Escolha as suas informações

"A Cultura pesa mais na economia portuguesa do que a Agricultura", diz secretário de Estado
Cultura 2 min. 03.09.2015 Do nosso arquivo online
Jorge Barreto Xavier em Echternach

"A Cultura pesa mais na economia portuguesa do que a Agricultura", diz secretário de Estado

Jorge Barreto Xavier
Jorge Barreto Xavier em Echternach

"A Cultura pesa mais na economia portuguesa do que a Agricultura", diz secretário de Estado

Jorge Barreto Xavier
Foto: Henrique de Burgo
Cultura 2 min. 03.09.2015 Do nosso arquivo online
Jorge Barreto Xavier em Echternach

"A Cultura pesa mais na economia portuguesa do que a Agricultura", diz secretário de Estado

O secretário de Estado da Cultura de Portugal, Jorge Barreto Xavier, disse esta quinta-feira, à margem da conferência sobre a cultura e o desenvolvimento que está a decorrer em Echternach, que a Cultura em Portugal tem mais peso na economia portuguesa do que a Agricultura.

O secretário de Estado da Cultura de Portugal, Jorge Barreto Xavier, disse esta quinta-feira, à margem da conferência sobre a cultura e o desenvolvimento em Echternach, que a Cultura em Portugal tem mais peso na economia portuguesa do que a Agricultura.

"A cultura reflecte 1,7% do nosso valor acrescentado bruto. É um elemento de geração de riqueza e a Cultura pesa mais na economia do que a Agricultura, por exemplo", disse o governante ao CONTACTO, questionado sobre o peso da Cultura na economia portuguesa.

As declarações foram proferidas depois da sua intervenção "Perspectiva de um país da UE" sobre a Cultura e Desenvolvimento, na conferência "Rumo a uma abordagem mais estratégica das políticas culturais nas relações externas da UE", que decorre até esta sexta-feira no Centro Cultural Trifolion, em Echternach.

Quanto ao protocolo que deverá ser assinado em breve entre Portugal e o Luxemburgo, Barreto Xavier confirmou as negociações, mas não quis comentar.

"Neste momento estamos a trabalhar no protocolo, mas é uma negociação que está em curso. Por isso, não posso adiantar mais nada, esperando que a negociação corra bem. Neste momento estamos focados mais num conjunto de projectos que começámos no ano passado, quando recebi a ministra Maggy Nagel em Lisboa", disse o governante, elogiando o trabalho da ministra luxemburguesa. 

"Eu e a Maggy Nagel partilhamos uma visão comum"

"Eu e a Maggy Nagel partilhamos uma visão comum, sobre a necessidade de colocar a cultura num espaço mais central na decisão política da UE e julgo que esta presidência luxemburguesa está a fazer um trabalho relevante a este nível".

Questionado sobre o estado actual da política cultural em Portugal, Barreto Xavier disse que comparando com o Governo anterior, "há mais actividades e referências culturais, mais investimento no audiovisual, e na prática este é o Governo que fez mais pela Cultura nos últimos 10 anos".

"Nos últimos quatro anos, por causa das más práticas do Governo anterior, passámos por momentos muito difíceis, como é do conhecimento de toda a gente. Mas demos a volta a isso, como mostram os indicadores de 2015", acrescentou o secretário de Estado.

Confrontado com a destruição de monumentos culturais por parte do Estado Islâmico na cidade síria de Palmira, Jorge Barreto Xavier lamentou o acto terrorista levado a cabo por "um grupo totalitário".

"Essa destruição representa o exercício de uma ideia totalitária sobre o mundo. Não aceitamos as imposições totalitárias e lamentamos os ataques contra as pessoas e os bens patrimoniais da humanidade que foram destruídos. A atitude destes e outros fanáticos põe em causa uma ideia de uma humanidade que defendemos e que vamos ter de continuar a lutar com ela", concluiu.

HB


Notícias relacionadas

O secretário de Estado da Cultura de Portugal, Jorge Barreto Xavier, está desde ontem no Luxemburgo, a convite da ministra de Cultura do Grão-Ducado, Maggy Nagel. Barreto Xavier veio participar numa conferência sobre a importância da cultura nas relações externas da UE. A conferência decorre quinta e sexta-feira no Centro Cultural Trifolion, em Echternach.