Escolha as suas informações

Mandela - Long Walk to Freedom: Quem foi Nelson Mandela?

Mandela - Long Walk to Freedom: Quem foi Nelson Mandela?

Cultura 3 min. 27.12.2013

Mandela - Long Walk to Freedom: Quem foi Nelson Mandela?

Dias depois da morte de Nelson Mandela, um comerciante indiano da cidade de Coimbatore pagou para que fosse colocado um imenso "outdoor" de homenagem ao líder sul-africano. O imenso cartaz, colocado numa zona central da cidade, suscitou viva polémica nas redes sociais, porque as pessoas começaram a dizer que o homem que figurava no "outdoor" não era Mandela.

Efectivamente, os criadores da homenagem renderam-se à evidência e admitiram que tinham confundido Nelson Mandela com o actor norte-americano Morgan Freeman. O erro foi reconhecido tarde demais e o cartaz esteve visível durante dias, indo parar às redes sociais e dando a volta ao mundo.

Este "fait-divers" é a prova de que Mandela já não tem cara nem existe claramente na memória colectiva. O estadista africano é um daqueles nomes que todos podem citar mas que pouca gente sabe dizer o que fez e o que foi, numa determinada época da História.

Mas confundir Mandela com um actor tem outro aspecto curioso para quem gosta de cinema. Morgan Freeman interpretou o líder negro em "Invictus", um filme de Clint Eastwood sobre a selecção sul-africana de râguebi. Por isso, Freeman é mais uma das caras de Mandela no imaginário colectivo mundial.

Quando o filme saiu já Mandela estava debilitado por problemas de saúde e as imagens que dele se viam eram raras. Ficou a imagem de Freeman, como para Gandhi ficou a de Ben Kingsley.

A relação entre o cinema e a realidade é incestuosa. Os filmes biográficos são um terreno perigoso que permite reescrever a História mais facilmente que nos manuais escolares ou nos discursos oficiais.

Por todo o mundo – à volta da morte de Nelson Mandela – estreou um filme intitulado "Mandela: Long Walk to Freedom". Uma tentativa de contar a história do ex-presidente da África do Sul antes da sua morte que acabou por usufruir dela.

Justin Chadwick (realizador de "The Other Boleyn Girl") baseia-se na autobiografia de Mandela para tentar um filme que é um desafio. A longa vida de Mandela tem muitas histórias e momentos importantes e, certamente também, várias versões. O realizador opta por começar cedo, oferecendo imagens da criança e do jovem, mas trata-se de pequenas aparições. O filme arranca quando entra em cena Idris Elba, que interpreta Mandela adulto. O ritmo é acelerado porque há muito para contar.

O espectador descobre o jovem advogado e a sua vida profissional, o casamento com Evelyn (Terry Pheto) e as infidelidades, o segundo casamento com Winnie (Naomie Harris) e, obviamente, a carreira política do homem que se tornaria no símbolo do movimento anti-apartheid.

O espectador pode sentir-se como num avião com turbulência com tanta informação e eventos, mas a força da interpretação de Elba transmite uma certa calma e assegura uma continuidade na acção que, por vezes, se despista.

O Mandela de Elba é convincente. Elba, diz quem sabe, consegue mesmo adaptar-se à pronúncia sul-africana da língua inglesa e "imitar" Mandela. O actor é de origem ganesa e formou-se no Reino Unido.

Naomie Harris, no papel de Winnie Mandela, é um vulcão que contrasta com a calma do protagonista. A interpretação é excelente e transmite mais emoções ao filme.

"Mandela: Long Walk to Freedom" tem aquele tom dos grandes épicos que antes de o serem já o queriam ser. Com tantos momentos históricos é fácil cair nos excessos e abusar de todos os lugares comuns das biografias. Chadwick acaba por se deixar tentar algumas vezes e borra um bocado a pintura.

Noutros casos, compacta eventos e pode deixar baralhado o espectador que conheça menos a bem a realidade histórica. Contudo, o filme acaba por ser uma bela homenagem ao líder que se tornou num símbolo de justiça e que muitos gostariam mesmo de santificar.

Logo depois da sua morte contava-se que, algures no paraíso, Gandhi e Madre Teresa de Calcutá estariam desiludidos porque os epítetos que antes eram usados para eles estavam a ser todos aplicados a Mandela.

E para quem tenha dúvidas sobre quem foi verdadeiramente Nelson Mandela, aconselha-se a leitura, por exemplo, da Wikipédia. Ficará a saber mais sobre o líder sul-africano do que neste filme.

"Mandela: Long Walk to Freedom", de Justin Chadwick, com Idris Elba, Naomie Harris e Terry Pheto.

Raúl Reis