Escolha as suas informações

Inês Pinto vence 7a Gala Eurovisão em Mondorf
Cultura 2 min. 27.10.2014 Do nosso arquivo online
No sábado

Inês Pinto vence 7a Gala Eurovisão em Mondorf

Inês Pinto é a terceira portuguesa a vencer esta gala
No sábado

Inês Pinto vence 7a Gala Eurovisão em Mondorf

Inês Pinto é a terceira portuguesa a vencer esta gala
Foto: Tania Bettega
Cultura 2 min. 27.10.2014 Do nosso arquivo online
No sábado

Inês Pinto vence 7a Gala Eurovisão em Mondorf

A cantora portuguesa Inês Pinto venceu a sétima gala Eurovisão que decorreu no sábado no Casino 2000, em Mondorf-les-bains.

Inês Pinto foi a escolhida entre 16 concorrentes ao interpretar a canção "Senhora do Mar", com que Vânia Fernandes representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção, em 2008.

A Gala Eurovisão 2013 tinha sido igualmente ganha por uma portuguesa, Nadine Rodrigues, que entregou o troféu à sua conterrânea e sucessora. Já em 2008, uma outra portuguesa, Melissa Martins, tinha sido a primeira luso-descenente a vencer este concurso.

O austríaco Conchita Wurst, vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2014, estava inicialmente também convidado para esta gala no Grão-Ducado, mas teve de anular a alguns dias do evento. No entanto, Conchita apareceu num ecrã gigantes na noite da gala para se dirigir ao público e explicar que não pode estar presente devido a imperativos profissionais.

No serão participaram cerca de mil espectadores, incluindo a ministra da Cultura, Maggy Nagel, e o vice-primeiro-ministro Etienne Schneider.

A noite contou ainda com a actuação de antigas estrelas do Festival Eurovisão como a sueca Loreen (2012), o noruguês Alexander Rybak (2009) ou a irlandesa Linda Martin (1992).

Luxemburgo pode vir a regressar ao Festival da Eurovisão

Segundo os organizadores da gala, a ministra da Cultura presente no evento terá dito que não se opõe ao regresso do Grão-Ducado ao Festival Eurovisão da Canção.

A "Gala Eurovisão" é anualmente organizada pela "Organisation général des amateurs de l’Eurovision" (OGAE), grupo que milita pelo regresso do Luxemburgo ao Festival Eurovisão da Canção, no qual o país não participa desde 1993.

Na verdade, os direitos de transmissão e participação no Festival Eurovisão da Canção pertencem ao grupo RTL, que desde 1993 decidiu não organizar o apuramento de um representante luxemburguês, alegando falta de verbas e interesse por parte do público no concurso.

Para os organizadores, esta gala serve também para provar que no Luxemburgo há talentos e vontade de o Grão-Ducado, país fundador do concurso e do qual foi cinco vezes vencedor, voltar a estar representado. Parte dos lucros desta gala revertem para o Télévie, iniciativa de angariação de fundos para apoiar a luta contra o cancro.


Notícias relacionadas