Escolha as suas informações

Jurassic World - Fallen Kingdom: Sabia que…?
  Sabia que os dinossauros não existem?

Jurassic World - Fallen Kingdom: Sabia que…?

Sabia que os dinossauros não existem?
Cultura 2 min. 06.06.2018

Jurassic World - Fallen Kingdom: Sabia que…?

António Raúl VAZ PINTO DA CUNHA REIS
António Raúl VAZ PINTO DA CUNHA REIS
Aventuras, emoções, sustos e animações digitais de excecional qualidade são as características da saga “Jurassic”, que é de uma das franquias mais populares e bem sucedidas da história do cinema.

“Jurassic World: Fallen Kingdom” é o novo evento cinematográfico da saga que marca o regresso das personagens e dinossauros favoritos do público com a vantagem de acrescentar novas espécies, efeitos especiais mais espetaculares e momentos mais assustadores do que nunca.

Mas sabia que “Jurassic World: Fallen Kingdom” foi polémico até no nome? No Brasil vai estar nos cinemas com o título “Jurassic World: Reino Ameaçado”, enquanto que em Portugal foi escolhido “Mundo Jurássico: Reino Caído”. As diferenças entre os dois lados do Atlântico são normais, mas a originalidade aconteceu quando os fãs brasileiros da saga souberam que o nome previsto para o novo filme era “Jurassic World – O Reino Está Ameaçado”. Os admiradores fizeram um abaixo-assinado para que o nome fosse mudado; a Universal Pictures acabou então por alterar o título para “Jurassic World – Reino Ameaçado”.

E sabia que Chris Pratt e Bryce Dallas Howard voltam como protagonistas, mas que o anterior realizador Colin Trevorrow participa no filme apenas como argumentista, deixando a realização a Juan Antonio Bayona?

Sabia que Colin Trevorrow pediu que não contem com ele para dirigir mais nenhum filme porque, disse, “Jurassic Park é como Star Wars: distintos realizadores podem dar um clima diferente a cada história”?

Se calhar não sabia que os dinossauros de “Jurassic World” comeram “The Avengers” de cebolada subindo ao quinto lugar do ranking das maiores receitas de todos os tempos. O filme faturou 1.671 milhões de dólares mundialmente, ultrapassando o valor do filme da Marvel em 160 milhõezitos. E sabia que os dinossauros se aproximaram assim do quarto lugar detido por “Avengers: Infinity War” e do terceiro que pertence, até ao momento, a “Star Wars: The Force Awakens”? Em segundo lugar do ranking, com uma bilheteira a ultrapassar 2.187 milhões está “Titanic”, mas os dinossauros ainda têm de comer muito sal para sonharem sequer com o primeiro lugar ocupado por “Avatar”, com um impressionante recorde de bilheteira de 2.787 milhões de dólares.

E sabia que Steven Spielberg, o pai dos dinossauros, volta a estar presente neste episódio como produtor? Chamem-lhe parvo!

Sabia ainda que a Universal escolheu o Havai como local de filmagem? Os quatro filmes anteriores foram filmados nas ilhas americanas e os produtores continuam convencidos de que o cenário é ideal.

E sabia que a história retoma exatamente onde o anterior episódio nos deixou, mas três anos depois? O parque de Jurassic World foi destruído por dinossauros fora de controlo. A ilha de Nublar está abandonada e os dinossauros sobreviventes vivem completamente em estado selvagem. Quando o vulcão adormecido da ilha se reativa, Owen (Chris Pratt) e Claire (Bryce Dallas Howard) partem para Nublar resgatar os dinossauros que ficam novamente em risco de extinção. Owen quer encontrar Blue, a líder dos raptors, enquanto Claire desenvolve um crescente respeito pelas criaturas e envolve-se seriamente na missão de salvamento dos dinossauros.

E sabia que já pode ver o filme nos cinemas do Luxemburgo?

“Jurassic World: Fallen Kingdom”, de Juan Antonio Bayona, com Bryce Dallas Howard, Chris Pratt, Jeff Goldblum, Ted Levine, James Cromwell e Toby Jones.


Notícias relacionadas

Jurassic World: De cebolada
O meu sobrinho de dez anos está muito mais à vontade do que eu no jurássico. Admito ter imensas dificuldades em distinguir um mossassauro de um brontossauro ou de outros bichos que para mim se enquadram todos no termo “dinossauro” (ou dinossáurio, como alguns puristas insistem em dizer). Os dinossauros são, para mim, como as plantas: há algumas que dão flores, outras que dão frutos e outras que se fumam. Também as há maiores ou mais pequenas e certas variedades são verdadeiramente agressivas, como por exemplo, as urtigas ou as roseiras.
Os militantes anti-OGM podem utilizar este filme como bandeira. Leia aqui porquê