Escolha as suas informações

Humoristas portugueses fazem sucesso em Mondorf
Cultura 6 2 min. 16.05.2016 Do nosso arquivo online
Noite de Comédia

Humoristas portugueses fazem sucesso em Mondorf

Cultura 6 2 min. 16.05.2016 Do nosso arquivo online
Noite de Comédia

Humoristas portugueses fazem sucesso em Mondorf

Os humoristas portugueses Ana Bola, Eduardo Madeira e Manuel Marques estiveram este domingo (15) no Luxemburgo e apresentaram o espectáculo “Noite de Comédia” no Casino 2000, em Mondorf-Les-Bains.

Os humoristas portugueses Ana Bola, Eduardo Madeira e Manuel Marques estiveram este domingo (15) no Luxemburgo e apresentaram o espectáculo “Noite de Comédia” no Casino 2000, em Mondorf-Les-Bains.

Perante uma plateia que rondou as 500 pessoas, o trio – que pela primeira esteve no Luxemburgo – satirizou e brincou com temas da actualidade, da sociedade à política e ao desporto.

Bem conhecida dos portugueses, Ana Bola abriu as “hostilidades”. Sem papas na língua, a humorista, que leva já 40 anos de carreira, criticou a falta de respeito pelos artistas e aos atentados ao talento e à experiência.

“Resolvi fazer como o Passos Coelho: Só pago à Segurança Social quando a dívida prescrever”, atirou Ana Bola, arrancando uma gargalhada geral.

No seu jeito peculiar, Ana Bola descreveu algumas peripécias laborais, como a tentativa de entrar em programas televisivos, tais como “Dança com as Estrelas”, exemplificou o teste de dança com boneco insuflável com um proeminente falo. “Será que foi a isto que o Passos Coelho chamou de salsicha educativa?”, questionou a humorista levando a sala a mais uma sessão de riso.

Na segunda parte do espectáculo, o palco foi tomado de assalto por Eduardo Madeira e Manuel Marques. Do prometido “número de faquires acrobatas e prestidigitação com marmotas” ao fado foi um instante. Depois de uma passagem pela “tasca”, a dupla foi ao Fado de Coimbra para dar umas “alfinetadas” económicas: “Há quem ponha dinheiro em offshores, há quem compre títulos de engenheiros e doutores, as Finanças a gamarem é um regabofe! E agora o que é que rima com esta estrofe?”, cantaram os dois, numa alusão ao escândalo “Papéis do Panamá”.

O espectáculo foi de constante interacção com o público, que não se fez rogado em participar: cantou-se a Marcha do Vapor (tema da cidade da Figueira da Foz), inventaram-se coreografias e até um sósia de Ney Matogrosso irrompeu da plateia.

“Nunca vi dois parvalhões tão completos”

O público estava rendido ao trio e nem o futebol e a luta pelo título de campeão nacional afastou quem quis ver a estreia de Ana Bola, Eduardo Madeira e Manuel Marques no Grão-Ducado.

O trio voltou a juntar-se em palco. “Nunca vi dois parvalhões tão completos”, atirou Ana Bola, arrancando mais uma gargalhada geral.

Mote para o lançamento da música “Keep finding a way”, dos Avalanche City, que os três cantaram em uníssono com o público, que gritava “voltem mais vezes”.

“Na televisão até nem gosto muito deles, mas aqui fartei-me de rir, ainda bem que vim”, disse ao nosso jornal Rosa Santos, uma das portuguesas que assistiu ao espectáculo.

No final, a recepção do público surpreendeu o trio de humoristas. “Foi maravilhoso, fantástico, estamos surpresos e extasiados”, disse, ao CONTACTO, Manuel Marques.

”Foi uma noite fantástica, com público muito colaborante e interessado, os nossos imigrantes no Luxemburgo são muito divertidos”, afirmou, por seu lado, Eduardo Madeira.

Mais terra-a-a-terra, Ana Bola considerou que não há grande diferença em fazer humor para emigrantes. “Somos todos portugueses, sabemos do que falamos e o que sentimos. Os ‘tugas’ são bem-humorados. Basta actuarmos com paixão e sermos honestos com o público”, rematou Ana Bola.

Maria Alice de Pinho

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.