
O ministro da Cultura de Cabo Verde entregou hoje, na UNESCO, em Paris, a candidatura da morna a Património Imaterial da Humanidade e disse que o género musical tem "todas as hipóteses" de ser classificado.
O guitarrista cabo-verdiano Armando Tito